5 objetos que podem provocar queimaduras em crianças (e que podem estar perto do seu filho)

Por 0 Comentários


Sabem que nos últimos tempos tenho ficado muito preocupada com algumas histórias envolvendo queimaduras de crianças? Achamos que o risco está longe das nossas casas, mas a verdade é que o perigo está bem pertinho. Aqui no meu condomínio, por exemplo, uma menina sofreu queimaduras de segundo grau nos braços e no rosto durante um churrasco, no mês passado (dá para acreditar?). Não sei se vocês acompanharam também, mas há algumas semanas bombou na internet o vídeo de um garotinho de Goiás sendo queimado por um balão, daqueles decorados, flutuantes, que encontramos à venda em muitos lugares (e que nossos filhos sempre pedem!). A imagem foi captada por câmeras de segurança da casa da família, e o pequeno, que estava brincando com o objeto, provocou o estouro da peça, que se desfez em chamas. A criança sofreu queimaduras, está em tratamento, e passa bem, felizmente.

De qualquer forma, achei importantíssimo deixar esse alerta aqui no blog, contando situações e mostrando objetos, aparentemente banais, que podem resultar em queimaduras sérias em nossos filhotes. Espero que seja um material útil, e que vocês compartilhem com outras mães, para que nossas crianças permaneçam em segurança.

 

Acidentes com balões

O problema em comprar balões (desses bonitinhos e que flutuam) é que nem sempre os vendedores são munidos do cilindro correto para o preenchimento. A presença do equipamento no local da compra é fundamental, para que você verifique qual o gás utilizado para encher os balões. Vale saber que o indicado para essa finalidade é o gás hélio, que é mais leve que o ar (por isso mantém o balão suspenso) e seguro, não correndo o risco de inflamar. Os cilindros que são munidos de gás hélio são alaranjados (e todos, obrigatoriamente, contêm uma etiqueta informando qual gás está no interior).

Evite a compra se o vendedor não estiver com o cilindro. Como o gás hélio tem um custo mais elevado, algumas pessoas acabam preenchendo os balões com outros gases (alguns, inclusive, inflamáveis – como foi o caso do adquirido pela família do vídeo), para então vendê-los. Se o balão que seu filho pediu não estiver voando muito bem, mais um motivo para não comprá-lo, pois aumentam as chances do preenchimento não ser de hélio (em uma entrevista, a mãe do garotinho que se machucou disse que havia notado que o balão não voava muito). Fique de olho antes de levar um produto desses para casa!

 

Acidentes em churrasqueiras

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Para acender ou reacender uma churrasqueira (sem acendedor automático), é necessário álcool. E, como o produto é inflamável, as chances de acidentes são reais. Por isso, quando for acender, tenha o cuidado de verificar se não há qualquer criança por perto, e mantenha o frasco de álcool longe do fogo, após o uso. Também deixe para servir os pequenos longe da churrasqueira, na mesa, e jamais as deixe manusear o equipamento.

Um cuidado adicional é apagar a churrasqueira depois do churrasco (algumas pessoas mantêm as brasas acesas, mesmo que fracas, para que a churrasqueira seja apagada sozinha de um dia para o outro; mas é melhor apagá-la após o uso – o que pode ser feito com sal – pois os filhotes podem voltar ao local e acabarem queimados).

 

Acidentes com fogos de artifício

O manuseio de fogos de artifício requer muitos cuidados, que devem ser seguidos à risca para evitar acidentes. Em relação às crianças, a primeira precaução é não deixá-las manusear sozinhas os fogos e soltá-los (bem) longe delas. Antes de soltar um fogo de artifício, é fundamental ler as regras da caixa, observar a área onde será jogado (não pode haver rede elétrica na região, por exemplo) e verificar os resíduos que ficam no chão após a soltura (alguns podem permanecer acesos, é necessário apagá-los). Depois de utilizado o material, mergulhe-o em água, para que apague completamente e não corra o risco de ser reutilizado indevidamente. Mais um cuidado fundamental (que é óbvio, mas tem que ser dito): não misture o consumo de bebidas alcoólicas com o manuseio de fogos (uma combinação muito comum, especialmente nas festas de fim de ano).

 

Acidentes com bombinhas

Imagem: http://indiretasdobem.com.br/

Imagem: http://indiretasdobem.com.br/

As bombinhas, também conhecidas como biribinhas ou estalinhos (que quando lançadas no chão soltam um estouro), são aparentemente inofensivas, apesar do barulho, não é? Contudo, esses produtos soltam faíscas quando são jogados, e se essas faíscas atingirem substâncias com potencial para incêndio (como álcool), podem provocar acidentes sérios. Nas festas juninas é muito comum o uso de biribinhas, mesmo pelas crianças, mas é preciso atenção com o local onde são estouradas, ok?

 

Acidentes com panelas

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Panelas e fogões são itens que devem ficar longe do alcance dos pequenos, sempre. Tenha o cuidado de manter os cabos das panelas virados para dentro e manter as crianças longe dos fogões aquecidos. Mais um cuidado importante é em relação às toalhas de mesa: não deixe panelas quentes próximas às bordas da mesa, pois podem cair, caso o pequeno se agarre à toalha para se apoiar (atitude muito comum em crianças que estão aprendendo a andar).

Veja também: Queimaduras em crianças: como tratar e prevenir!




Arquivado em: Saúde Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail