Neste artigo, conheça quais são os sintomas do ciclo menstrual, que acontece mensalmente e faz parte do ciclo reprodutivo da mulher.

Mas o que seria a menstruação exatamente? Todos os meses, o útero prepara um revestimento interno, chamado endométrio, para aninhar o embrião (óvulo fecundado).

Quando a fecundação não ocorre, esse tecido é descartado. Aí vem a menstruação, que nada mais é do que uma descamação do endométrio, que era para ser uma “casinha” para a gravidez.

Em outras palavras, a menstruação é o fim do ciclo reprodutivo.

Publicidade

Conheça os sintomas do ciclo menstrual

sintomas do ciclo menstrual

Mulher branca de cabelos castanhos está em pé, com as duas mãos em sua barriga. Sua expressão indica desconforto na região. Fundo rosa. Crédito da foto: Freepik

A menstruação pode trazer uma série de desconfortos no corpo da mulher, podendo até mesmo atrapalhar as atividades do seu dia a dia.

Muito mais do que cólicas, alteração no apetite e outros sintomas físicos, as alterações químicas que ocorrem durante todo o ciclo menstrual são capazes de afetar nossas emoções.

Inclusive, interferir na capacidade de concentração, raciocínio e convívio social. Veja os principais sintomas:

  • Inchaço abdominal;
  • Retenção de líquidos;
  • Mudanças de humor;
  • Indisposição;
  • Náusea;
  • Intestino solto;
  • Mal-estar geral;
  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Sensibilidade;
  • Dor nas costas;
  • Cólicas que podem ser extremas.

Além desses sintomas, há também os sintomas da TPM (tensão pré-menstrual). Eles vêm cerca de uma semana antes da menstruação, persistindo até o terceiro dia depois do sangramento. Entre os sintomas mais comuns estão:

  • Irritabilidade;
  • Depressão;
  • Tristeza;
  • Crises de choro;
  • Pouco ou muito sono;
  • Dificuldade de concentração;
  • Raciocínio lento;
  • Desinteresse em atividades cotidianas;
  • Cansaço físico e mental;
  • Falta de energia;
  • Ansiedade.

O que fazer para melhorar os sintomas do ciclo menstrual?

sintomas do ciclo menstrual

Mulher deitada com bolsa de água quente na região da barriga. Crédito da foto: Freepik

Publicidade

Normalmente, o ciclo menstrual dura de 3 a 7 dias. Porém, os desconfortos felizmente duram menos. Quase sempre, os sintomas são mais fortes nos dois ou três primeiros dias.

Veja o que fazer para melhorar a cólica menstrual:

Calor local

O uso de bolsa de água quente ajuda a aliviar a dor. Esta é uma técnica bastante antiga, mas também muito eficaz que ajuda a relaxar os músculos da região abdominal e aliviar as dores da cólica.

Para fazer esta técnica basta colocar uma bolsa de água morna ou compressas mornas sobre o abdômen, no local das cólicas e deixar por 10 a 15 minutos. Caso a bolsa esteja muito quente, deve-se deixar esfriar um pouco e proteger a pele do contato direto, colocando uma roupa, ou um pano, entre a bolsa e a pele.

Faça exercícios físicos

Por incrível que pareça, fazer exercícios físicos ajuda na cólica! Alguns exercícios que ajudam a diminuir a dor das cólicas menstruais são:

  • Exercício 1: deitar de barriga para cima e levar os joelhos ao peito, segurando as pernas com as mãos;
  • Exercício 2: deitada de barriga para cima, juntar os pés e puxá-los o mais próximo dos glúteos, abrindo as pernas para fora.

Além disso, fazer exercício físico regular libera endorfinas, que agem como um analgésico natural e que melhoram o humor.

Publicidade

Por isso, praticar exercício físico regularmente como caminhadas, natação, aeróbico, yoga ou ciclismo pode ajudar a prevenir ou reduzir as cólicas menstruais.

Beba chá

Uma das formas de aliviar a irritação é por meio do consumo de chás e sucos com propriedades calmantes e ansiolíticas, como o suco de maracujá ou os chás de camomila, erva-doce, hortelã, lavanda, agoniada, alecrim, algodoeiro, valeriana, erva de São João, hortelã e dong quai.

Resumindo, existem várias opções de plantas que possuem efeito antiespasmódico, analgésico, relaxante, calmante e anti-inflamatório.

Cuidado com a alimentação

Algumas mulheres relatam também que sentem mais fome durante a TPM e, por isso, uma forma de diminuir a fome excessiva é dando preferência a alimentos que são ricos em fibras, pois aumentam a sensação de saciedade e, consequentemente, a vontade de comer.

Além disso, prefira o consumo de alimentos quentes, como chás e sopas. Nada de alimentos crus e frios, pois estes pioram a dor!

Evite sorvete, cafeína, doces e alimentos gordurosos, pois eles aumentam ainda mais a retenção de líquidos e pioram as cólicas. Aposte em frutas e legumes.

Descanse

Para aliviar a dor de cabeça que pode surgir na TPM, o mais recomendado é que a mulher relaxe e descanse, pois assim é possível que a dor diminua de intensidade.

Massagens

Além disso, outra forma que ajuda a aliviar a dor de cabeça na TPM é a massagem na cabeça, que consiste em pressionar o local da dor e realizar movimentos circulares.
Se a dor for no ventre, faça uma massagem básica na região abdominal abaixo do umbigo, na linha média, como se estivesse palpando o útero. Utilize o dedo polegar e massageie em movimento circular e no sentido horário (para ativar as energias) por cerca de dez minutos.

Em um fundo rosa, um absorvente branco aberto e em cima dele, uma flor cor-de-rosa. Ao lado, um coletor menstrual rosa com flores cor-de-rosa dentro. E ao lado, mais acima, um absorvente interno branco. Crédito da foto: Freepik

Essa fase, conhecida também como lútea, é a mais chata de todas. É a última de três que formam esse ciclo. Além dela, existem também: a fase folicular e a ovulatória.

Quer saber um pouco mais sobre elas? Então veja a seguir como a mente e corpo da mulher se comportam em cada uma das fases do ciclo menstrual:

Sintomas do ciclo menstrual – Fase folicular

Conhecida como a fase do “sentir-se bem”, a fase folicular é a primeira do seu ciclo e dura entre 10 e 14 dias.

Nesse período, o hormônio estradiol começa a subir e o hormônio folículo-estimulante (FSH) é secretado, estimulando a produção de folículos nos ovários que contêm óvulos.

Provavelmente, este será o seu momento “feliz” do mês, já que emocionalmente falando essas duas são geralmente boas.

A atividade cerebral é positivo nesse momento, com a mulher mais estimulada a trabalhar e fazer atividades estressantes sem sentir o peso delas. Isso ocorre porque o estradiol ajudar a conter os efeitos dos hormônios do estresse, adrenalina e cortisol, ajudando a preservar um humor mais feliz.

Sintomas do ciclo menstrual – Fase ovulatória

Conhecida como a fase do “sentir-se sexy”, essa é a segunda fase do ciclo menstrual. É nela que a mulher entra no chamado período fértil.

Durante esse período, uma substância chamada hormônio luteinizante aumenta. Ele é responsável por estimular a liberação do óvulo nas trompas de falópio para que seja fertilizado.

O estradiol está presente em quantidades significativas durante a ovulação, interagindo com outros hormônios para aumentar sua libido. O organismo então libera mais testosterona, que regula o desejo sexual.

É nessa fase que as mulheres ficam com mais vontade de fazer sexo, pois o próprio organismo naturalmente as incentiva.

Além disso, nessa época as mulheres estão mais propensas a comprar roupas, maquiagens, ir ao salão de beleza, etc. Tudo para se sentir mais atraente ainda!

Sintomas do ciclo menstrual – Fase lútea

Após a ovulação, o folículo vazio, que antes continha o óvulo, começa a secretar o hormônio progesterona para engrossar o revestimento do útero e prepará-lo para a possível implantação de um embrião.

Porém, conforme os níveis de progesterona aumentam, o mal humor também aumenta. Isso ocorre porque a progesterona ajuda o corpo a produzir cortisol, um hormônio que tende ser mais presente em pessoas estressadas e é prejudicial ao organismo se em excesso.

Surgem então vários sentimentos misturados, fazendo com que a mulher busque conforto em chocolates, docinhos e filmes.

Embora os sintomas da fase lútea sejam muito desagradáveis e difíceis de lidar, é importante investir em um estilo de vida mais saudável, com exercícios físicos regulares e refeições menos calóricas e ricas em nutrientes.

A combinação desses elementos pode ser um forte aliado na hora de combater esses sintomas.

Jovem mulher deitada na cama em posição fetal, com os braço em torno de sua barriga, indicando dor na região. Crédito da foto: Freepik

Entendendo o seu ciclo menstrual

O ciclo menstrual dura em torno de 28 dias, podendo variar de mulher para mulher. Porém, seja maior ou menor, todas as mulheres estão suscetíveis ao hormônios e à forma como atuam em cada fase.

Por isso, é fundamental o autoconhecimento e aprender a reconhecer seu comportamento em cada fase, porque a partir do momento que a mulher é capaz de reconhecer e identificar em que fase do seu ciclo menstrual está, ela será capaz de se preparar melhor e lidar mais tranquilamente com cada etapa.

Uma boa dica é utilizar algum aplicativo que ajude a acompanhar seu ciclo. Existem várias opções para isso! Neles é possível anotar os sintomas a cada dia. E ainda marcar a data de início da menstruação.

Com base nesse dado, o app calculará as possíveis datas de ovulação, fase lútea e pré-menstrual.

Dessa forma, é possível reconhecer naturalmente aqueles sintomas que chegam inesperadamente, como um mau humor, fadiga, irritabilidade, etc. É possível também observar sintomas fora do normal e, dessa maneira, procurar um médico se preciso.

TDPM – Síndrome pré-menstrual

A síndrome pré-menstrual, chamada também de Transtorno Disfórico Pré-menstrual é um tipo de TPM potencializada, mas que apresenta sinais mais fortes de depressão. O “D” quer dizer “Disfórico” e se refere ao sentimento contrário à euforia.

O TDPM atinge entre 7% e 10% das mulheres, podendo trazer consequências graves se não tratado.

Essa síndroma traz uma combinação de sintomas físicos, emocionais e comportamentais que costumam surgir de uma a duas semanas antes da menstruação. Alguns sintomas são:

  • Irritabilidade;
  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Fadiga;
  • Sensação de perda de controle;
  • Dificuldade de concentração;
  • Aumento de apetite com desejo maior por certos alimentos;
  • Seios doloridos;
  • Aumento de volume abdominal.

A principal causa da síndrome é a alteração na comunicação de certos neurotransmissores como a serotonina, por exemplo.

Juntos, esses sintomas e a forma severa como se manifestam podem atrapalhar completamente a vida da mulher que sofre com esse problema.

O tratamento médico é indispensável nesses casos, assim como a psicoterapia. Poderão ser ministrados contraceptivos orais, analgésicos, suplementação de vitaminas, minerais, antidepressivos e ansiolíticos.

Além disso, mudanças na alimentação e a prática de atividade física são altamente recomendadas, uma vez que ajudam a regular os hormônios e os neurotransmissores que esteja apresentando alteração.

Por fim, além de consultar um psicólogo, é fundamental consultar regularmente um ginecologista.

Agora que você já sabe tudo sobre os sintomas do ciclo menstrual, veja também:

  • Ciclo Menstrual: Conheça as fases e saiba como calcular