O aborto espontâneo, ocorre na hipótese de morte não induzida do embrião antes da vigésima semana de gestação, ou seja, antes que o feto seja hipoteticamente capaz de sobreviver no caso de parto prematuro. Mas quais os sintomas de aborto?

O aborto espontâneo continua sendo um tópico muito delicado sobre o qual muitos evitam falar, porém muitas mulheres sofrem com este problema, um evento que geralmente deixa consequências negativas, especialmente emocionais.

Entre as mulheres que sabem que estão grávidas, cerca de 10 a 15% sofrem um aborto espontâneo. No entanto, estima-se que a taxa de seja significativamente maior. Além disso, muitas mulheres abortam antes mesmo de perceberem que estavam grávidas. Mas por que isso acontece e quais são os sintomas de aborto?

Sintomas de aborto

Dor de cabeça – Foto: Freepik

Publicidade

O aborto espontâneo pode ser precedido e anunciado por vários sintomas. Se um desses sinais ocorrer, é sempre aconselhável entrar em contato com o médico para avaliar o estado geral de saúde da paciente e do feto e excluir a possibilidade de interrupção da gravidez.

Desse ponto de vista, o sintoma mais característico é representado pelo sangramento vaginal, que pode ocorrer de maneira variável: da mancha rosa até uma perda mais abundante e constante.

Os traços de sangue também podem ter uma tendência alternada e se apresentar por vários dias. O sangramento, no entanto, não está necessariamente relacionado a uma interrupção da gravidez e, por esse motivo, é aconselhável ir imediatamente ao ginecologista para verificar qual pode ser a causa.

Aborto espontâneo também pode se manifestar através da perda de líquidos e tecidos da vagina. Entre outros sintomas, também é possível incluir a presença de cólicas, dores nas costas, contrações dolorosas e a súbita redução dos sinais normalmente associados a uma gravidez em andamento.

Sintomas  de aborto – Semanas 2 a 4

Nas primeiras semanas após a concepção, a maioria das mulheres nem sabe que está grávida, pois apenas um teste de gravidez muito sensível detectará uma gravidez tão cedo.

Um aborto nesse período inicial costuma ser chamado de gravidez “química” e, às vezes, passa despercebido. As gestações “químicas” são frequentemente confundidas com um ciclo menstrual regular que pode ocorrer mais cedo ou mais tarde do que o esperado, com sangramentos e cólicas semelhantes ao habitual.

Publicidade

Um aborto espontâneo nas primeiras semanas geralmente é a consequência de uma gravidez anembrionária, ou seja, a consequência de um óvulo fertilizado que é implantado corretamente no útero, mas que, no entanto, não se torna um embrião. É um evento que, na maioria dos casos, é imprevisível e inevitável.

Sintomas de aborto – Semanas 4 a 12

feto 12 semanas

Foto: Dreamtime

Durante o primeiro trimestre da gravidez, os sintomas do aborto espontâneo permanecem os mesmos. O sintoma mais típico de um aborto espontâneo iminente é um certo grau de sangramento que pode variar de leve a forte.

A cor do sangue pode ser marrom, rosa ou vermelha brilhante ou escura e pode incluir alguns pedaços de pele. Quanto mais pesado o sangramento, maior a probabilidade de um aborto espontâneo.

Também pode haver cólicas na região abdominal ou pélvica, além de dores nas costas. A dor também pode irradiar pelas pernas.

A severidade do sangramento e cólicas está relacionada à duração da gravidez. Após um aborto, pode ocorrer que quaisquer sintomas que marcaram a gravidez (sensibilidade mamária, fadiga, náusea e mais) desaparecem porque os níveis hormonais estão diminuindo.

Publicidade

Sintomas de aborto – Semanas 12 a 22

Uma vez no segundo trimestre, os sintomas do aborto podem incluir pressão pélvica e secreções mucosas, mesmo que os principais sintomas sejam sangramento e cólica.

O que pode causar o aborto?

Dor Barriga – Foto: Freepik

Durante o segundo trimestre, os problemas de saúde materna representam o maior risco de aborto espontâneo, por exemplo:

  • Diabetes
  • Pressão alta
  • Lúpus
  • Doença renal
  • Hipotireoidismo ou hipertireoidismo
  • Infecções
  • Rubéola
  • Citomegalovírus
  • Vaginose bacteriana
  • HIV
  • Clamídia
  • Gonorreia
  • Sífilis
  • Malária
  • Toxoplasmose
  • Medicamentos (incluindo anti-inflamatórios)
  • Anomalias do útero (por exemplo, na presença de miomas

Fatores que NÃO causam aborto

  • Condição emocional da mãe durante a gravidez
  • Susto
  • Atividade física moderada
  • Trabalhar
  • Relações sexuais
  • Vôos aéreos

Quanto tempo leva para se recuperar de um aborto?

Dor de cabela – Foto: Freepik

Fisicamente, pode levar de algumas semanas a um mês ou mais para que seu corpo se recupere. Depende de quanto tempo você esteve na gravidez antes do aborto.

Os hormônios da gravidez podem durar no sangue por alguns meses após o aborto, e você terá seu período normal em quatro a seis semanas. Você deve evitar usar absorvente interno ou fazer sexo por cerca de duas semanas após o aborto.

Emocionalmente, pode levar mais tempo para se recuperar. Toda a experiência pode deixá-la confusa ou com raiva. Eu particularmente, já passei por isso e sei o quanto é importante o apoio da família e dos amigos. Evite ficar sozinha e mantenha-se ocupada.

Agora que você já conhece quais os sintomas de aborto, conte-nos abaixo se já passou por isso e como conseguiu superar!