Você ficou grávida (parabéns!), passou em frente a uma loja de roupinhas de bebê e está louca para fazer sua primeira comprinha (confessa! Quando fiquei grávida, queria MUITO comprar a primeira roupa que meu bebê teria!). Mas você não se contenta com o amarelo ou com o branco, quer mesmo é levar uma peça com estampa fofa daquelas que têm bem cara de menininho ou de menininha (não que eu acredite que a gente deve se prender a estereótipos ou reforçá-los, mas vamos combinar que uma nova grávida dificilmente vai, por exemplo, escolher uma peça cheia de frufrus e pensar “ok, se for menino, ele usará mesmo assim”). Se você se identificou, pode pegar a carteirinha do concorrido clube das futuras mamães que só pensam em uma coisa o dia inteiro: como saber o sexo do bebê!

Dizem que intuição de mãe não falha. Mas pergunta para uma grávida se ela pressente que está esperando um menino ou uma menina… Boa parte vai dizer que não tem a mínima ideia. Porque a verdade é que ô coisa complicada essa de deixar a intuição aflorar e nos comunicar algo com todas letras, não é mesmo? Então para matar a curiosidade das gravidinhas ansiosas, decidimos reunir aqui tudo sobre os métodos para a identificação do sexo do bebê (sejam eles de fato científicos ou não). Tem para todos os gostos: para quem quer fazer um teste rapidinho com a famosa tabela chinesa, para quem gosta de calcular probabilidades a partir da data da ovulação, e até para quem só acredita mesmo em um exame de sangue. E aí, pronta para descobrir se é menino ou menina?

como saber o sexo do bebê

Imagem: 123RF

Métodos gratuitos e caseiros

Data da ovulação: reza a lenda que quando a relação sexual ocorre na data da ovulação, você terá uma probabilidade maior de ter um menino. Isso porque, em teoria, os espermatozoides que contêm o cromossomo Y (responsável pela determinação do sexo masculino) são mais rápidos do que aqueles contendo os cromossomos X (que determinarão o nascimento de uma menina). Por outro lado, os espermatozoides com cromossomo X teriam maior resistência; assim, quando a fecundação ocorre em um dia distante da relação, seria mais provável que o óvulo fosse fecundado por esse aí, resultando no nascimento de uma linda menininha. Quer saber quando você ovulou? Essa calculadora de ovulação pode ajudar você.

Publicidade

Alimentação da mãe: outra ideia muito difundida, que muitos acreditam ser mais lenda do que realidade (mas que não custa nada a gente levar em consideração e aumentar a expectativa da descoberta do sexo do bebê), é a de que quando a futura mamãe ingere com frequência alimentos que diminuem o ph da vagina, como limão (e alimentos ácidos em geral), haveria uma maior probabilidade do nascimento de uma menina. Isso porque o aumento da acidez no corpo da mulher promoveria uma seleção dos espermatozoides com cromossomo X, que, como já dito, são menos sensíveis e mais resistentes (para vocês verem que mulher é dura na queda desde o início).

Tabela chinesa: sem comprovação científica (e no meu caso não consigo nem dizer se deu certo, pois posso ter engravidado ao fim de um mês ou início do outro, o que mudaria completamente a previsão), mas bem divertida. A maioria das mães que conheço disse que a tabela acertou, então no mínimo vale a espiadinha. Para usá-la, você deve somar 1 à sua idade no dia da concepção (exemplo: se você tinha 32 anos, some a eles 1 e veja na tabela a previsão usando como base 33 anos). A exceção fica por conta de quem nasceu em janeiro ou fevereiro: nesse caso use a sua idade sem nenhuma soma.

Tabela Chinesa sexo do bebe

 Se você quiser conhecer as dicas para engravidar de uma menina, clique aqui.

Métodos científicos que têm um custo

Testes de urina: sim, eles prometem acertar o resultado com cerca de 90% de previsão, desde que realizados da maneira adequada (primeira urina da manhã, a partir da décima semana de gravidez – ou depois de oito semanas da concepção, e em mulheres sem histórico de ovário policístico e que não estejam tomando progesterona). Uma das marcas mais conhecidas é o Intelligender, que pode inclusive ser achado aqui no Brasil. Nos EUA, é encontrado até em farmácias. Se não tiver planos de viajara para lá, tente pedir para alguém trazer para você ou compre pelo Ebay (veja esse post sobre comprar nos EUA e receber aqui). A ideia do teste é fazer uma avaliação dos hormônios encontrados na urina, que variam em função do sexo do bebê. Descarte a ideia se você estiver esperando gêmeos: nesse caso, o teste não funciona.

Sexagem fetal: é o famoso teste que detecta o cromossomo Y do feto no sangue da mãe. Se o exame detectar o cromossomo Y, você terá um menino; caso ele não apareça, é porque é uma menina. Se for fazer o teste, escolha um bom laboratório, pois o sucesso do resultado depende disso (não adianta poupar alguns reais e ter um resultado errado, não é?). Há laboratórios que chegam a afirmar que o teste acerta em 99% das vezes (mas sempre tem uma história da amiga de uma amiga que fez o teste, comprou tudo rosa e, depois, descobriu que era um menino). A época ideal para se fazer a sexagem é a partir da oitava semana de gravidez. Histórias contrárias à parte, a chance do teste acertar é MUITO, MUITO grande mesmo.

Publicidade

Ultrassom: é o teste mais conclusivo de todos, o mais usado para se saber o sexo do bebê antes do nascimento. A partir da 13a semana de gestação alguns especialistas em medicina fetal já podem “chutar” o sexo, se a posição do bebê ajudar (no meu caso, com 14 semanas a médica já deu como certo o nascimento de uma menina). Mas é a partir da 16a semana que a maioria dos médicos consegue fazer uma previsão mais acertada.

É isso aí, meninas! Façam seus cálculos, divirtam-se e depois contem se os métodos aqui citados funcionaram para você! Ah, e não deixe de assistir esse vídeo, que mostra em 3D a vida intra-uterina. Clique aqui (é lindo!).