Introduzir a mamadeira na vida do bebê nem sempre é algo simples. E isso pode ser uma grande dificuldade para algumas mamães.

É claro que nem todos os bebês precisam fazer uso da mamadeira. Isso porque é muito possível que o bebê saia do aleitamento no seio e vá diretamente para o copinho.

No entanto, há algumas circunstâncias em que o bebê precisará utilizar mamadeira. De modo geral, isso ocorre quando a mãe precisa se ausentar da presença do filhote. Ou seja, é comum que mães que precisam retornar ao trabalho acabem precisando introduzir a mamadeira na vida dos filhos.

E vale lembrar que não é porque a mamadeira está sendo usada que isso signifique que o bebê precisará usar leites artificiais. Isso porque a mãe pode tirar o próprio leite com uma bombinha e oferecer esse leite na mamadeira.

Publicidade

Veja neste artigo 10 dicas infalíveis para introduzir a mamadeira na vida do bebê sem traumas. Boa leitura!

Amamentar no seio é a melhor alternativa

Mãe com filha sendo amamentada no peito

Mãe amamentando bebê em jardim – Crédito da foto: Freepik

As pesquisas recentes e atuais demonstram que a amamentação no seio é a melhor alternativa. Entre outras questões, a amamentação no seio traz benefícios para a relação entre mãe e bebê. Por isso, ela é considerada a melhor alternativa, ao menos até que o bebê conclua o sexto mês de vida.

E também vale lembrar que além do aleitamento materno exclusivo até seis meses, o bebê deve seguir recebendo leite materno até seus dois anos. É claro que na medida que começa a introdução alimentar, a quantia de leite materno é reduzida. Mas é muito importante que o bebê siga tomando leite materno até seus dois anos, no mínimo (mesmo que na mamadeira).

A realidade perfeita

Mãe negra amamentando bebê mamadeira

Mãe amamentando bebê em sofá – Crédito da foto: Freepik

Infelizmente, nem sempre temos uma realidade perfeita onde é possível permitir que a mãe amamente no seio por muito tempo. Mas isso não deve ser algo que deixe a mulher com culpa ou com remorso. Isso porque cada mulher faz tudo que pode e o melhor que pode pelo seu filho.

Publicidade

Claro que o ideal é ter condições de oferecer o seio ao seu bebê por longos meses, e pelo período que ele precisar. Mas isso não é uma realidade para muitas mulheres, e tudo bem.

A introdução da mamadeira é uma alternativa viável e possível para estas mães, que não conseguem ofertar o seio ao longo do dia. Mas vale lembrarmos que a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Sociedade Brasileira de Pediatria alertam para os riscos da mamadeira. O principal risco do uso da mamadeira diz respeito à possibilidade do bebê desmamar de forma precoce. Isso porque é comum que bebês que recebam mamadeira passem a recusar o seio.

De modo geral, essa recusa ocorre porque a mamadeira é muito mais “fácil” para o bebê, pois ele não precisa fazer força. Ou seja, é bom estar ciente que ofertar a mamadeira pode fazer seu bebê abandonar o seio muito cedo. Por isso, pode ser interessante apostar em outras alternativas antes da mamadeira, como canudos ou copos de transição.

Dar a mamadeira significa incluir fórmula na dieta do bebê?

Mamadeira e leite

Mamadeira com leite em fundo azul – Crédito da foto: Freepik

Não, oferecer a mamadeira não é sinônimo de incluir fórmula na dieta do bebê. Na verdade, a indicação é que a fórmula não seja incluída na dieta do bebê em nenhuma hipótese (exceto com recomendação médica).

O ideal é que a mulher tire seu leite via bombinha e armazene o mesmo na geladeira ou congelador. Assim, o bebê poderá seguir recebendo o leite materno, mesmo que na mamadeira. É bem importante que o bebê seja alimentado nos mesmos horários e em mesma quantia que ele recebia no seio.

Publicidade

Vale também lembrarmos que o leite pode ser armazenado por até 20 horas na geladeira e por até 20 dias no congelador.

Dicas para ajudar o bebê pegar a mamadeira

Com isso, esperamos que tenha ficado claro a importância de amamentar no seio.

No entanto, é bem verdade que em alguns casos isso não é possível. Para estes casos, veja a seguir 10 dicas incríveis para você introduzir a mamadeira na vida de seu bebê. As dicas foram dadas por mamães que também passaram por essa situação e contaram aquilo que deu certo!

1. Peça ajuda e se afaste da criança

Bebê recém nascido com mamadeira

Bebê recém nascido com mamadeira – Crédito da foto: Freepik

Essa dica pode parecer óbvia, mas muitas mamães não se atentam para isso.

Você está tentando introduzir a mamadeira? Então peça ajuda para alguém e deixe essa pessoa oferecer no seu lugar. Aproveite e se afaste do bebê também.

Isso ajuda (e muito) na aceitação da mamadeira. Mas como assim? Basicamente, se o bebê te ver e sentir seu cheiro, ele vai preferir o seio. Isso é óbvio. Então, se afaste do bebê o suficiente para ele não te perceber por ali. Isso vai facilitar muito a aceitação inicial.

Mas preste atenção: se afastar não é o mesmo que desaparecer de vez. Você não precisa sair de casa, apenas mude de cômodo ou vá ao pátio. Fique longe o suficiente para o bebê não te ver e não sentir seu cheiro. Mas também esteja perto o suficiente caso ele precise de você.

É bem simples e bem óbvio, mas faz uma diferença enorme. Diversas mamães que fizeram isso relataram a mudança na aceitação do bebê, quando a mamadeira foi ofertada por outra pessoa.

2. Leite natural ou leite artificial?

Leite em pó leite artificial fórmula infantil para mamadeira

Leite em pó em latinha em fundo azul – Crédito da foto: Freepik

Sempre dê prioridade pelo oferecimento do seu leite materno, e não de leites artificiais. Você pode tirar o leite com bombinha de sucção ou com ordenha manual. É possível tirar seu leite e o armazenar em geladeira ou congelador. Então, você sempre terá leite materno à disposição, para oferecer na mamadeira quando for preciso.

A fórmula deve ser utilizada exclusivamente nos casos em que o pediatra recomendou o mesmo. E também é importante ressaltar que a quantia e horário da fórmula deve seguir a recomendação médica.

Nesse caso, uma dica para casos onde o bebê não aceite bem o leite artificial é misturar ele com o leite materno. Por exemplo: faça o preparo com metade da quantia total de leite materno e a outra metade de fórmula. Com o tempo, você poderá reduzir a quantia de um deles e aumentar a quantia do outro.

Mas cuidado neste caso: não dissolva a fórmula diretamente no seu leite. Dissolva a fórmula na água e depois misture com o seu leite. Desse modo, conforme a criança for aceitando melhor a mistura, você vai deixando de lado um dos leites e adicionando quantias maiores do outro.

3. Atenção ao modelo da mamadeira (e do seu bico)

Mamadeira e leite em branco

Mamadeira com leite artificial em fundo branco – Crédito da foto: Freepik

Se você já está oferecendo a mamadeira e o bebê não está aceitando, o problema pode estar no bico dela. Em muitos casos, a não-aceitação da mamadeira tem relação com a estranheza causada pelo formato do bico.

Essa estranheza é muito comum quando o bico da mamadeira é muito diferente do formato do bico do seio. Por isso, uma outra dica simples é trocar o bico da mamadeira por um outro, com formato mais próximo ao seu seio.

É claro que você não conseguirá encontrar um bico que seja exatamente igual ao seu seio. Mas existem algumas mamadeiras que já tentam reproduzir formatos de seios reais.

É, pode ser que o problema seja bem mais simples de resolver do que imaginamos. Não é?

4. Verifique se o problema não é a fórmula oferecida

Alimentação artificial. o bebê está deitado na cama e olha para a mamadeira à sua frente com a fórmula de leite adaptada Foto Premium

Bebê olhando para mamadeira em cama – Crédito da foto: Freepik

Mas nem sempre a questão é a mamadeira. Em muitos outros casos, o problema pode estar na fórmula oferecida. Por isso, outra dica é mudar o leite artificial por outro, para testar a aceitação do bebê.

Mas calma: nada de sair mexendo na dieta do bebê sem consultar o pediatra primeiro! Por isso, se você está desconfiada do leite, agende uma consulta com o pediatra e exponha o problema para ele.

Naturalmente, o médico poderá avaliar o caso e poderá recomendar outra fórmula para vocês testarem. É muito comum que o problema esteja realmente no leite artificial em questão, então fique atenta a essa possibilidade. Isso porque não são raros os casos em que após a mudança da marca, o bebê passa a aceitar tranquilamente a mamadeira.

5. A temperatura do leite e da mamadeira

Bebê com mamadeira de plástico no colo

Bebê com mamadeira no colo – Crédito da foto: Freepik

Esta também é uma dica simples, mas que muitas mamães não se atentam. É um detalhe para nós, mas para o bebê faz toda a diferença: a temperatura do leite.

Muitas vezes, o bebê não aceita a mamadeira porque está estranhando muito a temperatura do leite ou do bico dela. Isso é comum porque o bebê está acostumado com o leite materno, que sai do seio da mãe morninho. De repente, estão oferecendo para ele algo gelado ou muito quente.

Por isso, teste temperaturas diferentes e avalie a aceitabilidade do seu filhote. Ofereça o leite um pouquinho mais gelado, um pouquinho mais quente, e vá analisando a resposta do bebê. Esse processo de análise pode te ajudar a verificar de qual forma a mamadeira é melhor aceita.

E aqui mais uma dica: amorne também o bico da mamadeira. Para fazer isso, basta passar o bico dela na água morna. Você não precisa deixar o bico quente, mas sim, com temperatura próxima da temperatura de seu corpo.

6. Experimente outros líquidos além do leite

Bebê, bebendo, de, um, mamadeira bebê

Bebê tomando chá em mamadeira – Crédito da foto: Freepik

Muitas vezes, o leite é o líquido mais difícil de ser aceito na mamadeira pelo bebê. Essa dificuldade pode acontecer porque ele está habituado a receber o leite diretamente do seio materno. O momento da amamentação é um momento de conexão entre mãe e filho, de carinho, de aconchego, de conversa, de troca de olhares e de muito mais. Por isso, pode ser muito difícil para o bebê aceitar essa troca.

Então, uma dica que funciona bastante é oferecer a mamadeira com outro líquido que não seja o leite. Por exemplo, em vez de leite você pode oferecer sucos ou chás. Não é uma regra, mas é comum que os bebês aceitem melhor a mamadeira quando ela vem com outras alternativas.

Depois do bebê já estar aceitando bem a mamadeira, você pode ir introduzindo ela com leite. O seu bebê pode não estranhar tanto se você fizer esse caminho.

Mas atenção: essa dica é válida somente se o seu bebê tiver mais de seis meses de vida. Isso porque até o sexto mês, ele não deve consumir absolutamente nada além de leite. E isso vale até mesmo para água, então: nada de oferecer outros líquidos antes dos seis meses, ok?

Além disso, você deve consultar o pediatra nesse caso também. Lembre sempre que é o pediatra que vai definir a dieta e a forma de introduzir ela na vida do seu bebê.

7. Respeite seu bebê. Não o force a nada desagradável

Bebê fofo em pijama de dinossauro

Bebê usando pijama de dinossauro – Crédito da foto: Freepik

Essa pode ser uma dica extremamente simples, mas que pode ser a mais difícil de ser seguida. Isso porque muitas mães podem ficar nervosas (desesperadas!) com a não-aceitação do bebê. E esse desespero pode as fazer perder a paciência e se atrapalharem nas tentativas de oferecer a mamadeira.

E tudo bem, isso é normal. As mamães já estão sobrecarregadas, cansadas, exaustas, estressadas… A última coisa que a mamãe precisa é de um bebê que parece “não colaborar”, não é? Sinceramente: isso é super normal. Mas vamos nos afastar um pouquinho dele, respirar fundo, contar até dez e depois voltarmos. Que tal?

Não force a barra. Ou seja, evite forçar o bebê a fazer algo que seja desagradável ou ruim para ele. Basicamente, evite “climões” com o bebê, compreende?

Tente oferecer a mamadeira por uns cinco minutos. Se ele realmente não aceitar, pare. Não siga insistindo nesse momento. Deixe a mamadeira de lado e volte a tentar dentro de 1 ou 2 horas.

Pode parecer simples, mas no nosso desespero é normal que nos atrapalhemos e, quando vemos, estamos o forçando sem percebermos. Mas estabelecermos uma relação nesses moldes pode afetar gravemente o vínculo entre vocês. Naturalmente, você não quer isso, certo? Certamente, você não deseja que o bebê se sinta desamparo, inseguro ou com medo, não é? Obviamente, você não quer que o bebê sinta medo ou raiva de você, certo?

Por isso, ofereça a mamadeira por alguns minutos e se não der certo, tudo bem. Depois de um tempo você poderá tentar novamente. E lembre-se também da primeira dica: peça ajuda a alguém. Lembre que você não precisa fazer tudo sozinha, e ter alguém do seu lado pode te ajudar a não se atrapalhar.

8. Tente técnicas diferentes

Placa com ovo em forma de coração para bebê

Pão com ovo em forma de coração, copo de transição e copo de leite – Crédito da foto: Freepik

Outra dica bem importante é também apostar em outras técnicas, para além da mamadeira.

Se você perceber que a mamadeira está sendo realmente difícil, você pode testar outras alternativas. Por exemplo, copos de treinamento, de transição e com canudinhos. Aliás, você já sabia que alguns bebês conseguem usar canudinhos desde bem cedo?

Em alguns casos, estas alternativas são muito melhor aceitas que a própria mamadeira. E o melhor: os especialistas contam que essas outras técnicas afetam menos o desmame precoce. Então, pode ser interessante até mesmo tentar algumas delas antes de ir diretamente pra mamadeira.

Mas tome muito cuidado com a frequência das mudanças. Isso porque de nada adianta tentar uma ou duas vezes com algo e achar que não deu certo. Antes de partir para outra alternativa, dê tempo para o bebê entender que agora será daquele jeito que ele se alimentará.

Esse cuidado é importante porque sem tempo a criança não se acostumará com nenhuma alternativa. E isso fará com que ela se estresse, pois nunca saberá o que esperar da sua alimentação. Então, escolha uma alternativa que você acha que vai funcionar e insista nela por um tempo.

Se você perceber que a criança não está evoluindo na sua aceitação, então você poderá tentar outra alternativa. O pediatra pode ajudar na definição das opções e no tempo que cada uma deve ter antes da mudança. Mas as indicações mais normais variam de 30 até 50 tentativas com uma opção antes da mudança para outra. Como o bebê se alimenta muitas vezes ao dia, isso significa que você tentará cada opção por cerca de 5-10 dias antes de mudar.

E… tenha paciência!

Mãe cansada sofrendo de depressão pós-natal

Mãe cansada e estressada com bebê no colo – Crédito da foto: Freepik

Essa também é uma dica aparentemente simples, mas que talvez seja uma das mais difíceis da lista: tenha calma e muita paciência.

Algumas crianças realmente demoram muito pra aceitarem a mamadeira. Isso é natural, é normal e faz parte do desenvolvimento de cada criança.

Nesse caso, o jeito é realmente seguir insistindo, mas sem forçar a barra demais. Sempre que for possível, dê prioridade para que outras pessoas ofereçam a mamadeira no seu lugar. Isso realmente pode ajudar muito no aceite do seu bebê.

E também converse com o pediatra sempre que sentir necessidade ou que precisar de ajuda. O pediatra é o profissional melhor qualificado para te ajudar em tudo que envolve o seu filhote. Ele está acostumado com todo o processo e poderá te orientar corretamente. Se você estiver com dificuldades, agende uma consulta com o pediatra e converse com ele.

Infelizmente, muitas mulheres sentem-se excessivamente exaustas e sobrecarregadas nos primeiros anos de vida da criança. E em alguns casos, elas realmente precisam de apoio para si, e não somente para os filhos.

Neste caso, você também pode buscar atendimento psicológico com alguma profissional com experiência em perinatalidade. Há uma série de profissionais preparadas e disponíveis para ouvir, acolher e auxiliar mamães que precisam de um espaço e de um momento para si, longe das responsabilidades com a maternidade.

O que NÃO fazer pro bebê pegar a mamadeira

Colher de mel na jarra

Vidro e colher com mel em mesa de madeira – Crédito da foto: Freepik

Por fim, a última dica diz menos respeito a algo que vai ajudar o bebê a aceitar a mamadeira. Mas é uma dica fundamental porque ela vai te ajudar a não cair em ciladas que podem comprometer a saúde do seu filho.

Jamais, sob nenhuma hipótese adoce o bico da mamadeira ou o leite oferecido com qualquer tipo de adoçante. Isso vale para, por exemplo:

  • Açúcar
  • Mel
  • Adoçantes artificiais

Estes adoçantes (artificiais ou naturais) podem causar problemas sérios de saúde tanto na infância quanto na adolescência e vida adulta. Por exemplo, você sabia que crianças que consumiam leite adoçado na infância têm mais risco de desenvolver cáries, desnutrição e obesidade?

No primeiro momento, oferecer o bico ou leite adoçado pode parecer uma boa ideia. É claro, assim o bebê aceita mais rapidamente. Mas a consequência disso pode ser enorme, e pode afetar a saúde de seu filho de forma significativa. Por isso, evite pegar este tipo de atalho, sempre que possível.

Este conteúdo foi útil para você de alguma forma? Então compartilhe ele com suas amigas e deixe um comentário. Nós queremos conhecer a sua experiência. Como você fez para seu filho aceitar a mamadeira?