Quer entender melhor sobre quando o bebê não mexe na barriga? Confira tudo nesse post!

Depois que a mamãe começa a sentir o bebê se movimentar, é uma grande festa. Nada como um sinal intenso como esse para se convencer de que seu filho está mesmo ali, e se desenvolvendo bem!

Mas não é rara uma certa apreensão se isso para de acontecer por um tempo: “meu bebê não se mexe na barriga, será que é um problema?”. Muitas grávidas acabam se fazendo essa pergunta, e por isso achei que seria um ótimo tema para tratarmos aqui no blog.

Entre a 18ª e 20ª semana de gestação, é comum que a mãe comece a sentir os primeiros movimentos do bebê na barriga. E, mais do que a emoção do filhote se mexendo lá dentro, essa sensação é importante, de fato, para provar que ele está se preparando para nascer com saúde.

Publicidade
mulher grávida

mulher grávida – Foto: Freepik

Assim, caso as mexidas do pequeno diminuam muito com o tempo, é importante estar atenta. Um bebê excessivamente quieto dentro da barriga pode indicar que algo não vai bem – uma falta de oxigenação, por exemplo.

Como eu sei que meu filho está se mexendo menos dentro da barriga?

Para chegar a essa resposta, primeiro você precisa entender o que significa uma frequência normal de mexidas para o seu bebê.

Evidentemente cada criança tem o seu próprio ritmo de desenvolvimento e, embora algumas características sejam genéricas, as particularidades existem. Por isso, não fique comparando o quanto o seu bebê se mexe na sua barriga com a intensidade que o filho de outra mãe se movimenta, pois podem ser diferentes mesmo (e os dois estarem perfeitamente saudáveis).

dor de barriga na gravidez

Gestante no sofá com dores na barriga. Foto: Freepik

Diante disso, a melhor maneira de detectar o padrão do seu filho é observando. É comum que a criança se mexa mais logo depois que você se alimenta, pois é o momento em que ela recebe mais energia.

Publicidade

Aproveite essa hora então e faça o teste: depois que você comer, deite com a barriga para cima e espere vir os movimentos. Note a quantidade de vezes que o pequeno chuta – e faça essa conta novamente durante três dias.

A partir daí, é possível ter uma ideia do padrão das mexidas do seu bebê. Com o tempo, se notar que o filhote realmente não está se mexendo com essa frequência, pode soar o primeiro sinal de alerta. Outra dica é contar: se passar seis horas e o pequeno não se mexer (nessas horas em que ele costuma se movimentar mais), pode ser mais uma indicação de atenção.

Meu bebê não mexe na barriga: o que devo fazer?

como amenizar retenção de líquidos na gravidez

Grávida com a mão na barriga. Foto: Freepik

Se notar que seu bebê não está se mexendo na barriga durante alguns dias, procure o seu obstetra e relate o que está acontecendo. Primeiro o profissional recorrerá a exames clínicos para detectar possíveis problemas, como ouvir os batimentos cardíacos, avaliando a vitalidade do feto.

Caso o profissional julgue necessário, ele solicitará avaliações mais complexas, como ultrassonografias específicas.

Meu bebê não mexe na barriga: quais problemas o bebê pode ter?

Quando o bebê para de se mexer na barriga, geralmente, o problema está relacionado à falta de oxigenação. Por algum motivo, o filhote está recebendo menos oxigênio do que precisa e, nesse caso, a quantidade que chega acaba sendo destinada a órgãos vitais, enquanto os músculos ficam em segundo plano (e seu bebê se movimenta menos).

Publicidade
sono da gestante

Gestante dormindo de lado. Foto: Freepik

O problema pode estar relacionado ainda a descolamento de placenta, diminuição de líquido amniótico ou a própria redução do fluxo sanguíneo da mãe. Assim, vale destacar que se a gestante tiver diabetes gestacional ou hipertensão, esses podem ser motivos adicionais que desencadeiam uma falta de oxigenação no filhote. E atenção: tudo isso representa situações de risco ao bebê, que pode acabar morrendo ainda no útero se não for tratado.

Como tratar?

Identificado o que está causando o problema no bebê, o médico indicará um tratamento. São muitas as alternativas dependendo do caso: desde repouso até mesmo à indicação de uma cesárea de emergência, dependendo do mês e da situação.

Por isso, o ideal é estar alerta sempre. Mas também vale lembrar que às vezes a falta de movimentação durante um tempo pode não indicar anormalidades. Uma dica bacana é estimular o pequeno ainda dentro da barriga para incentivá-lo a se mexer, com música por exemplo (veja como aqui).

Monitorando contagens de chutes

Grávida dormindo

Grávida dormindo – Foto: Freepik

Se você acabou de notar uma diminuição nos movimentos do seu bebê ou não tem certeza se ele está se movendo menos, tente contar os chutes do bebê ao longo de duas horas em um momento em que ele costuma estar ativo.

Se ele geralmente começa a chutar depois de você comer, por exemplo, faça um lanche e deite-se por algumas horas enquanto conta quantas vezes você o sentiu chutar.

Como um médico avaliará a diminuição do movimento fetal

Se o seu médico ou parteira sentir que há um motivo potencial para preocupação com base em suas observações, eles provavelmente pedirão que você vá para monitoramento.

Também é importante observar que você não deve confiar em um monitor cardíaco fetal para saber que seu bebê está bem.

Os dopplers fetais e outros monitores cardíacos podem apenas dizer que o coração do seu bebê está batendo. Eles não podem dizer a você, por exemplo, se há um problema com a placenta ou se seu bebê está passando por outro sofrimento fisiológico.