Por que é tão importante incentivar seu filho a beber água (mesmo no inverno!)

Por 0 Comentários


Nessa época do ano, as temperaturas começam a baixar, e o friozinho chega com tudo. Com isso, nem sempre nos lembramos da importância de oferecer – várias vezes ao dia – água para os nossos filhos beberem, não é mesmo? Embora no inverno o risco de desidratação seja menor, ele não deixa de existir. Além disso, outros problemas de saúde (como os respiratórios, e mesmo as infecções urinárias) podem ser evitados com esse simples hábito, que faz tão bem para nossos filhotes (aliás, para a família inteira!).

menina bebendo agua

Na estação mais fria do ano, o tempo fica seco e frio, facilitando a ocorrência de resfriados e viroses em geral. Para as crianças com alergias respiratórias, o clima é ainda mais preocupante – parece que os pequenos não saram nunca, pois emendam uma tosse na outra, até que o calor volte. E é aí que o consumo de água pode fazer toda a diferença: beber bastante líquido ajuda na lubrificação das vias aéreas, o que reduz a chance de seu filho pegar um resfriadinho, uma gripe ou outra infecção no trato respiratório.

Outro benefício do consumo de água frequente diz respeito à prevenção da desidratação. Claro que no calor, sob altas temperaturas, o filhote está mais propenso à perda da água corporal. Mas no frio também é importante estar atenta: as crianças costumam suar bastante quando praticam exercício físico com várias camadas de roupa, e há ainda utilização de água pelo próprio corpo, para a manutenção de sua temperatura. Por isso, não deixe de oferecer constantemente líquidos a seu filho, e observe se ele manifesta os sinais da boa hidratação: xixi abundante e clarinho, boca e olhos bem lubrificados.

Mas, enfim, que tipo de líquido deve ser oferecido? Embora sucos, chás e leite tenham seu papel na alimentação infantil (lembrando que são indicados depois dos seis meses de vida – até lá, preferencialmente, apenas leite materno!), o ideal é que você acostume o pequeno a beber água mineral desde bebê para matar a sede e se hidratar. Assim, essa atitude vai se tornar parte da sua rotina (não se esqueça de que a maioria dos hábitos que acompanham as pessoas para o resto da vida são adquiridos na infância!).

Abaixo, selecionei algumas dicas simples para ajudá-la a incluir o consumo de água no dia-a-dia do seu filho. Vem dar uma espiadinha!

– Ofereça várias vezes: é importante lembrar-se de hidratar a criança durante todo o dia, mesmo que seu filho não manifeste sede (porque, em geral, eles não se lembram de pedir para beber água). Tente fazer isso também entre as refeições; dessa forma, o apetite de seu filho não será afetado.

– Copinhos lúdicos podem ajudar: copos com o personagem ou a cor preferida do filhote são ótimos incentivos para que ele beba mais água. Por isso, vale à pena investir em kits de alimentação divertidos, que vão estimulá-lo na tarefa diária de consumir água. Outra alternativa bacana são os copinhos que oferecem autonomia aos pequenos, como os de transição (para os bebês) e aqueles com canudos (para os maiores). Eles adoram e se sentem grandes!

– Explique a importância: se seu filho já não é um bebê e entende o que você fala, conte a ele como beber água é um hábito fundamental para que ele cresça bem e tenha uma saúde de ferro. Às vezes pensamos que os filhotes não entendem nossos recados, mas eles costumam nos surpreender por entenderem muito mais do que imaginamos!

– Tenha sempre uma garrafinha por perto: no carro, na escola, na cozinha, no quarto… Deixe próximo de vocês um copinho com água mineral. Isto facilita – e muito – a ingestão do líquido, e faz com que o hábito se torne duradouro. Só não se esqueça de trocar o conteúdo da garrafa com frequência, para que ele não se torne um refúgio para microorganismos do ambiente.

– Dê o exemplo: de nada adianta conversar com a criança, se você não faz o que está falando. Assim, para o bem do filhote e de toda a família, habitue-se a consumir bastante água durante o dia. Converse também com o pediatra de seu filho e pergunte qual é a quantidade que ele deveria ingerir diariamente, pois isso varia de acordo com a idade e o peso do pequeno.




Arquivado em: Saúde Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail