Leite materno para skin care: A atriz e modelo britânica viralizou na internet depois de revelar uma prática que tem tido há 5 meses, desde que virou mãe: leite materno para skincare! Segundo à entrevista que Jodie Turner-Smith concedeu à revista Vogue norte-americana, a prática tem sido revolucionária para ela. “Desde que eu tive minha filha, meu atual segredo de beleza passou a ser o fato de que eu coloco leite materno em todos os meus séruns faciais — disse ela. — Minha pele é muito sensível, uso um cleanser e, então, coloco um sérum com aloe vera e leite materno que literalmente tirei do meu peito com a mão.” explicou Jodie. 

A declaração logo virou caso de estudo e comentários na comunidade dermatológica. Afinal, será que leite materno é realmente recomendado para esse uso?

O leite materno para skincare e as práticas mais naturais de beleza

Mãe de vestido vermelho amamentando bebê pequeno. Foto: Freepik

Não é novidade que a indústria da beleza tem procurado por opções mais naturais, orgânicas e menos agressivas para o meio-ambiente. Mas, é importante entender até que ponto elas são benéficas para a natureza e para nossa pele. 

Publicidade

O leite materno, de fato, possui diversas substâncias benéficas como células tronco, bactérias probióticas, células de defesa como imunoglobulinas, leucócitos, ácido láctico e aminoácidos, que ajudam na hidratação e na formação de moléculas de proteína. Entretanto, não há estudos que comprovem essa eficácia na pele. Há pesquisas de aplicação do leite em outras partes do corpo, como na região das fraldas e na cicatrização de fissuras e rachaduras nos mamilos causadas pela própria amamentação. 

Não existe risco de contaminação? 

Leite materno para skin care

Jovem de toalha na cabeça apontando ponto vermelhos no rosto. Foto: Freepik

Esse é outro fator importante. O leite materno, de maneira “estética”, deve ser usado apenas por quem o produziu, ou seja, a mãe. Uma vez que o leite é vetor de transmissão de doenças como HIV

Os dermatólogos não recomendam o procedimento, já que ainda não há dados o bastante que comprovem a eficácia do leite materno na rotina de skincare. Mas reforçam que a escolha também fica a critério da paciente. Porém, caso a pele apresente alguma irritação, sensibilidade ou doença, é melhor evitar o leite materno e procurar um dermatologista para o procedimento indicado. 

Leite materno para skin care: “orgânico” que deu o que falar nas redes sociais

Leite materno para skin care

Calcinha com lantejoulas vermelhas em fundo rosa. Foto: Freepik

Um mês antes de Jodie contar sobre o uso de leite materno para os cuidados com a pele do rosto, a jornalista Luisa Moraleida foi alvo de uma polêmica parecida. Ao postar uma foto com o rosto avermelhado, Luisa esclareceu que usa de sangue menstrual para fazer um ritual de reconexão com o corpo e beneficiar a pele. Na legenda da imagem, Moraleida promete que a prática é o segredo para ter a tão querida “pele de bebê” e conta que o fluído é “regenerador, rejuvenescedor e fonte riquíssima de minerais e nutrientes”. 

Publicidade

Na visão das dermatologistas e ginecologistas, a prática é interessante por desmistificar o sangue. Afinal, a menstruação é um processo natural em que diversas e milhares de mulheres passam mensalmente. O sangue, visto como algo “nojento” ou “impróprio” é visto com olhos de carinho em rituais como esse feito pela Luisa. É uma maneira das mulheres se aproximarem com sua própria natureza. 

Assim como o leite materno, o sangue menstrual não é sujo. Pelo contrário, tem potencial imunológico, regenerativo, e grande concentração de células-tronco. Porém, no mesmo caminho do leite, não há registros de que o sangue consiga passar esses benefícios para a pele facial. Uma vez que o sangue é limpo, mas a vagina é rica em fungos e bactérias que, em contato com a pele do rosto, podem causar num processo infeccioso. 

Enquanto isso, as praticantes defendem que a história com o sangue vem de longa data. Registros mostram que há relatos de povos da América em rituais com menstruação, onde o sangue era lançado a terra, usado no corpo, no rosto, em pinturas e para traçar conexões com o sagrado feminino e as fases da Lua. 

E você? Já testou ou teria coragem de tentar algum desses procedimentos mais naturais? Caso não seja seu foco, mais ainda queira algo mais orgânico para a rotina de skincare, as dermatologistas recomendam Vitamina C, chá verde, camomila, aloe vera e argilas naturais! Vale desde investir nas máscaras prontas, quanto descobrir novas receitas caseiras. Mas, é claro, sempre com a recomendação e o acompanhamento de um dermatologista de confiança. Uma pele irritada e doente pode sofrer muito com os estímulos errados!