Um dos atendimentos online da Bem Nascer. Foto: Bem Nascer Gestantes

A pandemia do coronavírus fez com que os planos dos futuros papais mudassem drasticamente. O tão sonhado parto, pré-natal, consultorias e chá de fraldas tiveram que se adaptar às novas condições de isolamento social. E, nessa mesma onda, entrou a consultoria de amamentação e primeiros cuidados. Os eventos presenciais deram espaço para as comemorações online e a malinha da maternidade agora tem como itens essenciais a máscara e o álcool gel. 

Conversamos com a criadora do Bem Nascer Gestantes (@bemnascergestantes) Daniele Martins para entender tudo sobre os workshops de maternidade online, os cuidados em meio à pandemia e os mitos que rolam em torno da amamentação e o Covid-19. Leia a seguir. 

Um pouco mais sobre o Bem Nascer Gestantes 

Daniele Marins e Tainá Souza, enfermeiras e co-fundadoras do Bem Nascer Gestantes. Foto: Bem Nascer Gestantes

Publicidade

O Bem Nascer nasceu em 2015 e é comandado por Daniele Marins e Tainá Souza. As duas são mães e enfermeiras concursadas no Instituto de Pediatria da Universidade do Rio e especializadas em tratamentos de famílias e aleitamento. 

O projeto oferece cursos super abrangentes com primeiros cuidados do bebê, troca de fraldas, coto umbilical, banho, shantala, sling e amamentação. Além de consultoria pré-natal e consultoria de amamentação para mães que estão retornando ao trabalho. Antes da pandemia, os workshops (que duravam cerca de 3h) eram presenciais e poderiam ser feitos em turmas individuais ou em grupo. “O curso podia ser no nosso espaço, no Rio de Janeiro, ou na casa das clientes. Muitas vezes elas reuniam amigas que também estavam grávidas, ou os avós do bebê e outros parentes para participar”, explica Daniele, fundadora do projeto. 

 

Como funciona o curso de amamentação e pré-natal online

A prática dos workshops online não é uma novidade para a dupla. O Bem Nascer já tinha clientes fora do Brasil, nos Estados Unidos e Canadá, que aproveitavam os cursos de forma remota. “Atendemos principalmente casais relacionados ao protocolo de indução, ou seja, que vão adotar um bebê, homoafetivas ou que tiveram redução mamária”, conta Dani. 

Porém, com o aumento dos casos de coronavírus e a facilidade de contágio, o protocolo online passou a ser administrado para as pacientes brasileiras também. Como as duas enfermeiras trabalham na área da saúde, ir até a casa das gestantes ou encontrá-las pessoalmente nunca foi uma ideia. A saída então, foi adaptar o curso. 

“Nos reinventamos! Afinal, o curso era (e ainda é) 100% prática, com administração de vários objetos da maternidade, como a banheirinha, o ofurô, etc.” Daniele explica que para atender da melhor maneira possível, todos os workshops contam com material didático personalizado da Bem Nascer, contato direto com os médicos obstetras e pediatras de todas as pacientes (em caso de necessidade de medicação), e a mesma carga horária de um curso presencial mas com um valor reduzido. 

Publicidade

A principal diferença é que no workshop online existe apenas a opção de atendimento individual, e não em grupos. Justamente para que as pacientes tenham um aproveitamento melhor e mais personalizado do conteúdo. Por isso, Daniele garante que o atendimento é o mesmo, e resolve as principais questões das mamães como a pega – problema de 70% da pacientes. 

Para outros cursos mais práticos, como o de primeiro cuidados, que ensina o uso da banheira, a dupla ensina sobre os objetos ao vivo por vídeo e os papais podem tentar junto com elas. Se preferirem podem comprar os objetos antes do curso, ou depois, para evitar que adquiram coisas desnecessárias. Vale consultá-las para saber o quê comprar também! 

 

As inseguranças e a laserterapia em atendimentos online

É normal que algumas questões surjam antes de fazer o workshop, principalmente à respeito de protocolos que normalmente seriam feitos de maneira presencial. Como é o caso da laserterapia no curso de amamentação da Bem Nascer. 

“Grande parte das clientes ficaram preocupadas em precisar do laser, como fariam isso online…”. Entretanto, a enfermeira explica que o laser, por mais famoso que seja, não é o salva-vidas da amamentação e sim uma ajuda extra. Não necessariamente toda a mulher precisará fazê-lo porque as consultas, os sintomas e os hábitos de cuidado do dia a dia é que fazem toda a diferença na hora de tratar os seios. Para Daniele, o maior desafio é explicar para as pacientes que é muito mais seguro seguir esses protocolos cada um em sua casa, dentro de uma tela, do que ir até a casa do outro, colocando vidas em risco. 

 

Publicidade

Mitos em torno da amamentação e do coronavírus 

“Estou com suspeita de Covid, devo parar de amamentar?” “A gestante pode passar o vírus para o feto?” “O leite materno ajuda na criação de anticorpos?”, essas foram algumas das perguntas mais feitas desde as primeiras contaminações pelo coronavírus. Daniele explica que não há literatura ou pesquisas que comprovem que a transmissão pode ser vertical (pela amamentação) ou que o feto pode ser infectado. Sobre os anticorpos, há uma pesquisa em andamento sobre os benefícios do leite materno para o sistema imunológico, mas também nada oficial. Por isso, ela reforça a importância de seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Usar máscara, lavar as mãos frequentemente com água e sabão, ter um cuidado redobrado com a higiene e respeitar a quarentena – principalmente se a mãe tiver sintomas respiratórios – é o que garante a saúde da mãe e do bebê. 

Há, sim, casos de bebês com coronavírus. Mas, acredita-se que a contaminação tenha acontecido por meio de profissionais da saúde nas maternidades. Dani conta ainda que teve clientes com suspeita de coronavírus, já quando os atendimentos aconteciam online. Porém, uma delas não seguia corretamente as recomendações de isolamento social, o que pode ter facilitado o possível contágio. Ambas continuam amamentando e não tem mais sintomas!

 

A importância de fazer a consultoria de amamentação em meio ao Covid-19

Um dos pontos mais afetados pelo isolamento social em uma gestação e puerpério é a rede de apoio. Por causa da pandemia, muitas gestantes não poderão ter o acompanhamento de parentes, parceiros ou parceiras, ou são mães solo. E, é nesse momento que a informação empodera e faz toda a diferença. 

Quanto mais a mãe for atrás desse conhecimento e se sentir segura com essa nova rotina, melhor será, principalmente psicologicamente, esse momento tão delicado. Por isso, é de extrema importância ter o controle do que está acontecendo e saber como agir. 

 

Qual as diferenças de valor de uma consultoria de amamentação online e presencial?

No caso da Bem Nascer, os cursos presenciais giravam em torno de R$200 a R$400, variando conforme o número de pessoas na aula e o tipo de workshop. Com a adaptação do curso online, o valores receberam desconto de até 40% sem redução de aproveitamento ou carga horária. “Nosso último curso durou mais de 3h! Chegamos a exceder o tempo habitual para poder esclarecer todas as dúvidas dos casais, mesmo que de maneira online.” conta Dani. O desconto no valor se dá principalmente porque não há gastos com deslocamento até o local do curso. 

 

Os workshops depois da pandemia 

Antes do isolamento social, os cursos aconteciam de maneira trimestral, normalmente em março, setembro e dezembro. O workshop de março nem chegou a acontecer, mas Dani tem esperanças que os próximos possam ser feitos. 

Mesmo assim, a intenção é não parar com os atendimentos online. Desde março já foram 10 atendimentos personalizados, com preços mais em conta. A dupla vê no modelo uma possibilidade de investir ainda mais nos materiais didáticos e tornar as consultas virtuais cada vez mais reais e próximas, permitindo que mais gente tenha acesso à essa informação tanto pela distância quanto pelos descontos. “Acho que a telemedicina é o futuro” finaliza Daniele.