Criança destrói seus brinquedos: Seu filho destrói seus brinquedos? Ele está quebrando tudo? Mas por que será? Essa situação é mais comum do que se imagina. Afinal de contas, quem é que nunca comprou um brinquedo novinho e super caro para a criança, e ela quebrou pouco tempo depois?

Pois é!  Toda criança adora brinquedo e tem sempre uma lista infinita de presentes para pedir aos seus pais, mas acontece que, em vez de brincar, a criança simplesmente desmonta o brinquedo de modo irreversível, ou então quebra-o.

Sim, isso acontece em inúmeras famílias. Por isso, é preciso observar com um pouco mais de atenção e cuidado visando entender o que pode estar acontecendo e, assim, tomar as devidas providências.

Veja 5 motivos pelos quais a criança destrói seus brinquedos e entenda o que fazer nessa situação.

Publicidade
Criança destrói seus brinquedos

Duas crianças brincando com peças coloridas em tapete. Crédito da foto: Freepik

Afinal de contas, por que a criança destrói seus brinquedos? Entenda!

São muitos os motivos que podem levar uma criança a destruir seus brinquedos. Por exemplo, é preciso avaliar se o brinquedo corresponde à faixa etária da criança.

Pode ser que seja apenas falta de habilidade, maturidade e até coordenação motora para utilizar o brinquedo.

Por exemplo, uma criança de apenas dois anos não consegue observar um objeto sem querer pegá-lo. Seu instinto é de querer pegar e tocar todas as coisas. Portanto, se ela avistar um robô diferente, que gira, pisca, anda, acende, roda, cai e levanta sozinho, ela vai querer tocá-lo.

Provavelmente, ele será destruído alguns minutos após sua maravilhosa performance (para desespero das mamães).

Por isso, tenha um olhar mais atento em relação à criança e os objetos. Pode ser que ela precise de ajuda e esteja se expressando através dessa destruição!

Publicidade

Sabemos que a criança simboliza, ou seja, ela brinca de faz de conta. Muitas vezes, os brinquedos mais interessantes são justamente os que não são uma coisa definida, pois permitem uma maior criatividade e liberdade da criança.

Neste sentido, mais vale um brinquedo destruído, desmontado, que serviu de exploração para criança, do que um lindo, caro, porém intocado e fechado, de enfeite no armário.

Mesmo tendo as informações acima em mente, é sempre bom averiguar quais são os motivos pelos quais a criança destrói seus brinquedos. Veja a seguir!

Criança destrói seus brinquedos

Menino brincando com aviões de madeira. Crédito da foto: Freepik

5 motivos pelos quais a criança destrói seus brinquedos

1) Para chamar a atenção dos pais

Uma razão pela qual a criança destrói seus brinquedos pode ser simplesmente para chamar a atenção dos pais, provocá-los ou mostrar o que conseguem fazer.

Essa demonstração de insatisfação pode ser um pedido de mais tempo e carinho que a criança quer dos pais.

Publicidade

Ou seja, muito longe de ser um destruidor ou um relaxado com seus pertences – como muitas mães dominam seus filhos -, a criança utiliza esse mecanismo para elaborar algo que a incomoda.

E ela, mais do que nunca, precisa ser acolhida e ouvida. E não castigada! Sim, sabemos que é difícil, porém, nessa hora, não adianta gritar com seu filho e nem castigá-lo, pois isso fará com que a criança fique com ainda mais mágoa e raiva.

A criança que fica mais ressentida ainda tenderá a criar ainda mais brinquedos. Por isso, o melhor é tentar compreender o que a criança está querendo dizer com essas atitudes destrutivas.

Mas o que fazer? Mude a rotina, dedique mais tempo ao seu pequeno ou, então, melhore a qualidade do tempo que passa com ele. Ah! E nada mais perfeito que uma boa conversa.

Além disso, os pequenos que ainda não conseguem expressar seus sentimentos por meio da fala podem quebrar os brinquedos para relatar uma raiva ou algo que o incomoda. Daí sobra para os inocentes brinquedos!

Mas isso faz parte do desenvolvimento da criança e, se acontecer, o ideal é que a mãe a acolha com calma, pegue-a no colo e explique que sentir raiva é normal e todos sentem, porém que não é quebrando os brinquedos que os problemas irão se resolver.

Em outras palavras, procure entender o porquê do sentimento de raiva do seu filho, se é algo em casa ou na escola que não anda bem. Investigue, tente ajudá-lo e fique atenta às atitudes do seu pequeno.

Afinal de contas, destruir os brinquedos é apenas a consequência de algo que não vai bem… E pense: que bom que a criança encontrou no brinquedo uma válvula de escape! Muito melhor que se fechar, esconder, podendo inclusive, somatizar.

Criança destrói seus brinquedos

Menininho brincando com um avião azul de brinquedo, em um jardim. Crédito da foto: Freepik

5 motivos pelas quais a criança destrói seus brinquedos

2) Por curiosidade, para entender o que acontece

Atire a primeira pedra quem nunca quebrou um brinquedo quando era criança! Sim, pelo menos um brinquedo na vida todo mundo já quebrou em sua infância.

O quebrar é uma consequência do brincar e acidentes acontecem. Isso acontece porque a criança ainda não tem percepção da força que tem, ainda é ingênua enquanto a isso, não tem consciência como nós adultos.

O refinamento aos seus movimentos para que não deixe o brinquedo cair constantemente ainda está em desenvolvimento, então é perfeitamente normal que o objeto caia da mão dela, ou que ela jogue, e acabe quebrando. Mas não é por mal, é simplesmente por ignorância das consequências. E isso é saudável!

Afinal, é por meio da exploração do brinquedo que a criança descobre e entende o mundo, já que entre os dois e sete anos, a criança é muito curiosa e quer saber como o mundo funciona e isso inclui o seu brinquedo.

Portanto, incentive seu filho a montar e desmontar, ajudando na remontagem para a criança ter o seu brinquedo de volta.

Por isso, durante essa fase, o melhor é comprar brinquedos que possam ser desmontados e montados novamente. Eles são ótimos para o aprendizado e para a coordenação motora, bem como para as habilidades manuais e o desenvolvimento do raciocínio e da lógica.

Ela desmonta o brinquedo por curiosidade e, por muitas vezes, pode quebrar ou não saber montá-lo novamente.

3) Por falta de coordenação motora

Crianças até o 3 anos de idade ainda não possuem toda sua capacidade cognitiva totalmente desenvolvida para compreender o que é quebrar.

Então, na maioria dos casos, ela não age intencionalmente ou com maldade, como vimos acima. Ela não tem a mesma consciência de um adulto, e está curiosa para saber como funciona o brinquedo.

Nesse meio tempo ela pode acabar destruindo o brinquedo, por falta dessa coordenação também.

Nestes momentos, achar graça, ignorar, bater ou tomar o objeto agressivamente da mão da criança, são atitudes pouco funcionais e nenhum pouco recomendadas.

O desafio é entender se a criança está realmente apenas explorando as coisas para saber como tudo funciona, já que isso é algo natural e positivo, ou se tem algo a mais aí.

O que acontece é que, por mais que se explique à criança o valor material do objeto, para ela de nada adianta se não pode explorá-lo da maneira que lhe for conveniente.

A lógica infantil funciona mais ou menos assim: do que adianta ser caro se não posso me divertir com ele? Portanto, nem sempre o melhor brinquedo é aquele de maior valor.

Não adianta comprar brinquedos super caros, é melhor investir em brinquedos lúdicos, próprios para cada faixa etérea.

Eles são muito importantes, pois além de desenvolverem a criatividade, estimularem a curiosidade e divertirem, são um excelente recurso para a expressão de sentimentos e a elaboração de emoções que causam angústias e sofrimentos.

É que a criança, através do ato de brincar, exprime seu mundo interior e inicia sua adaptação no mundo exterior.

Então, primeiro de tudo, avalie se os brinquedos do seu filho correspondem à faixa etária dele. Pode ser que o processo de quebrar seja apenas fruto da falta de habilidade, maturidade e até coordenação motora do pequeno.

Para concluir, saiba que nem sempre quando a criança arranca todas as rodas carrinho, ou então arranca a cabeça e os braços da boneca, ela faz com a intenção de estragar o brinquedo.

Pode ser que ela esteja simplesmente reconhecendo o brinquedo, explorando ele de outras formas, que são diferente das usadas em geral.

destrói seus brinquedos

Menina com as mãos na cabeça, em expressão de raiva. Crédito da foto: Freepik

5 motivos pelas quais a criança destrói seus brinquedos

4) Por raiva ou devido a um comportamento destrutivo

Quando há evidências de um comportamento destrutivo por trás da quebra do brinquedo, devemos nos direcionar para a criança.

É preciso explicar com carinho, passando segurança à criança que não podemos quebrar as coisas. Que tal dizer: “respeito seu direito de ficar irritado/triste/com medo ou não gostar daquele objeto, mas não tem o direito de destruí-lo.”

Como consequência a criança precisa acompanhar o reparo do objeto, sabendo que está fazendo isso, justamente porque ela o quebrou.

É comum que os pais se sintam envergonhados ou humilhados pela atitude do filho e esses sentimentos também devem ser respeitados e transmitidos à criança.

Em uma conversa tranquila, é fundamental falar como nos sentimos com o que a criança faz e abrir espaço para ouvir dela o que sente.

Isso nos auxilia a diminuir a intensidade das emoções e usar toda nossa capacidade intelectual para entender a situação, quais os possíveis motivos desse comportamento e, dessa forma, pensar junto em soluções.

Além disso, ao mostrarmos que existem muitos caminhos para lidar com as coisas que adoramos ou detestamos, a criança percebe que algumas atitudes não são admiráveis, que podemos evitar o constrangimento ou outras consequências.

A nossa atenção ao comunicar e acompanhar esse processo do início ao fim, faz toda a diferença para que a criança sinta-se respeitada, segura com nosso suporte e capaz de fazer boas escolhas no futuro.

Outro ponto importante é que, quando estimuladas a pensar e viver as consequências, as crianças são capazes de considerar o ponto de vista do outro, exatamente porque estão sendo respeitadas em seu ponto de vista.

Este hábito é algo que precisa ser praticado desde os primeiros anos de vida, pois assim fica cada vez mais natural esse processo.

Algo que pede muito mais a nossa atenção é quando somado ao comportamento de quebrar, a criança não demonstre arrependimento pelo o que fez ou mostre uma sensação de prazer em estar fazendo aquilo.

Nesses casos, pode existir alguma alteração significativa na estrutura e funcionamento psíquico, por isso é indicado a ajuda profissional e psiquiátrica para a avaliação e tratamento adequado.

5) Devido ao TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção)

O TDAH é um transtorno neurobiológico, genético e hereditário, mais comum em jovens e crianças. Pode ser herdado dos pais ou de um parente próximo, mas também pode ser desencadeado por diversos fatores de risco, como a mãe fumar durante a gravidez, o bebê nascer prematuro ou com baixo peso.

Fatores Genéticos

Estudos mostram que o TDAH desencadeado por fatores genéticos ocorre quando mais de um gene está envolvido, é o que se chama de distúrbio poligênico. Isso afeta neurônios do sistema nervoso central.

Desta forma, crianças que possuem pais ou parentes próximos com TDAH podem ter maior propensão a desenvolver o transtorno.

Fatores Ambientais

Outros estudos, porém, afirmam que qualquer transtorno do comportamento pode ser desenvolvido por meio de fatores ambientais, como “copiar” pais que agem de forma desatenta ou hiperativa.

Outras teorias sugerem que problemas familiares podem ser causas para o TDAH. Porém estudos recentes refutam essa possibilidade, atrelando o transtorno a causas genéticas.

Tipos de TDAH

Existem dois tipos de TDAH. O mais simples é o TDAH desatento, em que a criança demonstra apenas falta de atenção.

Também existe o TDAH combinado, em que a criança apresenta hiperatividade, impulsividade e déficit de atenção ao mesmo tempo.

Sintomas do TDAH Desatento

No primeiro caso, a criança com TDAH desatento tem dificuldade em se concentrar nas atividades do dia a dia, tem dificuldade para seguir instruções e se perde em conversas cotidianas.

Outro sintoma para esse tipo de TDAH é o esquecimento de coisas que normalmente não deveriam ser esquecidas.

Isso ocorre tanto para objetos que são perdidos quanto para informações básicas que a criança ou jovem deveria saber, mas não consegue lembrar.

Muitas vezes, a memória é afetada pelo fato de o paciente não ter a capacidade de concentração suficiente para assimilar a informação que está sendo transmitida.

Dessa forma, a pessoa não consegue perceber detalhes o suficiente para memorizar. Quem apresenta TDAH do tipo desatento não consegue finalizar uma leitura, prestar atenção em palestras ou mesmo em longas conversas sobre um determinado assunto.

Em muitos casos, a pessoa com TDAH desatento é chamada e não responde ao ouvir o próprio nome, presta atenção em outras coisas quando está desenvolvendo uma tarefa e tem dificuldade para concluir atividades.

Sentir sonolência ou uma sensação de que está com o cérebro desligado no meio de um afazer também é um sintoma comum desse tipo de TDAH.

Outra característica de quem possui TDAH desatento é forte desorganização, problemas com planejamento de uma sequência de atividades e administração do tempo.

Sintomas do TDAH Combinado

O TDAH combinado pode apresentar outros sintomas junto aos já citados, como agitação, impulsividade e inquietação.

Como as características são mais marcantes, esse tipo de transtorno é mais percebido na infância e é o mais diagnosticado.

É comum que quem apresenta sintomas de TDAH combinado fique mexendo os pés e as mãos quando tenha que ficar parado em algum lugar. Também fica com a mente agitada e, muitas vezes, confusa.

Para quem possui TDAH combinado, outra característica comum é estar sempre fazendo mais de uma coisa ao mesmo tempo.

Uma única atividade sendo realizada ou um momento de descanso já é motivo para o sentimento de tédio aparecer.

Ao contrário do TDAH desatento, a pessoa com TDAH combinado consegue ler um livro, ver televisão e ouvir música ao mesmo tempo. Contudo, perde facilmente a concentração ao fazer várias tarefas ao mesmo tempo.

Estar em uma conversa é mais comum para quem tem TDAH combinado, mas ao falar, a pessoa sente a necessidade de expor muitos detalhes ao mesmo tempo, acaba se perdendo na própria fala e não conseguindo concluir o raciocínio. Isso porque geralmente a pessoa pensa mais rápido do que consegue falar.

Impaciência e dificuldade em se expressar também são características do TDAH combinado. Ansiedade, estresse e compulsão também podem aparecer.

Portanto, um sintoma que deve ser observado é se a criança está comendo, falando ou fazendo algo compulsivamente, fora de hora ou ao mesmo tempo.

Por fim, instabilidade, baixo nível de tolerância, alta sensibilidade e temperamento explosivo também estão entre os sintomas de TDAH combinado.

Contudo, os sintomas não aparecem todos de uma vez e não se apresentam necessariamente na mesma pessoa, pois podem variar de acordo com a intensidade do transtorno.

Primeiros indícios do TDAH

O TDAH se manifesta em diversas fases da vida. Na infância, agitação excessiva e impulsividade são os principais sintomas do transtorno, que também podem se manifestar por meio de comportamentos que demonstrem distração exagerada.

Dicas para melhorar a vida da criança com TDAH

Confira as principais dicas para garantir a a qualidade de vida de crianças com Déficit de Atenção:

  • O diagnóstico de TDAH deve ser feito exclusivamente por um médico;
  • Use medicação apenas com orientação do médico;
  • Leve seu filho a consultas periodicamente;
  • Estabeleça regras de forma simples e escreva em locais de fácil visualização;
  • Elogie a criança e diga palavras de incentivo;
  • Evite críticas excessivas;
  • Planeje as atividades com as crianças;
  • Tenha paciência;
  • Ao explicar algo, tenha objetividade;
  • Evite ambientes com muito estímulo visual para a criança;
  • Sempre que uma atividade for iniciada, incentive a finalização;
  • Estimule a prática de atividades físicas;
  • Faça brincadeiras e jogos com a criança;
  • Garanta momentos de descanso com conforto e cuidado.

Resumindo, investigue as causas da destruição dos brinquedos, já que uma atenção maior para a criança poderá resolver o problema.

destrói seus brinquedos

Duas crianças brincando com brinquedos coloridos. Crédito da foto: Freepik

Motivos pelas quais a criança destrói seus brinquedos

Não caia na armadilha!

Uma atitude dos pais que é prejudicial para o desenvolvimento da criança é ameaçar e não cumprir. Se a criança, por exemplo, quebra um brinquedo e os pais dizem que não irão comprar outro e depois cedem às exigências do filho, os pequenos são espertos e usarão isso como “tática” para ganharem novos brinquedos. Eles sabem que os pais ameaçam e não cumprem.

Essa atitude fará com que a criança cresça sem a percepção do valor do seu brinquedo, desprezando o que tem e não criando senso de responsabilidades. Mais tarde terá dificuldades em lidar com suas frustrações.

O brinquedo é muito importante para o desenvolvimento da criança. Portanto, deixe seu filho explorar o seu espaço crescendo com o senso de responsabilidade e sabendo lidar com os sentimentos.

Dicas extras para evitar a criança que destrói seus brinquedos: 

Não compre brinquedos caros

Se a criança está na fase de destruir, não compre brinquedos caros. Um mais barato que possa explorar o deixará mais feliz. Que tal comprar brinquedos de peças?

Tenha paciência

Não que se deva permitir que os filhos estraguem todos os brinquedos, que as mães devem deixar o pequeno quebrar à vontade o carrinho que uma nota, mas é importante considerar que esse ato pode ser normal e até saudável, pois quer dizer que seu filho está explorando e aprendendo.

Não tire o brinquedo da mão da criança

Se seu primeiro instinto é tirar o brinquedo da mão da criança, saiba que esse não é o ideal! O certo é entender quais os possíveis motivos para levar a esse comportamento e, então, tomar uma atitude condizente.

Cumpra suas promessas

Se você ameaçar a criança de lhe tirar o brinquedo ou não comprar outro, cumpra com sua promessa. Do contrário, isso trará consequências no comportamento da criança, como já vimos acima.

Saiba que esse comportamento é normal nessa fase da infância

Lembre-se: por volta de 1 ano e meio a 2 anos, a criança destrói brinquedos com muita frequência, pois ela ainda está no processo de investigação, então ela joga o objeto para ver se ele se desfaz, qual o barulho da queda, etc. Ela observa até a reação do adulto que está junto!

Não leve para o lado pessoal

O importante é não levar para o lado pessoal, a criança não está fazendo isso para chatear você. Afinal é só uma criança que está descobrindo um mundo onde ela não conhece o seus próprios limites.

Garotinha brincando com um avião de papelão. Fundo azul. Crédito da foto: Freepik

Dicas do que fazer se seu filho destrói seus brinquedos

Pensar e Ponderar

Antes de mais nada, você precisa parar e refletir. Faça as seguintes perguntas para si mesma:

  • A criança está jogando algo que está colocando a vida dela em risco?
  • É perigoso?
  • Eu não quero que ele jogue por que não acho adequado?
  • Existe realmente um problema se a criança jogar esse brinquedo?

Se questionou? Então, primeiramente, se for algo que não coloque a criança em risco e não cause algum tipo de prejuízo, você pode deixar ela viver essa fase de descoberta.

Existem períodos em que as crianças são desorganizadas, desajeitadas, derrubam tudo o que veem pela frente.

E isso é normal, pois é uma fase que faz parte do processo de desenvolvimento físico, cognitivo, emocional e psicossocial da criança.

Evite a repreensão

“Não faça isso, ou aquilo não pode!” são frases muito usadas nesse tempo, dessa forma o melhor é evitar algum tipo de repreensão. Use somente em casos que sejam realmente necessários.

Como resultado, se você brigar com seu filho só vai deixar a criança com medo de tentar, comprometendo seu desenvolvimento.

O correto é tentar lidar com naturalidade, evitando constrangimentos e incentivando a prática de atividades corporais.

Criança destrói seus brinquedos – Redirecione o movimento da criança

Antecipadamente, basta mudar o centro da atenção da criança. Retire dela o objeto que ela está jogando no chão e a apresente a outro objeto. Um exemplo seria trocar a almofada da sala pela bola no quarto.

Oferecer brinquedos de encaixe e blocos para empilhar, pois contribuem para o desenvolvimento da coordenação motora da criança.

Tente sempre olhar a situação com o olhar da criança, pensando no que ela está querendo naquele momento.

Às vezes, podemos pensar que a criança está nos desafiando, está querendo nos tirar no sério, está querendo nos testar e, na verdade, na maioria das vezes eles estão querendo apenas investigar, buscando descobrir as possibilidades do mundo.

Criança destrói seus brinquedos – Faz parte da evolução e treinamento cognitivo

Conforme seu filho cresce, vai aprimorando a habilidade de concentração, que só se consolida por volta dos 7 anos, com o amadurecimento do córtex pré-frontal, uma área do cérebro que regula essa função.

Em outras palavras, vale a pena apostar em uma rotina onde você possa realizar tarefas com seu filho, promovendo atividades que estimulem o raciocínio lógico como quebra-cabeças e ler de histórias para ele.

Criança destrói seus brinquedos – Aposte em conversas

Por fim, uma outra dica é: converse com seu filho, dê atenção a ele, pois, além de aproximar, aumentar o vinculo de confiança e amizade entre pais e filhos.

Fique tranquila, pois essa fase vai passar e a criança irá começar outras investigações.

Menininho brincando com blocos de madeira, sentado no chão. Crédito da foto: Freepik

Seu filho destrói seus brinquedos? Conclusões

Por fim, tomara que este artigo tenha lhe ajudado, pois essa é uma fase normal da infância, que pode ser bem desafiadora, mas fique tranquila pois irá passar!

Seu filho está descobrindo o mundo… O que para nós, adultos, é algo normal, para as crianças é um mundo muito interessante a ser descoberto.

Portanto, busque conduzir seu filho para atividades que sejam interessantes. Que mudem de foco! Evite repreensões, pois podem gerar prejuízos emocionais.

O que você achou deste artigo? Compartilhe com as mamães que também precisam saber disso!

Agora que você já conhece os 5 motivos pelas quais a criança destrói seus brinquedos, leia também:

Até a próxima!