A piscina é um lugar de muita diversão, mas pode ser muito perigoso para as crianças caso não hajam alguns cuidados.

Nessa época do ano, em que as crianças estão de férias escolares, o número de acidentes na piscina aumenta.

Por isso, a prevenção é muito importante, já que o afogamento é a segunda causa de morte acidental em crianças, só perdendo para acidentes relacionados a trânsito e transporte.

Pensando nisso, confira no artigo de hoje dicas para evitar acidentes na piscina com crianças.

Publicidade

Além de manter a piscina limpa, é preciso mantê-la segura seja em casa ou no clube. Veja outros cuidados!

Boa leitura.

 piscina com crianças

Bebê na piscina com duas adultas, com boia. Crédito da foto: Freepik

Dicas para evitar acidentes na piscina com crianças

1) Não deixe seu filho sozinho

Primeiramente, nunca deixe seu filho nadar sozinho sem supervisão de um adulto. Podem ocorrer cãibras ou contusões em mergulhos.

Mesmo que seja rapidinho, que a criança esteja de boia ou com outra criança maior supervisionando, saiba que um acidente pode acontecer em questões de instantes.

Publicidade

A regra maior é estar presente a todo tempo que a criança estiver perto ou dentro da água. O afogamento acontece muito rapidamente, em questões de minutos e até segundos a criança pode ter uma parada cardiorrespiratória.

Além do mais, muitos acidentes acontecem por mergulho em piscina rasa.

2) Entre com a criança na piscina caso ela seja menor que 4 anos 

Crianças menores de 4 anos devem estar acompanhadas por um adulto dentro da piscina, à distância de apenas 1 braço esticado do adulto.

3) Aprenda a nadar e ensine as crianças também

Em sequência, aprenda a nadar e ensine suas crianças também, mas mesmo assim o cuidado deve continuar.

Publicidade

As estatísticas mostram que muitos acidentes em piscina ocorrem com crianças que sabiam nadar, por terem perdido o fôlego em piscinas grandes e terem entrado em pânico.

4) Não deixe a área da piscina totalmente aberta e de fácil acesso, sem proteção

Outra dica é: cerque a área da piscina, fechando o acesso com um portão que não possa ser aberto por uma criança, e ponha alarme sonoro.

5) Cubra a piscina quando não estiver sendo usada

Cubra completamente a piscina quando não estiver em uso e retire todos os brinquedos da área, para não atrair crianças.

6) Coloque escada para subir e descer, além de piso antiderrapante 

A área da piscina deve ter piso antiderrapante. Ainda assim, evite correr e ensine as crianças a usar a escada para entrar e sair.

7) Use boias nas crianças

Boias redondas são perigosas, pois podem virar. Coletes salva vidas certificados e com tamanho adequado para a idade são seguros para crianças pequenas, mas não dispensam a supervisão de um adulto.

8) Evite brincadeiras violentas

Do mesmo modo, é bom evitar brincadeiras violentas, de luta ou “cavalinho” ou o famoso “caldo”. Explique o porque dessa atitude, priorize segurança.

9) Mantenha um telefone próximo

É importante manter um telefone próximo da piscina para casos de emergência, além de equipamento básico de salva vidas.

Além disso, faça um curso de Suporte Básico de Vida. Ensine as crianças maiores a fazer reanimação com as compressões torácicas.

Pré adolescentes e adolescentes são perfeitamente capazes de executar as manobras corretamente!

Veja: Crianças nas férias: Receitas fáceis para fazer. Confira!

 piscina com crianças

Bebê na piscina com seus pais, sentada em cima de uma boia. Crédito da foto: Freepik

Dicas para evitar acidentes na piscina com crianças

10) Veja a profundidade de água

Antes de tudo, oriente e supervisione a profundidade da água. A criança deve tocar o pé no chão e não ficar com água acima do peito.

11) Cuidado com os ralos!

Dando continuidade às nossas dicas, muita atenção para a sucção (ralos).

Alguns tipos de ralos podem sugar cabelos, roupas e até mesmo braços e pernas, levando ao afogamento.

12) Evite aparelhos que possam dar choque

Evite aparelhos eletrônicos próximos à piscina pelo risco de choque.

13) Cuidado com raios!

Ao menor sinal de mudança de tempo, saia imediatamente da área da piscina, para evitar acidentes com raios.

14) Se tem alguma área quebrada, conserte 

Além disso, atenção para áreas danificadas. Providencie o conserto rapidamente.

Bordas com acabamentos quebrados ou lascados podem provocar cortes e lacerações.

15) Tenha um número de emergência com você

Outra medida importante é sempre ter um telefone por perto para chamar a emergência, caso necessário. O número dos bombeiros é 193 e do SAMU 192.

16) Não deixe brinquedos dentro

Não deixe brinquedos perto da piscina quando ela não estiver sendo usada! Eles são altamente atrativos para as crianças, que podem cair na piscina ao tentar alcançá-los.

piscina com crianças

Crianças pulando na piscina. Crédito da foto: Freepik

Piscina com crianças – No clube

Se for no clube, também é preciso tomar alguns cuidados com a piscina!

Primeiro verifique o estado do ambiente no geral: se não há azulejos quebrados, se os pisos não são muito escorregadios, se a piscinas fundas são cercadas e separadas das piscinas infantis, etc.

É que o risco de uma criança escapar sem ser vista e parar na piscina de adultos é muito grande!

Também verifique se há um salva-vidas disponível. Normalmente, na maioria dos clubes tem.

Em casa ou no prédio

Da mesma forma, em casa ou no prédio também é preciso cuidados.

Esses tipos de piscinas devem estar cercadas dos 4 lados por muros com pelo menos 1,20 de altura, impossibilitando que uma criança pule.

O portão de acesso precisa ter uma tranca alta e permanecer sempre trancado. Além disso, a cobertura da piscina precisa ser firme e muito bem presa em todos os lados, de forma que sustente o peso de uma pessoa caso alguém caia.

O perigo é ela ficar flexível e, se uma criança cair, ser “engolida” pela capa que afunda, e se afogar. Já existe no mercado sensores de movimento para serem colocados na própria piscina ou no ambiente onde ela fica.

Mas o ideal ainda é manter o portão fechado e sempre, sempre supervisionar a criança.

Coloque boias nas crianças!

Em suma, o ideal é que a criança fique sempre com boia. Mas ela pode furar, além do que as boias de braço não apoiam o corpo todo. A criança pode virar com o rosto para água e se afogar.

Lembrado que até os três, quatro anos o adulto deve ficar dentro da piscina com a criança. No caso das mais velhas, pode-se ficar tomando sol ao lado da borda, mas de olho aberto!

Existem vários modelos de boias no mercado, inclusive com o uso de personagens infantis que facilitam a aceitação da criança.

Além da piscina, muitas famílias vão para a praia com as crianças. Por isso, confira também esse artigo sobre as melhores praias para ir em família, além dos principais cuidados com os baixinhos: