Melasma: dicas preciosas para fugir dele no verão

Por 0 Comentários


O melasma é um tipo de mancha da gravidez que acomete as mulheres e pode comprometer a estética. Não se conhece exatamente o mecanismo que o promove, mas já se sabe que o estrógeno e a progesterona, hormônios que estão bastante elevados durante a gestação, estão ligados ao seu aparecimento. O melasma afeta o rosto e, geralmente, tem o tom castanho (porque você ganha uma “dose extra de melanina” em algumas regiões). Apesar de ser comum, a condição não costuma ser muito querida pelas futuras mamães – e a preocupação com o seu aparecimento aumenta no verão, já que a exposição solar excessiva é mais uma das causas que colaboram para sua incidência.

Por isso, se você está grávida, sugiro não perder esse post, que traz dicas de prevenção e tratamento para enfrentar os dias mais quentes na praia e na piscina longe do risco de ganhar um melasma no verão. E se você já ganhou sua marquinha, vem descobrir o que pode ser feito para amenizá-la! Te conto tudo a seguir!

Imagem: 123RF

Como prevenir o melasma no verão?

O uso do filtro solar é a maneira mais eficiente de prevenir o aparecimento do melasma. Como o produto barra a radiação solar, consequentemente evita o escurecimento da pele (que por sua vez é potencializado pelo calor). Eu não tinha o hábito de levantar e já passar filtro solar no rosto, antes de sair de casa. Claro que durante a gravidez continuei fazendo da mesma forma que já fazia: levantava, jogava uma água rapidamente, e saía para as atividades do dia. Conclusão: ganhei um melasma na bochecha direita, que me acompanha até hoje (é discreto, mas todas as vezes em que olho para ele penso que poderia ter evitado!). E depois disso aprendi a lição, e tomo muito mais cuidado para evitar qualquer tipo de mancha.

Na hora de escolher seu protetor solar, lembre-se desta dica: especialistas recomendam o protetor físico (existe o físico e o químico, confira na embalagem), que não oferece reação química com a pele, sendo mais seguro. Mais uma dica importante é optar por um modelo que ofereça proteção contra raios UVA e também UVB, ambos prejudiciais para a pele, em quantidade excessiva. O fator de proteção mais indicado é igual ou superior a 30, mas é bacana conversar com um dermatologista para a indicação de um produto seguro (eu, que tenho a pele clarinha, já aprendi que no meu caso preciso passar um FPS 50; com um fator menor, ainda corro o risco de pigmentar). Na hora de passar, siga as orientações prescritas na embalagem (e se quiser ver mais dicas para a escolha do protetor solar, clique aqui para ler um post sobre o assunto).

Usar chapéus, bonés e evitar a exposição ao sol nas horas mais quentes do dia são outras medidas importantes para prevenir o melasma no verão (na verdade em qualquer época do ano). Para quem gosta de maquiagem, uma base com fator de proteção também é útil (ou o contrário também: filtro solar com cor).

Eu pessoalmente gosto bastante do filtro solar com cor da La Roche Posay, o Anthelios (que ainda é creme anti-envelhecimento! Veja aqui onde comprar). Já experimentei também o filtro da L’Oreal, mas ainda prefiro o da La Roche. Meu único senão com ele é que o produto não combina exatamente com meu tom de pele (sou mais clara, e parece que estou super bronzeada. Para ficar mais natural, uso um truque: misturo um pouco do BB Cream da Avon no tom claro, e fica perfeito! Ninguém diz que estou com um produto no rosto).

Resumindo: o ideal é não ficar exposta sem proteção ao sol (e isso o ano todo, não somente no verão), combinado?

Tratamentos para o melasma

Para quem já estiver com melasma na pele, alguns tratamento dermatológicos específicos podem contribuir para sua eliminação. Alguns cremes dermatológicos podem atenuar o problema, e são considerados a primeira opção de tratamento pelos médicos (os ácidos são bastante prescritos pelos dermatologistas, mas o único que pode ser usado ainda na gestação é o ácido azelaico. Outra substância que está liberada nessa fase é a vitamina C, um clareador de uso caseiro). Lembrando que o uso tópico (local, sobre a mancha) desses cremes geralmente é feito por bastante tempo – o tratamento é longo e você não deve desanimar.

Outros tratamentos para melasma são o laser, peelings e microagulhamento (a grande maioria deles indicada para depois do nascimento do bebê. Aliás, tenho um post sobre procedimentos estéticos que podem ser mantidos na gestação, que vale a leitura). Os peelings se dividem entre químicos e físicos (esses últimos mais brandos, feitos apenas com uma abrasão da pele – sem o uso de substâncias químicas). Os físicos mais leves, como o de cristal, estão liberados para serem usados na gestação (mas sinceramente não acho que ajuda no tratamento do melasma. Já fiz e não vi qualquer efeito sobre a minha mancha). Então vale conversar com seu médico para que ele recomende a melhor opção para você, dependendo da fase em que está, e das condições de sua pele.

Uma matéria que explica vários tipos de tratamento para o melasma é essa aqui. Achei bem interessante, e com dicas que podem ajudar grávidas com melasma.

Outro ponto importante é que, em alguns casos, o melasma pode sumir depois da gestação. O meu ficou, mas melhorou bastante com a diminuição hormonal que acontece com o fim da gestação. Sendo assim, acho que durante a gravidez é melhor investir na prevenção ou, no máximo, numa substância clareadora permitida, com a vitamina C. E deixar um possível tratamento mais radical para o pós-parto, ou para o fim da amamentação, se de fato for o caso.


 



Arquivado em: Gravidez Tags:

Deixe seu comentário