Eu fui magra durante toda a minha infância e adolescência. Era daquelas meninas que lutava ao contrário com a balança, fazendo de tudo para engordar. Lembro que no colegial pesava apenas 45Kg (tudo bem que sou baixinha, com apenas 1,58m), e tinha uma vergonha danada da minha magreza. Naquela época minha mãe já me falava: filha, fique tranquila, que quando a idade chegar você vai ver a diferença! Pois ela tinha razão: aos 30 anos, pouco antes de engravidar, eu continuava com os braços e as pernas fininhos; mas a barriga… Sabe aquele quilo extra que você ganha eventualmente? No meu caso, ele se concentra totalmente ali. Uma herança genética contra a qual eu desisti de lutar.

Durante a gravidez eu engordei pouco, mesmo comendo o que eu queria. Claro que eu procurei me alimentar de forma saudável e sem grandes excessos, mas também sem neuras (não passei vontade de comer belos pratos de macarrão ou pães doces, coisas que eu simplesmente adoro). Foram 9,5Kg ganhos no total. Se vocês me perguntarem se eu sofri para perdê-los, vou dizer que não; já a barriga… Essa eu acho que não voltou ao lugar até hoje, dois anos e meio após o nascimento de Catarina. Já melhorou bastante, mas a impressão que tenho é que ela ficou do tamanho que era aos 4-5 meses de gravidez.

Imagem: 123RF

A bendita barriga foi das coisas que mais me incomodou no pós-parto. Molenga, grande, era realmente um horror. É preciso paciência, dar tempo ao tempo, porque obviamente o que demorou 9 meses para crescer não pode desaparecer do dia para a noite. Claro, dá para colaborar com a natureza no sentido de voltar a caber naquela sua calça jeans favorita um pouco mais rápido. Para ajudar você nessa tarefa, eu compartilho agora o que aprendi sobre como perder a barriga do pós-parto:

Publicidade

1 – Prevenir é mais fácil do que remediar. Ao ganhar o peso necessário para o bom desenvolvimento do bebê na gestação sem exagerar, você chegará mais facilmente ao corpo que tinha. Deixe para engordar principalmente nos últimos meses da gestação, época em que de fato o bebê está crescendo e ganhando massa (se engordar demais no começo, esses quilos extra ficarão para você, não para ele). Exercitar-se na gravidez também ajuda muito, uma vez que a musculatura do seu abdome ficará fortalecida e ajudará no retorno da barriga à sua condição primeira.

2 – A melhor forma de perder a barriga e começar a voltar ao corpo que você tinha (quer dizer, o mais próximo que é possível chegar disso, porque obviamente uma gravidez faz mudanças permanentes no corpo de qualquer mulher – e estar preparada para isso é super importante, porque é inevitável) é a amamentação. Amamentar gasta uma quantidade de calorias absurda (por isso nem pense em fazer dieta enquanto você está amamentando – é preciso se alimentar bem nessa fase, para produzir a quantidade de leite necessária para o bebê). Além disso, ao amamentar seu corpo produz hormônios que estimulam a contração uterina, o que fará com que a barriga volte ao lugar mais rapidamente.

3 – Exercite-se. Com o aval do seu obstetra, coloque seu corpo em movimento. Se não tiver grande intimidade com as práticas esportivas, pelo menos caminhe! Caminhar é excelente no pós-parto, pois é uma atividade de baixo impacto e que não depende de nenhum equipamento para ser executada.

4 – Faça drenagem linfática. A drenagem não vai fazer você perder peso, mas vai reduzir o inchaço característico do pós-parto. Mas antes de marcar, consulte o obstetra (alguns só liberam a massagem após um mês, para aguardar a cicatrização – no caso de parto cesárea).

5 – Coma direito. Inclua fibras e alimentos integrais na sua dieta. Vai fazer um bem danado para o seu intestino, e quanto melhor ele funcionar, mais sua barriga vai agradecer. Nos primeiros dias após o parto pode haver uma tendência à constipação (prisão de ventre), e comendo esses alimentos você ajudará na regularização do trânsito intestinal.