Nem toda contração é trabalho de parto, porém, muitas mulheres ainda se sentem inseguras diante das dores que alguns tipos de contrações podem provocar.

Especialmente no caso de mães de primeira viagem, muitas dúvidas podem surgir quando as dores e o desconforto aparecem. Por conta disso, fizemos este breve guia para que você conheça os tipos de contrações e saiba distinguir cada um deles com mais clareza. Acompanhe e entenda.

Toda contração é trabalho de parto

Mulher grávida passando mal. Foto: Freepik

Toda contração é trabalho de parto?

Como mencionamos acima, nem toda contração é trabalho de parto e, muitas vezes, ela pode apenas estar sinalizando que o corpo está se preparando para o momento de dar à luz ao bebê. Contudo, é preciso ficar atenta aos sintomas que são sentidos concomitantemente às contrações, pois eles podem dar pistas se trata-se de uma contração de treino, se são movimentos do bebê ou se a futura mamãe realmente está entrando em trabalho de parto.

Publicidade

Leia mais: Estou em trabalho de parto? Quando ir pro hospital?

Quais são os tipos de contrações?

Sabemos que nem todo tipo de contração é trabalho de parto e, com isso em mente, podemos citar os 5 principais tipos de contrações que uma mulher pode sentir durante toda a gestação. Veja cada uma delas:

Contrações de A

Estas contrações costumam ser chamadas de “Álvarez”, e caracterizam-se pela baixa intensidade e frequência, sendo que comumente podem passar despercebidas pela mãe. O objetivo desse tipo de contração é melhorar a circulação sanguínea na placenta e no útero. Costumam aparecer desde a fase inicial até a semana 28.

Mulher grávida com dores nas costas. Foto: Freepik

Toda contração é trabalho de parto – Movimentos do bebê

Os movimentos do bebê também podem ocasionar alguns tipos de contrações no útero. Entretanto, este tipo de contração costuma ser mais focada, ou seja, em uma única parte do útero. Além disso, não causam dor intensa e, em alguns casos, não provoca dor, apenas a sensação de movimento do bebê. Estas contrações podem aparecer em diversos momentos da gestação.

Toda contração é trabalho de parto – Contrações de Braxton Hicks

Estas contrações também costumam ser chamadas de “contrações de treinamento”, pois ela prepara o útero e o corpo da mulher para o momento do trabalho de parto. A sua duração pode ser entre 30 e 60 segundos, tendo a frequência média de aparecer a cada uma hora.

Publicidade

As contrações de Braxton Hicks tendem a aparecer na segunda metade da gravidez, porém, algumas mães podem sentir os primeiros sinais a partir da décima terceira semana. Vale ressaltar que esse tipo de contração não costuma apresentar dor.

Veja também: Cólica na gestação: causas e sintomas

Mulher grávida passando mal. Foto: Freepik

Toda contração é trabalho de parto – Contrações pré-parto

As contrações pré-parto, como o próprio nome nos dá a entender, costumam acontecer um pouco antes do nascimento. São também entendidas como uma contração de treinamento, que prepara o colo do útero para o “grande momento”.

Porém, a dor costuma estar mais concentrada na região da barriga e virilha, não irradiando a partir das costas. Da mesma forma, elas podem ser bem doloridas, o que assustam muitas mulheres, especialmente na primeira gestação.

Sendo assim, é preciso ficar atenta à recorrência, à fase da gestação e à regularidade das contrações. Lembre-se que nem toda contração é trabalho de parto e, por isso, é preciso observar se há outros sintomas envolvidos.

Publicidade

Toda contração é trabalho de parto – Contrações de parto

Já as contrações de parto, por fim, podem apresentar uma dor que começa na lombar e chega até a barriga da mulher. Costumam apresentar certa regularidade, reaparecendo a cada 30 minutos e durando cerca de 25 segundos. Na medida em que o momento do parto se aproxima, a dor pode aparecer a cada 5 minutos e as contrações duram até 45 segundos.

Grávida com dores nas costas. Foto: Freepik

Além disso, outros sintomas podem ser observados para detectar que a mulher está, de fato, entrando em trabalho de parto:

  • O tampão mucoso aparece em forma de secreção vaginal, seja na cor rosada, marrom ou acompanhado de sangue;
  • A mulher pode ter a bolsa rompida, se deparando com um líquido que sai pela vagina;
  • A dilatação do colo do útero pode ser percebida através do exame de toque.

Se estes outros sintomas aparecerem, a mulher deverá entrar em contato com o seu médico.

Vale ressaltar que as contrações muito intensas, mesmo muito antes do trabalho de parto, podem estar apontando um nascimento prematuro ou algum problema na gestação. Por isso, o melhor a se fazer, em caso de dúvidas, é contatar o seu médico e falar sobre os seus sintomas. O mesmo vale para crises de sangramento durante a gestação.

Seguindo estas recomendações você terá garantias de uma gestação mais segura e saudável. Cuide-se e mantenha os seus exames sempre em dia!

Leia agora: