Olá pessoal! É com muita alegria que estamos inaugurando esse novo espaço para estreitar ainda mais nossa relação. E para iniciar, vamos “começar pelo começo” né? Explicar o papel da (o) pediatra na vida da criança e por que ela/ele é tão importante para o crescimento saudável da criança. Para facilitar, vou me referir à pediatra como substantivo do sexo feminino, afinal né, vamos privilegiar o sexo feminino! -) (mas lembrando que existem excelentes profissionais de ambos os sexos, e o mais importante é a confiança… vamos falar disso mais à frente!)

Ao buscar a definição no dicionário Aurélio, encontramos: “pediatra: substantivo masculino e feminino, especialista em pediatria, parte da medicina que se dedica ao estudo e tratamento de doenças que acometem crianças.” E peço permissão ao “pai dos burros” para acrescentar algo a esta definição: parte da medicina que se dedica ao estudo da saúde e tratamento de doenças.

Pediatra atendendo um bebê

Pediatra atendendo um bebê – Fonte: Freepik

Quando surgiu a pediatria?

Criado em 1880, o termo “pediatria” tem origem na junção de duas palavras gregas: paidos (criança) e iatreia (processo de cura). Os primeiros centros médicos de atendimento especializados nessa população foram criados no século 19, na Europa. No entanto, como especialidade médica a pediatria é um campo relativamente novo da medicina, tendo surgido há pouco mais de dois séculos.

Publicidade

O que faz um pediatra?

Então a pediatra é a médica que acompanha a criança desde o seu nascimento até a fase adolescente (e muitas vezes até a fase adulta hehehe). Nesse acompanhamento, a pediatra tem o privilégio de observar de perto, junto com a família, vários marcos importantes da vida desse serzinho: o primeiro sorriso, o primeiro “sentar”, as primeiras brincadeiras, a primeira papinha, os primeiros passos, a primeira escolinha… ou seja, a avaliação do crescimento e desenvolvimento da criança é uma tarefa fundamental desta especialidade.

Apesar de o mais comum serem os bebês e crianças saudáveis, que (quase) não dão trabalho hehehe, nem sempre as coisas vão às mil maravilhas… e costumo dizer que é nesse momento que uma boa pediatra faz a diferença. Muitas vezes os primeiros sinais de que algo está errado são bastante sutis, e somente um olhar cuidadoso e treinado poderia fazer um possível diagnóstico precoce de uma provável desordem na saúde da criança.

Criança no pediatra

Criança no pediatra – Fonte: Freepik

Entre as funções da pediatra, estão acompanhar o crescimento através dos gráficos de crescimento, pesar, medir, avaliar os marcos de desenvolvimento, orientações sobre aleitamento materno, introdução alimentar, dieta, vacinação, atividade física, comportamento, socialização… Desta forma, percebemos que cabe ao pediatra responder pelo cuidado dos pacientes não só para tratar as doenças, mas também para preveni-las e orientá-los na busca de práticas de uma vida saudável. Vale destacar que não existe fórmula única para o adequado acolhimento dessa população… Como já dizia a matemática, a ordem dos fatores não altera o produto hehehe.

A confiança é um pilar fundamental nesta relação entre a família / criança e a profissional.

Assim, os pediatras, ou como diriam os gregos “aqueles que curam as crianças”, têm ao longo da história do mundo e do Brasil desempenhado seu papel, com o máximo de zelo e rigor, nas diferentes faces da assistência: promoção de comportamento saudáveis, prevenção de doenças e diagnóstico e prescrição de tratamentos.

Publicidade