O post de hoje da nossa querida consultora de sono, Michele Melão, está simplesmente demais! Porque ela responde a dúvida de 9 entre 10 mães de bebês que acordam durante a noite: será que o filhote acorda porque está com fome ou porque precisa sugar para voltar a dormir? Não deixe de conferir, pois tenho certeza de que será de grande utilidade para as mães que acompanham o blog!

Por Michele Melão

bebe mamando dormindo

Publicidade

Acordar diversas vezes durante a madrugada é uma das principais queixas das mães que procuram por uma consultoria de sono, e só quem passa por essa situação sabe o quanto é desgastante levantar 5, 6 ou até mais vezes à noite para atender o bebê – especialmente quando se está amamentando e é necessário descansar por algumas horas para repor as energias e produzir leite.

Apesar do cansaço, uma grande dúvida da mãe é se o bebê está com fome, já que, quando é oferecido o peito, ele geralmente mama e dorme. Então fica a dúvida: meu filho precisa apenas sugar para se acalmar e dormir ou encheu a barriguinha e ficou tranquilo para dormir mais um pouco? E se eu não amamentar e meu bebê passar fome?

Assim, nosso post de hoje traz alguns elementos para ajudar as mães a diferenciarem a necessidade de alimento e a do hábito de sucção, e conseguirem descansar um pouco mais tranquilas, sem o pensamento de estar negando alimentação ao bebê.

Primeiramente observe esta tabela com uma média da quantidade de vezes que os bebês acordam de madrugada para comer:

tabela amamentacao noturna do bebe

Ressalto que essas são médias, e que o bebê deve mamar (por livre demanda ou em horários determinados) o suficiente durante o dia para garantir seu desenvolvimento. Acompanhar o crescimento com o pediatra é fundamental para espaçar a alimentação durante a madrugada com segurança.

Publicidade

Outra forma de avaliar se seu bebê sente fome ou acorda porque o ciclo de sono terminou e precisa sugar para voltar a dormir (porque ainda não aprendeu outra forma de retomar o sono) é refletindo sobre as perguntas a seguir:

1) Seu bebê mama mais de noite do que durante dia? A hora de dormir é um momento de separação do bebê e da mãe. Percebendo isso, alguns bebês têm o hábito de acordar muitas vezes durante a noite para mamar, e com isso ficarem perto das mães – o que os leva a não se alimentarem corretamente durante o dia. Trocar o dia pela noite é bastante comum nesses casos. A dica aqui é dar bastante atenção para seu bebê durante o dia, e cortar aos poucos o estímulo à noite. A ajuda do pai, se isso acontecer, é fundamental – mesmo que o bebê proteste um pouco, é importante reverter essa situação antes que o bebê passe a comer melhor a noite e dormir melhor durante o dia.

2) Quando você alimenta seu bebê durante a madrugada, ele volta a dormir rapidamente? Se o bebê estiver apenas com fome, ele irá mamar e terminar a alimentação praticamente dormindo. Quando o bebê acorda por hábito, ele mama pouco e muitas vezes demora para pegar no sono novamente.

3) Depois de alimentado, por quanto tempo seu bebê dorme? Se ele conseguir esticar o sono por pelo menos 3 horas, não é o hábito que está acordando seu bebê, e sim a fome. Mesmo bebês maiores podem estar passando por picos de crescimento e necessitam de mais leite para repor as energias.

4) Se você não amamentar por algum motivo, seu bebê para de chorar e volta a dormir? Mesmo com algum protesto, se você conseguir acalmar seu filho com colo, embalo ou algum outro conforto, certamente ele acorda por hábito. Bebês com fome não se acalmam facilmente e choram forte até terem sua necessidade atendida.

5) Seu filho consegue dormir sozinho no começo da noite? Se a resposta for sim, quer dizer que ele sabe se auto confortar. Ou seja, o pequeno sabe o que fazer ao final de cada ciclo de sono para voltar a dormir sozinho e, por isso, se chorar, é porque precisa ser alimentado ou está com algum incômodo. Nesse caso, pode ser fome.

Publicidade

As associações de amamentação e sono são extremamente comuns, especialmente em bebês que sofrem ou sofreram com cólicas nos primeiros meses de vida. Amamentar alivia esses incômodos e sacia a fome – portanto, quando o bebê pequeno chora, a mãe amamenta, ele se acalma e a associação é formada. Com carinho e paciência, observando o comportamento do seu bebê, é possível avaliar suas reais necessidades durante a madrugada (lembrando, novamente, que a opinião do pediatra é imprescindível para espaçar, suspender ou aumentar a alimentação noturna).

michele melão selo