Com temperaturas mais baixas, não é apenas a pele dos adultos que sente a diferença. O friozinho também expõe a pele do bebê e das crianças a diversos problemas. O ressecamento da cútis pode gerar episódios de feridas, dermatites atópicas ou seborreicas, alergias e coceiras. Por isso, o cuidado e a atenção devem ser redobrados nessa época do ano. Inclusive, vale a visita a um dermatologista! Evite administrar produtos dermatológicos e invasivos na criança sem o aval de um especialista. 

Afinal, todo mundo quer a famosa pele de bebê né? Mas até eles precisam se cuidar. Abaixo, confira algumas dicas para esse skincare. 

 

Tecidos e acessórios que podem afetar a pele do bebê 

Bebê deitado na cama com roupas em volta. Foto: Freepik

Publicidade

Quem já teve aquele suéter que pinica, levanta a mão! Pois bem, alguns tecidos como a lã ou detalhes como botões muito grandes ou etiquetas ásperas podem piorar o quadro de uma irritação na pele do bebê já causada pelo frio. Por isso, recomenda-se tecidos mais maleáveis e menos abrasivos como o algodão. O mesmo vale para paninhos de boca, toalhas de banho e lençóis. 

O cuidado segue para a hora da lavanderia – e isso vale mesmo no verão, viu? Prefira fazer a higiene das roupas com produtos mais orgânicos como sabão de glicerina ou de coco. Evite o uso de rótulos extremamente perfumados ou industrializados. Como a pele do bebê ainda não está completamente formada, esse tipo de produtos podem desenvolver alergias, infecções e até uma intoxicação do pequeno. 

 

Olho na temperatura do banho

Claro que um banho quentinho no inverno é tudo de bom, masss esse quentinho tem limite. Banhos excessivamente quentes (isso serve para qualquer estação do ano e qualquer idade) danificam a pele e podem deixá-la ainda mais ressecada. O ideal é encontrar uma temperatura morna ideal e também não abusar do tempo que se passa debaixo do chuveiro. Sobre os itens do banho, descarte as buchas e esponjas e dê preferência a sabonetes líquidos com pH próximo ao 5,4 e 5,6 que é o mesmo valor do número na pele humana.  

Uma boa tática para reduzir o tempo é deixar todos os itens à mão, do sabonete, aos brinquedinhos do banho, até a meia que vai vestir, tudo deve estar já no banheiro para agilizar o processo ao máximo. 

 

Publicidade

Gorro, duas calças, três camisetas, luvas e duas meias, precisa de tudo? 

Bebê muito agasalhado. Foto: Freepik

O recomendado é que os pequenos estejam com apenas uma peça de roupa a mais que os adultos. Mesmo que o medo de ver o pequeno passando frio seja real, melhor optar por agasalhos únicos que cumpram bem sua função com conforto (lembrando da dica sobre os tecidos irritáveis), locais de perda de calor (mãos, cabeça e pés)  e ficar de olho em como a criança está se sentindo. A vermelhidão e o suor excessivo, embaixo de muitos agasalhos, pode causar aquelas famosas bolinhas avermelhadas de calor no corpo inteiro chamadas brotoejas

 

Hidratante e protetor solar, aliados no ano inteiro

Pode, sim, passar hidratante nos pequenos. Mas, a loção deve ser recomendada por um dermatologista. Nada de comprar a primeira que ver na farmácia, pois existem produtos no mercado específicos para cada idade, tipo de pele e problemas cutâneos. A avaliação do médico especialista permite que o tratamento seja feito da maneira correta e suprindo as necessidades da cútis do pequeno, sem correr riscos de ter efeitos alérgicos, de rebote ou hidratação superficial. A pele é o maior órgão do corpo, então merece cuidado!

O mesmo vale para o protetor solar. A recomendação do médico ajuda que na hora de escolher o produto, o eleito seja um rótulo realmente eficaz e capaz de proteger os pequenos. Mesmo nublado, a pele é atingida por raios solares VA e VB. 

 

Publicidade

Friozinho e a temida troca de fraldas 

Bebê deitado de gorro e cobertor. Foto: Freepik

Esse momento pode ser de ansiedade para muitos pais, expor o pequeno ao troca-fraldas em meio a tanto frio. Porém, por causa da temperatura, é preciso trocar as fraldas com uma frequência ainda maior, mesmo que tenha “só” xixi. A pele debaixo da fralda fica abafada e a falta da troca frequente pode acarretar problemas como dermatites de contato ou fúngica. 

Na hora de fazer essa higiene, a dica é manter um aquecedor elétrico pequenininho (ou ar condicionado) no local onde será feito a troca, porque ele ajudar a manter uma temperatura agradável para o bebê. Prefira também produtos mais naturais como algodão e água morna. 

 

Sono da beleza

O pequeno aquecedor (ou ar condicionado) pode ser ligado no quarto pouco antes do bebê dormir também. A temperatura ideal fica entre 23°C e 26°C e deve ser combinada com um pijama quentinho, caso a criança se descubra durante a noite.

Evite cobertores em excesso e lembra-se de desligar o aquecedor ou ar condicionado antes de dormir! Deixe-o apenas para aquecer o quarto antes do bebê deitar. 

 

Anotado? Alguns desses cuidados são válidos até para os adultos, que durante o inverno também sentem os reflexos da pele ressacada. Não se esqueça de combinar essas dicas com uma alimentação nutritiva e variada e, claro, muita água!