Muitas mães me procuram para saber se eu acredito que seja possível ensinar um bebê a dormir sem deixá-lo chorar. Outras tantas me perguntam se as técnicas de choro realmente funcionam, porque já tentaram mil e uma coisas e nada funcionou – por isso estão pensando em recorrer ao método. Para responder a essas perguntas, convidei nossa colunista de sono para discutir essas questões. Vem, que está tudo explicadinho no post de hoje!

Por Michele Melão

recem nascido close

Publicidade

Olá, leitoras do Mil Dicas de Mãe! Hoje eu quero trazer para vocês a dúvida número 01 das mães que me procuram quando os bebês passam por problemas para dormir: ”você usa a técnica de deixar chorando?”.

Normalmente as consultoras de sono são muito associadas ao choro e minha intenção nesse post é desmistificar um pouco as técnicas que podem ser usadas e até onde o choro faz parte de tudo isso.

Deixar o bebê chorar até dormir não é exatamente uma técnica. Genuinamente acredito que não estamos ensinando nada a nossos filhos se os colocarmos no berço, virarmos as costas e deixarmos chorar até que eles durmam. Qual é o objetivo disso? Talvez promover o abandono, o que não é parte do trabalho de uma consultora de sono. Certamente uma hora ele vai parar, mas eu diria que quase 100% das mães não conseguiriam fazer isso, nem mesmo no auge do cansaço e do desespero.

Então o que é a técnica do choro controlado? É aquele processo onde você aparece no quarto para confortar seu bebê em períodos progressivamente maiores, mas não o tira do berço (mesmo que isso dure muito tempo), até que ele adormeça. Um dos estudiosos mais conhecidos a utilizar essa técnica é o Dr Richard Ferber , que recomenda uma espera progressiva que pode chegar a 30 minutos. Outro livro muito famoso que ensina os bebês a dormirem dessa maneira é o Nana Nenê, onde a espera pode chegar a 17 minutos. Apesar de tais métodos funcionarem para muitas famílias, e serem indicados por alguns pediatras com a garantia de que não há prejuízo para o bebê, para a maioria dos pais, eles beiram a crueldade.

E qual é a boa notícia desse post? É que existem outras técnicas para ajudar seu bebê a dormir, nas quais há muito menos choro e praticamente nenhum sofrimento. Dormir é uma habilidade que pode ser aprendida, e os bebês surpreendem quando são submetidos a esse aprendizado.  Eles não são tão rápidos quanto os métodos de “deixar chorar”, mas os resultados são excelentes, na maioria das vezes.

Um erro bastante comum é copiar o que deu certo para o filho de uma conhecida. Cada bebê se comporta de uma maneira, portanto nem sempre o que funciona em uma casa, vai funcionar para outras. Assim, o trabalho de investigação sobre a família, os hábitos e a rotina é primordial para o sucesso da aprendizagem. Além disso, a idade do bebê e sua maturidade psicológica precisam ser avaliadas. Ajudar um bebê de 4 meses a dormir é completamente diferente de promover uma aprendizagem de sono para um bebê com mais de um ano.

Publicidade

Precisamos pensar no sono como uma lição de casa. Você pode ficar ao lado do seu filho e orientar para que ele faça a lição – mas, se você interferir todas as vezes em que ele tentar, ou mesmo fazer sempre o trabalho por ele, o aprendizado ficará prejudicado.

Outro aspecto bastante comum quando se fala em aprendizagem de sono é tentar “de tudo”. Com as informações disponíveis na internet, os pais tentam as mais variadas técnicas por curtos períodos de tempo e o sono só piora. Trocam de pediatra e a cada hora recebem uma informação diferente. É muito importante ressaltar que o bebê precisa se sentir seguro para dormir, e trocar os hábitos a todo momento causa mais insegurança, choro e dificuldade para acalmá-lo. Por isso a rotina é tão importante! Ressalto que os pais sabem os motivos daquelas mudanças (no caso, ajudar o bebê a dormir), mas os pequenos não: eles não entendem e ficam mais inseguros. Logicamente em qualquer método existem as adaptações para respeitar a individualidade da criança, mas a essência deve ser mantida.

E por que os métodos gentis demoram mais para funcionar? Porque hábitos e rotinas precisam ser criados, entendidos, assimilados e não impostos. Para associar um hábito para o bebê, é necessário desconstruir o anterior, substitui-lo por um outro e insistir até que seu filho entenda o que está acontecendo, e isso deixe de ser novo para ele.

As crianças acordam durante a madrugada exatamente por causa dos hábitos! Bebês que dormem mamando, embalados, no carrinho e depois são passados para o berço (ou de qualquer outra maneira que não seja aquela em que ele ficará pelo resto da noite) podem acordar várias vezes de madrugada e precisam resgatar boas rotinas para se sentirem seguros.

Portanto os hábitos que você escolhe para seu bebê são primordiais para que ele tenha uma noite de sono completa e tranquila. Assim como a escolha certa do método também é essencial para garantir o sucesso da aprendizagem. Essas decisões sempre devem ser tomadas pensando em todos os aspectos da vida do bebê: cultural, educacional e social.

michele melão selo

Publicidade