As contrações na gravidez podem trazer muitas dúvidas, especialmente para as mamães de primeira viagem ou mulheres que já engravidaram, porém, optaram pela cesária na primeira gestação.

Da mesma forma, o medo e os mitos envolvidos com as dores da contração fazem com que muitas mães deixem de escolher o parto normal, acreditando não “suportar” a dor.

Pensando nestes dois cenários, elaboramos este conteúdo para que você conheça 5 fatos sobre as contrações na gravidez. Entenda como ela começa, quais são os principais tipos e quando você deve ir até o hospital.

Para ler mais tarde: Teste online de gravidez: Por que as mulheres estão optando por fazer?

Publicidade
contrações na gravidez

Gestante sentada sobre a cama. Foto: Freepik

Contrações na gravidez: 5 fatos sobre as contrações na gravidez

As contrações na gravidez podem começar a aparecer com certa antecedência ao trabalho de parto. Isso se deve ao fato de que o corpo da mulher precisa se adaptar e se preparar para o grande momento do nascimento. Por isso é muito comum que a mulher comece a sentir dores (semelhante à cólicas menstruais) cerca de duas semanas antes do nascimento do bebê.

Além disso, existem outros fatos envolvidos com o delicado momento da contração, que destacaremos na nossa lista a seguir:

#1- Existem dois tipos de contrações: A de trabalho de parto e as contrações de treinamento (Braxton Hicks)

Primordialmente, podemos dizer que existem dois principais tipos de contrações na gravidez: aquelas que acontecem no momento em que a mulher entra em trabalho de parto, e as contrações de treinamento, também chamadas de Braxton Hicks. Veja as características de cada uma delas:

  • Contrações de Braxton Hicks: São muito semelhantes às contrações que acontecem no momento do parto. Entretanto, essa contração não dilata o útero, criando um alarme falso que, muitas vezes, pode levar a mulher ao hospital, uma vez que é difícil identificar, por si só, se a mulher está em trabalho de parto ou não.
    A dor costuma aparecer no abdômen ou na virilha, diferente do que acontece na contração de trabalho de parto, que se inicia nas costas. Um banho quente e beber bastante líquido pode ajudar a aliviar a dor.
  • Contrações de trabalho de parto: As contrações de trabalho de parto, no entanto, vão aumentando a frequência a medida em que aparecem. No começo, duram 25 segundos e ocorrem a cada 30 minutos, mais ou menos. Depois, a cada 20 minutos, e assim por diante. Além disso, a dor inicia na lombar, irradiando pela barriga da mulher.
contrações na gravidez

Mulher em trabalho de parto com o marido ao lado. Foto: Freepik

Importante: Devemos considerar que no caso de contrações intensas, antes da 37ª semana, é preciso buscar auxílio médico, pois o parto prematuro é uma realidade de diversas mulheres e a melhor decisão é averiguar a situação. Afinal, é um pouco difícil diferenciar as contrações de parto das contrações de Braxton Hicks.

Publicidade

Veja também: Contrações de treinamento: quais são os sintomas?

#2- As contrações pré-parto podem iniciar duas semanas antes do trabalho de parto

As dores causadas pelas contrações pré-parto costumam ser mais intensas do que as de treinamento. Elas começam a aparecer cerca de duas semanas antes do nascimento do bebê, indicando que o trabalho de parto começará em breve.

Essa contração tem por objetivo preparar o colo do útero para o grande momento, apresentando uma frequência ligeiramente regular. No entanto, a intensidade da dor ainda não é a mesma do que o desconforto sentido durante o trabalho de parto.

Por isso, ela pode ser percebida até duas semanas antes do parto, mas na medida em que o dia se aproxima, a mulher poderá perceber um desconforto ascendente. No dia do parto, no entanto, as contrações serão mais recorrentes (a cada 30 minutos, inicialmente) e a dor tende a ser um pouco mais intensa do que ambas as contrações de treinamento anteriormente sentidas.

contrações na gravidez

Mulher grávida acariciando a sua barriga. Foto: Freepik

Contrações na gravidez – #3- A contração se assemelha a dor de uma cólica menstrual

Outra dúvida muito recorrente sobre as contrações na gravidez é com relação à sensação que a dor provoca no corpo da mulher.

Publicidade

Para as que são mais sensíveis à dor, esse assunto tende a ser o mais delicado e o que mais leva mulheres à escolherem a cesária, no lugar do parto normal.

No entanto, para desmistificar isso, imagine que as cólicas menstruais são bem semelhantes às dores causadas pelo trabalho de parto. O desconforto irá iniciar na região lombar e se estender até a barriga da mulher, causando uma sensação bem parecida com a que sentimos quando estamos menstruadas.

Além da questão relacionada à dor, outro fator muito discutido é sobre os intervalos que acontecem entre uma contração e outra. Primeiro, as contrações aparecem a cada 30 ou 20 minutos. Na medida em que a hora do parto se aproxima, os intervalos podem chegar à 5 e 3 minutos. Além disso, quanto mais perto do nascimento, mais prolongada e dolorida é a contração.

Embora a intensidade da dor é o assusta algumas mulheres, lembre-se de que o corpo da mulher é forte o bastante para suportar esse tipo de dor e, portanto, você pode ter a capacidade de viver um parto humanizado.

Leia também: Fertilidade após os 30 anos: Confira 5 dicas para aumentar a sua

Gestante acariciando a barriga. Foto: Freepik

#4- Na medida em que o parto se aproxima, o intervalo entre as contrações diminuem

Como mencionamos acima, os intervalos entre as contrações tendem a ser cada vez menores, na medida em que o parto se aproxima. Sendo assim, primeiramente as dores serão sentidas a cada 30 minutos. Depois, a cada 20. Em instantes antes do parto, os intervalos chegam a ser de apenas 5 ou 3 minutos.

Por isso é muito importante monitorar a recorrência e a regularidade das contrações. Isso dará muito mais subsídios para saber o momento ideal para ir até o hospital. Discutiremos mais sobre isso no tópico abaixo.

Contrações na gravidez – #5- Quando as contrações estão no começo, o ideal é que a mulher aguarde em casa

Dentre os fatos sobre as contrações na gravidez que já citamos até aqui, podemos mencionar também a importância de acompanhar os intervalos entre cada episódio, a fim de reconhecer o melhor momento de ir para o hospital.

Gestante tendo contrações. Foto: Freepik

Dessa maneira, tenha em mente que ao primeiro sinal de contração não há a real necessidade de querer se internar. É claro que se você possui uma gravidez de risco deverá conversar com o seu médico a respeito disso. Porém, o que estamos querendo dizer é que se você é saudável e está apenas sentindo as contrações a cada 30 minutos, não há necessidade de já ir para o hospital.

Afinal, se você for logo no começo, pode acabar ocupando um leito sem a necessidade real. Assim sendo, especialistas no assunto recomendam que você vá ao hospital a partir do momento em que as contrações forem mais constantes e prolongadas, durando cerca de 45 segundos e acontecendo a cada 10 ou 5 minutos, por exemplo.

Leia agora: Barriga pós-parto: dicas para voltar a boa forma com saúde