Muita gente sofre com problemas que afetam a pele e que geram coceira intensa, podendo até causar ferimentos. Apesar de ser comum, a ação de coçar pode indicar alguma doença mais séria. Vamos entender mais sobre a coceira no peito!

Qualquer tipo de irritação na pele pode causar coceira, sendo comum que aconteça por uma alergia.

Algumas das causas mais comuns incluem:

  • Calor ou suor excessivo;
  • Picada de inseto;
  • Tecidos, cosméticos, como sabonetes, cremes e xampus, ou produtos de limpeza;
  • Pelos de animais ou plantas;
  • Alimentos;
  • Reação alérgica a medicamentos;
  • Poeira ou ácaros de roupas, livros e estofados.

Coceira no peito?

coceira no peito

coceira no peito – Foto: Freepik

Publicidade

A coceira no peito é algo bem comum na vida da mulher, mas nem sempre deve ser considerada normal.

Geralmente, acontece por causa de um sutiã novo ou mudança de sabonete, por exemplo. E, entre os problemas de saúde, a causa mais provável é um eczema ou algum tipo de condição da pele.

Existem algumas condições de saúde que têm como sintoma coceira persistente nos peitos.

Eczema

É um tipo de irritação da pele caracterizada por coceira, pele áspera, seca e inflamada. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, pode ser crônica ou aguda e em diferentes partes do corpo.

É importante verificar a causa para conseguir realizar o tratamento adequado e não evoluir para lesões mais graves.

Doença de Paget

Esta condição é um tipo raro de câncer que afeta a pele do mamilo e muitas vezes a aréola. Ela preocupa muitos especialistas pois é facilmente confundida com uma alergia dermatológica.

Publicidade

A coceira geralmente é o primeiro sinal da doença. Mas depois podem surgir secreções no mamilo, a área pode ficar vermelha, , áspera e descamar, e o mamilo fica mais achatado.

Mastite

É uma inflamação das glândulas mamárias muito comum em mulheres que amamentam e que pode ser acompanhada de infecção. Os sintomas mais comuns são inchaço, vermelhidão e dor, mas pode provocar coceira e febre também.

Câncer de mama pode causar coceira?

dor no bco do peito

Dor no bico do peito – foto: Freepik

O câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo e o mais comum entre as mulheres. No Brasil, a estimativa em 2012 foi de aproximadamente 50 mil novos casos. Se diagnosticado precocemente e tratado, seu prognóstico é relativamente bom.

Os sinais do câncer vão além da presença de um nódulo na mama, podendo se apresentar das seguintes formas:

  • Alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações, inclusive no mamilo, com aspecto semelhante à casca de laranja;
  • Coceiras e vermelhões, que devem ser avaliados;
  • Secreção pelo mamilo com sangue ou secreção mais clara também é um sinal de alerta;
  • Há o sintoma do câncer palpável, que é o nódulo no seio, acompanhado ou não de dor;
  • Podem também surgir nódulos palpáveis nas axilas.

Lembre-se de que nem sempre essas alterações são sinais de câncer de mama. Por exemplo, a causa mais comum de dor no peito são as mudanças hormonais que ocorrem durante o ciclo menstrual de uma mulher.

Publicidade

Coceira no peito também pode ser Zika

Quando nos coçamos, os receptores da pele que levam à sensação de coceira para o cérebro ficam hipersensíveis e acabam liberando ainda mais histamina. Assim, sentimos ainda mais coceira e vira círculo vicioso.

Bico do peito dolorido

Bico do peito dolorido – Foto: Freepik

Sempre que a sensação de coceira aparecer, podemos até dar uma coçadinha, mas é sempre melhor tentar evitar, já que esfregar os dedos contra a pele em excesso pode provocar uma lesão ou até agravar alguma já existente.

Além das doenças de pele, é possível que as coceiras sejam também sintomas de outras enfermidades.

  • Infecções virais, como Dengue, Zika, catapora ou que causam alterações na circulação e imunidade, provocando coceira;
  • Doenças das vias biliares, causadas por doenças como Hepatite B e C, cirrose biliar primária, carcinoma de ductos biliares, cirrose alcoólica e hepatite autoimune, por exemplo;
  • Insuficiência renal crônica;
  • Neuropatias, causadas por diabetes, AVC ou esclerose múltipla, por exemplo;
  • Doenças endocrinológicas, como hipertireoidismo, diabetes ou mastocitose;
  • HIV, tanto devido à infecções da pele, como por alterações imunes que podem surgir;
  • Doenças hematológicas, como anemia, policitemia vera ou linfoma.

Coceira no peito pode ser coisa da minha cabeça?

Mulher com soluço na gravidez

Mulher com soluço na gravidez – Foto: Freepik

A coceira de origem psicológica, também chamada de prurido psicogênico, é suspeitada quando não se consegue encontrar a causa da coceira mesmo após investigação médica detalhada e demorada, com exames e avaliações físicas.

Este tipo de coceira pode surgir em pessoas que apresentam doenças como:

  • Depressão;
  • Transtorno bipolar;
  • Ansiedade;
  • Distúrbio obsessivo-compulsivo;
  • Distúrbios alimentares;
  • Dependência de drogas ou distúrbios da personalidade.

Algumas vezes, o sintoma é tão intenso, que a pessoa pode viver com lesões na pele causada pela coceira.

Coceira no peito durante a gravidez

Durante a gravidez, a gestante sofre alterações em seu corpo e naturalmente fica com a pele mais seca, o que pode provocar coceira.

Além disso, existem alguns problemas de pele que podem surgir ou agravar neste período, como o prurido gestacional, causado por alteração das vias biliares, ou outras dermatoses como urticárias, dermatose papular ou penfigóide gestacional, por exemplo.

seios mudam na gravidez

seios mudam na gravidez – Foto: Freepik

Assim, caso a coceira seja persistente, e não alivie com a hidratação ou retirada de possíveis situações que possam causar alergia, como novos cosméticos ou produtos de limpeza, é recomendado se consultar com o obstetra ou dermatologista, para avaliar as possíveis causas e indicar o tratamento correto.

O tratamento da coceira irá depender muito de cada caso. O correto é procurar um médico, seja clínico geral, dermatologista ou alergista, para que ele realize todos os exames e descubra as causas e o que deve ser evitado.

No geral, para diminuir as coceiras é válido tomar banhos com água mais fria, a água quente piora as alergias.

Evite coçar a pele, remédios e pomadas antialérgicas ajudam a amenizar o incômodo, porém precisam de prescrição médica.

Entendendo a coceira

Ninguém sabe precisamente como a coceira funciona. Ao longo de quase toda a história da medicina, a maioria dos cientistas achava que o prurido não passava de uma forma atenuada de dor.

E então, em 1987, o pesquisador alemão H. O. Handwerker e seus colegas usaram estímulos elétricos fracos, na pele de voluntários, para introduzir histamina, substância que produz coceira e que o corpo libera durante as reações alérgicas.

À medida que os pesquisadores aumentavam as doses de histamina, conseguiram intensificar a coceira relatada pelos voluntários, que passava de “apenas perceptível” a “máxima imaginável”.

Ainda assim, nenhum dos voluntários sentiu aumento de dor. A conclusão foi que coceira e dor são sensações totalmente independentes, transmitidas por conexões neuronais diferentes.