Desculpe, mas minha filha não é mimada

Por 23 Comentários


Quando Catarina tinha apenas quatro meses de idade, enfrentamos o auge dos problemas aqui em casa. Foi a época em que ela mais chorou (e todos me diziam que o período crítico de choro ia até o fim do terceiro mês, o que só aumentava minha preocupação com a pequena), em que os dias pareciam intermináveis, em que eu decidi que faria de tudo para que ela se acalmasse – nem que eu precisasse colocá-la no carrinho e passear o dia todo (o que de fato eu fiz! E não foi apenas uma ou duas vezes, perdi a conta de quantas tardes eu passei andando pelo condomínio!).

Foi também nessa fase que eu decidi procurar uma segunda opinião médica, uma vez que a abordagem com homeopatia proposta pela primeira pediatra não parecia fazer efeito (e antes que você me pergunte, também a alopatia não resolveu a questão). Mas eu precisava buscar respostas, alternativas, outras experiências que pudessem me ajudar com minha filha (literalmente, eu estava quase louca, à beira da exaustão).

mae segurando bebe que chora

Então caímos nas mãos de uma pediatra muito conhecida em São Paulo. Ela me disse que Catarina já deveria estar dormindo a noite toda sem acordar (pelo menos oito horas seguidas), pediu vários exames e a opinião de uma gastro-pediatra sobre o refluxo que ela apresentava (para saber se era fisiológico ou patológico), bem como sobre uma possível alergia à leite. E soltou a seguinte consideração ao fim da consulta: “mãezinha, mas uma coisa você tem que entender – sua filha só chora assim porque você está mimando ela demais”.

Acho que vocês podem imaginar meus sentimentos quando saí porta afora. Uma das pediatras mais importantes da cidade me dizia que a culpa era minha, que eu não estava sabendo educar minha filha (de apenas quatro meses!). Em minha cabeça eu jamais poderia supor que um bebê tão pequeno pudesse estar mimado! Mas, considerando a imensa experiência da médica, achei que ela pudesse ter razão – o que me colocava como vilã da história.

Com as recomendações da pediatra, a primeira noite foi um sucesso:  oito horas cravadas sem a pequena acordar. Mas adivinhem: o choro diurno continuava – Catarina chorava, praticamente gritava, sem parar. Segunda noite: a pequena acordou a noite inteira, completamente exausta (pois quanto mais cansado o bebê está, mais ele acorda, como vim a descobrir depois, lendo muito sobre o assunto). E nas noites seguintes, embora eu fizesse tudo igual, as oito horas de sono não se repetiam, nem o choro cessava. Voltamos à estaca zero, e mais uma vez eu estava perdida.

Um mês depois, já com a avaliação da gastro-pediatra de que o refluxo de Catarina era normal e de que ela não apresentava alergia a leite, voltamos à médica. Fisiologicamente não havia explicação para tanto choro (na verdade, meu sentir de mãe sempre me disse que o grande problema eram as sonecas curtas, que não a deixavam descansar e a tornavam um bebê muito irritado – mas era ignorada por todos os profissionais com que conversei). E, após ver o resultado de todos os exames, a médica me disse que minha filha era perfeita, apenas muito mimada.

Conto isso para vocês, não para desabafar (porque, é claro, na hora eu fiquei engasgada e só não voei no pescoço da médica porque estava com minha filha nos braços), mas para fazer três alertas:

1) Não, um bebê de poucos meses não é mimado! Não é birrento, nem intencionalmente faz algo para “manipular” a família. Ele pode estar, sim, habituado a uma certa rotina (dormir embalado, ou no carrinho, ficar no colo), o que é bem diferente. Ele pode chorar todas as vezes em que você tenta mudar esse hábito, porque se sente seguro com ele. O que não faz de você, mãe, a responsável por criar um pequeno monstro mimado.

2) Com um bebê cansado não existe conversa. A falta de sono é capaz de deixar qualquer um se sentindo mal. Não é assim com os adultos? Experimente dormir mal por um mês e me conte se você não fica irritado, bravo ou choroso. Com os bebês é o mesmo – e exatamente por se sentirem assim, eles querem aquilo que traz a sensação de segurança. Esse é o bebê que não quer ficar no colo de ninguém, só da mãe; que não quer comer, que brinca um pouquinho e já fica estressado. Aí todo mundo fala pra você: “mas é culpa sua! Deixa chorar que ele aprende!”. E aí você deixa (com dor no coração) e sabe o que acontece? Nada! Continua tudo do mesmo jeito (ou talvez um pouco pior).

3) Procure ajuda, mas sempre ouvindo seu coração. Se há profissionais que estudaram anos para cuidar de uma criança, certamente eles devem ser consultados e poderão ajudar com a saúde do seu filho. Siga as recomendações (porque não adianta fazer pela metade e dizer que elas não funcionam) e se coloque no papel de mãe, não de médica do seu bebê. Mas não deixe de ouvir aquela voz que fala na sua cabeça, sua intuição, que te mostra o caminho quando nada dá certo. A minha, nesse dia, me fez levantar da cadeira e dizer: “agradeço muito sua atenção. Mas não, minha filha não é mimada. Ela é apenas um bebê que precisa de ajuda (e estou indo nesse exato momento procurar alguém que realmente possa fazer isso)”.




Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Comentários (23)

Trackback URL

  1. Liliane Costa disse:

    Passei muito tempo por isso sem dar uma resposta à altura pras pessoas que me criticavam…

  2. Liris, o choro dela passou naturalmente, conforme ela aprendeu a dormir melhor. Isso aconteceu meses depois, e até lá, foi só choro. Mas agora a pequena é ótima e saudável.

  3. Patricia disse:

    Nívea estou passando pela mesma situação e fico mais tranquila de saber que passa… Eu também tinha para mim que era a dificuldade para dormir que a irritava! Estou acabada também pois a minha n no carrinho se contenta, só no colo!

  4. Li um artigo, agora não recordo onde, que os bebês precisam aprender a dormir e pra isto existem técnicas que os pais podem aprender. A pessoa que disse isto foi uma terapeuta do sono.

  5. Daniela Vitorino disse:

    Meu filho vai fazer 4 meses e estamos com mesmo problema depois das 3 da manhã quer ser embalado de HR em HR para dormir. Estou tentando deixar ele chorar um pouco esse é o primeiro dia. Mas estou com coração partido

  6. Leomira Scholz disse:

    Eu me seguro para não dar esse tipo de resposta…
    Já estou cansada de um monte de gente dando palpite…
    Quando a Isabelly chora de sono tem gente que diz pra eu dar o peito que é fome. Quando não quer ir no colo da avó e chora é porque não gosta dela. Desde quando bebê de 7 meses gosta ou não de alguém?

  7. Suellen disse:

    Como vc fez para diminuir as sobecas curtas?

    • Nívea Salgado disse:

      Suellen,

      Elas foram aumentando naturalmente, conforme Catarina foi crescendo. Quando ela começou a sentar, engatinhar, se movimentar (e se cansar) mais, as sonecas começaram a melhorar gradativamente.

      Beijos!

  8. Nicole disse:

    Me vi inteiramente nesse texto. Passei os primeiros 4 meses da minha filha com ela no colo, correndo pra médico e acordando a noite toda. Segui meu coração é graças a Deus Deus tudo certo, hj ela é bem mais tranquila. Bjos

  9. Josiane disse:

    Boa noite, qual foi o metodo em usou para que ela dormisse 8 horas seguidas? Minha filha tem 3 meses e ainda acorda 2 vezss na noite!

    • Thamy Luchi disse:

      Tambem tenho um bebê de 3 meses que nao aceita dormir de dia. Coloco no berço dormindo umas 10 vezes seguidas e passa 10 minutos e acorda. A unica coisa que nao consegui fazer ainda é o metido do deixa chorar, porque ja tentei mas ele fica mais de hora chorando e nao para, entao não consigo continuar. Por não dormir de dia ele fica choroso. A noite ele dorme, mas nao dorme a noite toda. Também gostaria de saber qual a dica pra dormir a noute toda.

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Josiane,

      Como contei, só funcionou uma noite!

      Com 3 meses Catarina também acordava durante a noite, e isso só mudou bem mais para frente!

      Beijos!

  10. Vanessa disse:

    Meu bebe tem 6 meses e hoje de tarde tentei pela 1a vez o deixar chorando, não é pra mim e não concordo com isso, mas tentei… Ele faz duas sonecas de no máximo uma hora cada durante o dia, mas a noite acorda a partir da meia noite e chora até de manhã! Estou exausta, ele só dorme no dia que levo benzer… Será coisa de energia? Sei que eles sentem tudo, mas mesmo em dias que estou tranquila ele não dorme bem…

  11. Naity disse:

    Vc está certa! Não tem bebê mimado nessa idade, gente! Muito fácil jogar a culpa na mãe….sempre fazem isso! Siga seu coração mesmo! Que sua baby fique em!!!

  12. Aline disse:

    Foi um alívio ler seu texto! Tenho uma bebe de 6 meses que tem crises de choros fortíssimas durante o dia! Já fiz de tudo e não consigo acalmar ela. A pediatra acha que é refluxo, porém estou dando os remédios e não passa. Durante a noite ela dorme 8 horas seguidas e super bem, mas durante o dia chega a dar dó, tem horas que grita muito, estou exausta! Não sei mais o que tentar. Com quantos meses sua filha parou com isso? Descobriu o que ela tinha?

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Aline,

      Aparentemente minha filha só dormia mal, principalmente durante o dia. Com o passar do tempo, com a melhora progressiva do sono, tudo foi ficando mais fácil, e hoje ela é uma menina super tranquila!

      Grande beijo!

    • Luciane disse:

      OlaOlá, eu também estou com esse problema. Minha filha dorme bem a noite inteira, mas durante o dia chora muito e não sei mais o que faço :/
      Ela ten 6 meses também e não quer alimentar, só aceita mamar no peito.

  13. Leticia disse:

    Amei essa reportagem,passei por isso desde o nascimento até uns 5 meses.
    Não é fácil mesmo, além de tudo isso, a insegurança de estar fazendo algo errado e os dedos apontados para você são os piores.
    Mas no final dá tudo certo tudo passa. Aprendi que tudo é fase,então viva a fase do seu filho do jeito que você acha que vai ser melhor para ele e para você

  14. Magnólia disse:

    Oi Nívea!!!

    Lembrei do meu primeiro filho, o Samuel. Foi quando descobri seu blog… Ele também chorava muito… Mas é como você disse, faz parte e passou naturalmente… Eu, felizmente, tenho um pediatra que é maravilhoso… Aqui na minha cidade tem alguns pediatras famosos, especialistas… mas eu queria um que fosse acima de tudo amoroso… Para mim ele teria de ter cara de vovô… Busquei pelos CRM’s mais antigos e achei um, depois descobri que ele era o diretor da Unimed daqui de Limeira e uma amiga disse que ele era muito bom e amoroso, que cuidou dos filhos dela e que agora cuidava do neto… Ele é bem sério e reservado, os funcionários da Unimed tem até medo dele… kkkk
    Mas com as crianças… ah ele é o máximo… Sabe o que ele me disse quando eu falei na consulta de 1 mês do Samuel que ele estava chorando muito?!? Que ele queria colo, que precisava disso, que o colo acalmava… Ele dizia: “Chorou, põe no peito!!!” Ele gosta muito das crianças, dá carinho nas consultas, cheira (ele disse que ama o cheirinho de bebê), dá pirulito e bexiga… Pediatra bem à moda antiga… Atende pelo telefone e tudo o que ele receita pras crianças é “tiro e queda”.
    Desculpe o comentário enorme… mas pediatra que ama e entende criança é uma raridade hoje
    Beijos!!!

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Magnólia, tudo bem?
      Ah, que delícia de comentário! Tão bom saber que ainda temos pediatras assim! Sabe que depois de algumas andanças, redescobri o meu pediatra e hoje é ele quem cuida da Catarina. Também um doce de pessoa, e com uma sabedoria e experiência enormes!
      Ótimo saber que seu Samuel está em excelentes mãos. E fica a dica para quem mora em Limeira 🙂
      Beijos!

  15. Ariane Rocha disse:

    Estou vivendo a mesma situação…escuto as mesmas coisas e tbm tenho a mesma percepção já cheguei a ouvir que minha filha poderia ser autista pq chora muito e não gosta de ir no colo de outros …Estou bem cansada …obrigada por compartilhar essa experiência …fiquei mais esperançosa pois minha filha acabou de completar 5 meses …teve cólica, refluxo e dentinhos nasceram …tem sido tudo muito intenso e ainda com críticas inclusive de profissionais
    .

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail