Um dos principais distúrbios do sono infantil, a apneia obstrutiva do sono em criança é caracterizada por interrupções da respiração na hora de dormir. Trata-se de um quadro que precisa de atenção, pois quando a criança sofre de apneia, ela não descansa o suficiente e pode apresentar problemas comportamentais, desencadeados pela condição.

Contudo, sua detecção não é das mais simples, já que o pequeno não percebe que está dormindo mal para relatar que algo está errado. Mas nós, pais, podemos ajudar nossos filhos, prestando atenção em alguns comportamentos.

Veja quais são eles a seguir, informe-se melhor sobre a apneia em crianças e descubra se o seu filho pode estar sofrendo do problema:

bebê dormindo

bebê dormindo. Foto: freepik

Publicidade

5 sintomas mais comuns de apneia em crianças

1- Ronco

Tem gente que não acredita, mas bebês e crianças podem roncar. Contudo, assim como nos adultos, o quadro não significa que a pessoa esteja dormindo bem, profundamente, mas, sim, é sinal de inquietação e de que o sono está longe do ideal.

O ronco é a característica mais comum da apneia, e você deve observar a frequência e a altura. Guarde essas informações para relatar ao pediatra (se necessário, grave com o celular) pois, mesmo que não se trate de apneia (veja outras possíveis causas do ronco aqui), o quadro pode esconder outros problemas que precisam de tratamento.

2- Respiração pela boca

Seja dormindo ou acordado, se o seu filho respira pela boca é sinal de que existe algo atrapalhando a entrada e saída de ar pelo nariz, como deveria ocorrer naturalmente. Isso pode fazer até com que a criança tussa durante o sono. É preciso investigar!

3- Sono muito agitado

Publicidade

Mais uma característica da apneia em crianças é a agitação durante o sono. Observe se o seu filho se mexe muito na cama ou dorme em posições “estranhas”, pois a atitude pode ser a saída encontrada, inconscientemente, para tentar melhorar a respiração. Também pode ser que a criança sue muito durante a noite e faça xixi na cama.

4- Hiperatividade e irritação

Essas são consequências comuns de noites mal dormidas. Se o seu filho tem apresentado mudanças repentinas de humor durante o dia e aspecto constante de cansaço, desconfie, pois pode ser que ele não esteja dormindo como deveria (com o sono comprometido pela apneia).

5- Baixo rendimento escolar

Se a criança está indo mal na escola, não descarte a hipótese de que o problema esteja relacionado ao sono. Isso porque, quando dormimos mal, no dia seguinte a concentração fica comprometida, e o resultado é que não conseguimos assimilar as informações que recebemos adequadamente.

criança irritada

criança irritada. Foto: freepik

Publicidade

Mas o que causa a apneia em crianças?

A principal causa de apneia em crianças é o aumento do tamanho das amígdalas e adenoides (aglomerados de tecidos entre o nariz e a garganta), comuns durante o crescimento infantil. Outros possíveis motivos são obesidade, doenças neuromusculares e malformações craniofaciais.

Para tratar a apneia em crianças podem ser receitados medicamentos (como corticoides nasais), além de um tratamento em conjunto com o dentista (com uso de aparelho) e o fonoaudiólogo. Em alguns casos, ainda pode ser indicada a cirurgia das amígdalas e adenoide.

Como diagnosticar

É importante consultar um médico se você suspeitar de apneia do sono em seu filho. Seu pediatra pode encaminhá-lo a um especialista em sono.

Para diagnosticar corretamente a apneia do sono, o médico perguntará sobre os sintomas do seu filho, fará um exame físico e agendará um estudo do sono .

Para o estudo do sono, seu filho passa a noite em um hospital ou clínica do sono. Um técnico de sono coloca sensores de teste em seu corpo e, em seguida, monitora o seguinte durante a noite:

  • ondas cerebrais
  • nível de oxigênio
  • frequência cardíaca
  • atividade muscular
  • padrão de respiração

Se o seu médico não tiver certeza se seu filho precisa de um estudo completo do sono, outra opção é um teste de oximetria. Este teste (feito em casa) mede a frequência cardíaca do seu filho e a quantidade de oxigênio no sangue durante o sono. Esta é uma ferramenta de triagem inicial para procurar sinais de apneia do sono.

Com base nos resultados do teste de oximetria, seu médico pode recomendar um estudo completo do sono para confirmar o diagnóstico de apneia do sono.

Além do estudo do sono, seu médico pode agendar um eletrocardiograma para descartar quaisquer problemas cardíacos. Este teste registra a atividade elétrica no coração do seu filho.

O teste adequado é importante porque a apneia do sono às vezes é esquecida em crianças. Isso pode acontecer quando uma criança não apresenta os sinais típicos do transtorno.

Por exemplo, em vez de roncar e tirar cochilos diurnos frequentes, uma criança com apneia do sono pode se tornar hiperativa, irritável e desenvolver alterações de humor, resultando no diagnóstico de um problema de comportamento.

Como pais, certifiquem-se de conhecer os fatores de risco para apneia do sono em crianças. Se seu filho atender aos critérios para apneia do sono e apresentar sinais de hiperatividade ou problemas comportamentais, converse com seu médico sobre como fazer um estudo do sono.

criança roncando

criança roncando. Foto: freepik

Tratamento para apneia do sono em crianças

Não há diretrizes que discutam quando tratar a apneia do sono em crianças e sejam aceitas por todos. Para apneia do sono leve sem sintomas, seu médico pode optar por não tratar a doença, pelo menos não imediatamente.

Quando as amígdalas ou adenoides aumentadas causam apneia obstrutiva do sono, a remoção cirúrgica das amígdalas e adenoides geralmente é realizada para abrir as vias aéreas de seu filho.

No caso da obesidade, seu médico pode recomendar atividade física e dieta alimentar para tratar a apnéia do sono.

Quando a apneia do sono é grave ou não melhora com a melhora do tratamento inicial (dieta e cirurgia para apneia obstrutiva do sono e dieta e tratamento de condições subjacentes para apneia central do sono), seu filho pode precisar de terapia de pressão positiva contínua nas vias aéreas (ou terapia CPAP ) .

Durante a terapia de CPAP, seu filho usará uma máscara que cobre o nariz e a boca enquanto dorme. A máquina fornece um fluxo contínuo de ar para manter as vias respiratórias abertas.

O CPAP pode ajudar nos sintomas da apneia obstrutiva do sono, mas não pode curá-la. O maior problema com o CPAP é que crianças (e adultos) frequentemente não gostam de usar máscaras faciais volumosas todas as noites, por isso param de usá-las.

Existem também bocais odontológicos que as crianças com apneia obstrutiva do sono podem usar durante o sono. Esses dispositivos são projetados para manter a mandíbula para a frente e manter as vias respiratórias abertas. O CPAP é mais eficaz, em geral, mas as crianças tendem a tolerar melhor os bocais, então é mais provável que o usem todas as noites.

Os bocais não ajudam todas as crianças, mas podem ser uma opção para crianças mais velhas que não apresentam mais crescimento ósseo facial.