Os minerais e vitaminas são muito importantes, especialmente na primeira metade da gravidez. Suas concentrações sanguíneas geralmente diminuem com o progresso da gravidez.

Mulher grávida

Mulher grávida – Foto: Freepik

Os micronutrientes previnem o estresse oxidativo, reduzindo o risco de aborto espontâneo e pré-eclâmpsia. Aqui estão os principais micronutrientes a serem ingeridos durante a gravidez e as doses diárias recomendadas.

1 – Cálcio

Cálcio

Leite e Queijo e Cálcio – Foto: Freepik

Publicidade

Antes de tudo, como principal componente dos ossos e dentes, o cálcio também desempenha um papel fundamental na coagulação do sangue, mantendo a pressão arterial e a contração muscular, incluindo o coração.

É essencial durante a gravidez porque previne a hipertensão e suas complicações, promove a ingestão de cálcio do futuro leite materno e contribui totalmente para o desenvolvimento do esqueleto e dos futuros dentes do bebê.

Assim, para se abastecer de cálcio, nada melhor que os laticínios:

  • leite,
  • queijo suíço,
  • iogurtes,
  • sobremesas lácteas.

2 – Ferro

Ferro

Grãos de Ferro – Foto: Freepik

Antes de tudo, o ferro é essencial para a formação de glóbulos vermelhos no sangue e para o transporte de oxigênio, este é um dos minerais também desempenha um papel fundamental na produção de novas células, hormônios e neurotransmissores (mensageiros dos impulsos nervosos). Cada célula do seu corpo contém ferro.

Além disso, a ingestão de ferro deve ser suficiente, especialmente no final da gravidez porque uma deficiência pode levar a uma diminuição dos glóbulos vermelhos, causando anemia. Isso aumentaria o risco de prematuridade e baixo peso do bebê.

Publicidade

Assim, você encontrará a ingestão de ferro em:

  • ovos;
  • peixes;
  • carnes;
  • vegetais secos (lentilhas, feijão branco, grão de bico …) ou frescos (brócolis, espinafre …).
  • Aposte também pelo menos duas vezes por semana em peixes (atum, sardinha…).

Mas não se esqueça de consumir frutas ricas em vitamina C (limão, laranja, kiwi …). Esta vitamina permite a absorção do ferro.

A dosagem de ferro é monitorada regularmente durante a gravidez. A suplementação pode ser prescrita pela parteira ou pelo obstetra, quando for insuficiente.

Veja também: Alimentação da grávida vegana: dicas importantes para colocar em prática

3 – Magnésio

Magnésio

Magnésio – Foto: Freepik

Esse é um dos minerais que é decisivo em todas as células. Portanto, é fundamental para o bom andamento da gravidez.

Publicidade

Assim, além de fortes cãibras musculares, consequente constipação, a deficiência de magnésio pode desencadear, entre outras coisas em contrações uterinas significativas e risco de parto prematuro.

Alimentos que contém magnésio:

  • Grãos integrais;
  • Chocolate amargo;
  • Vegetais secos (grão de bico, feijão branco e lentilhas cozidas);
  • Amêndoas;
  • Avelãs e nozes;
  • Bananas;
  • Milho;
  • Espinafre
  • Abacate;
  • Frutas secas.

Além disso, veja também: alimentação saudável na gravidez: 5 dicas para fazer já!

4 – Iodo

Peixe

Peixe – Foto: Freepik

Indispensável, o iodo está envolvido na formação dos hormônios tireoidianos necessários ao crescimento. Assim, este oligoelemento desempenha um papel essencial para o bom funcionamento da glândula tireoide e o desenvolvimento do cérebro da criança.

Além disso, a deficiência aumenta os riscos de baixo peso ao nascer e pode causar atrasos mais ou menos graves no desenvolvimento intelectual.

A indicação dos alimentos são:

  • Mexilhões;
  • Peixes (bacalhau ou bacalhau, anchovas, sardinhas, cavala, atum, salmão);
  • Leite, laticínios e ovos são uma boa fonte.

Assim, para cozinhar e apimentar os seus pratos, opte pelo sal iodado, sem exagerar para não aumentar o risco de hipertensão!
Seu médico pode decidir prescrever uma suplementação para você.

5 – Vitamina D é importante também!

Vitamina D

Vitamina D – Foto: Freepik

A vitamina D é essencial para a utilização e fixação de cálcio e fósforo durante a calcificação óssea e dentária e a formação do esqueleto.

Ela desempenha um papel fundamental no controle do desenvolvimento do sistema imunológico e no aparecimento de doenças imunológicas.

Assim, é sintetizada na pele graças à exposição direta ao sol (80%) e em menor grau é proveniente dos alimentos (20%).

Nas mães com pouca exposição ao sol, a suplementação é necessária. Por boa exposição queremos dizer: ter os braços, pescoço e rosto livres por pelo menos 10 minutos no verão, 20 no inverno, todos os dias.

Minerais e vitaminas: 6 – Potássio

minerais e vitaminas

Cacho de Banana – Foto: Freepik

O potássio é um dos minerais que nunca deve faltar na dieta. As células contêm aproximadamente 98% do potássio do corpo.

Desempenha um papel fundamental em muitos processos fisiológicos, particularmente ao nível dos músculos e nervos, permitindo a transmissão dos impulsos nervosos; atua como regulador da pressão arterial, desempenhando um papel protetor contra hipertensão e doenças cardiovasculares e, junto com o sódio, mantém o equilíbrio de líquidos e íons no interior das células.

Está presente em muitos alimentos, principalmente vegetais e sua absorção é muito elevada.

Minerais e vitaminas: 7 – Vitamina A

minerais e vitaminas

3 Cenouras – Foto: Freepik

A vitamina A é essencial para a visão, formação de embriões, resposta imunológica e desenvolvimento e diferenciação de tecidos normais.

Em produtos de origem animal é encontrado na forma de retinol, em produtos vegetais como carotenoide.

O retinol é uma vitamina lipossolúvel e é eliminado lentamente: por esta razão, é importante consumir o fígado (principal fonte de retinol) com moderação durante a gravidez, pois é teratogênico se em excesso.

Fontes vegetais importantes ricas em carotenoides são cenoura, pimentão, tomate, damasco, melão e manga.

Minerais e vitaminas: 8 – Vitamina E

Amêndoas

Amêndoas na colher – Foto: Freepik

Geralmente, quando falamos sobre a vitamina E na nutrição, nos referimos à forma de alfa tocoferol, a mais difundida.

Mas sua principal função é antioxidante, protegendo os ácidos graxos poli-insaturados das membranas da oxidação, evitando danos às células.

Assim, interfere no correto funcionamento de várias enzimas e na regulação do ciclo celular. Boa fonte alimentar: azeite virgem extra e amêndoas.

Minerais e vitaminas: 9 – Zinco

minerais e vitaminas

Vários Legumes – Foto: Freepik

Antes de tudo, o zinco é um dos minerais essenciais para o crescimento e desenvolvimento dos ossos, músculos, órgãos sexuais e tireoide, e para o funcionamento do sistema imunológico fetal e de mais de 200 enzimas.

Assim, ele intervém nos mecanismos de replicação do DNA e do RNA e influencia positivamente a fertilidade, protegendo o fluido seminal de infecções e intervindo na mobilidade dos espermatozoides.

Mas os baixos níveis de zinco podem levar a déficits motores no bebê. Então durante a gravidez e a amamentação, sua necessidade aumenta ligeiramente de 9 mg/dia para 11-12 para lidar com o aumento da demanda. Presente em carnes, peixes, leite, ovos e legumes.

Minerais e vitaminas: 10 – Fósforo

minerais e vitaminas

Pedaços de Queijo – Foto: Freepik

Antes de tudo, o fósforo é um constituinte fundamental do tecido ósseo permitindo, juntamente com o cálcio, a mineralização óssea e dentária.

É essencial para os processos de fornecimento de energia (ATP) e transporte de nutrientes. Sua deficiência é rara, pois é um dos minerais presente tanto em alimentos de origem animal quanto vegetal (cereais, farinhas integrais, ovos, legumes, peixes, leite, queijo e carnes).

Assim, durante a gravidez e a amamentação sua necessidade é de 700 mg/dia: para garantir o desenvolvimento adequado do feto, o organismo melhora sua absorção e reduz sua eliminação pela urina.