Mapa astral: para conhecer melhor sua família!

Por 2 Comentários


O ano de 2014 está chegando ao fim. Dezembro traz essa aura saudosista, de que estamos deixando para trás momentos que nos marcaram nesse ciclo. Para mim, este ano foi especialmente importante, transformador mesmo. Mudei radicalmente de profissão, passei a trabalhar em casa e colhi todos os benefícios e dificuldades dessa escolha. Foi muito, muito bom, vocês não podem imaginar quanto!

Não sei se já comentei aqui (mas acredito que sim), que antes de tomar essas decisões eu passei por um profundo processo de auto-avaliação. Sobre quais eram meus objetivos de vida, minhas vontades, e o que de fato faria feliz a mim e à minha família (porque eu só consigo enxergar as duas coisas juntas). E no meio de tudo isso tive uma experiência muito bacana, com a Sílvia Bacci, que se tornou uma amiga e parceira do blog.

A Sílvia é uma astróloga bárbara, que estudou muito para adquirir toda a bagagem que tem hoje. Ela faz diversos textos para revistas que você lê frequentemente (e tem um Facebook bem legal, onde ela sempre dá dicas do astral do dia, da semana, sobre o que está por vir). Eu fiz meu mapa astral com ela (desde criança tenho vontade de fazer com um profissional bacana, e ela foi a escolhida). E toda a interpretação que ela fez mexeu muito comigo, o que me ajudou a tomar diversas decisões – inclusive essa de encarar uma vida de empreendedora.

Como muitas pessoas ao longo do ano me perguntaram um pouco mais sobre esse processo de deixar um emprego público e de abraçar uma nova vida profissional, decidi fazer uma entrevista com a Sílvia – afinal, ela faz parte dessa história. A seguir ela conta um pouco mais sobre como a interpretação do mapa astral pode ajudar uma pessoa a se conhecer, e também o que é possível entender sobre a personalidade de um filho quando é feita. Tenho certeza de que quem curte astrologia vai gostar muito!

Imagem: Clexow via Compfight cc

Imagem: Clexow via Compfight cc

Como é o mapa astral infantil e como ele pode ajudar os pais?

Assim como o mapa que interpretamos para os adultos, o mapa astral infantil revela tendências comportamentais, preferências e conflitos. A diferença é que a criança ainda é uma “sementinha” que pode ter seu desenvolvimento beneficiado quando se conhece estas tendências antecipadamente. Os pais podem estimular seus talentos e pontos fortes e cuidar com mais atenção dos assuntos que são delicados para ela.

 

Qual é a melhor época para fazer o mapa de uma criança?  

O mapa astral pode ser interpretado a qualquer momento desde o nascimento. É cada vez mais comum que os bebês ganhem este presente ainda na maternidade. Nesta fase é importante conhecer o temperamento e o ritmo do pequeno, inclusive suas tendências na saúde e os pontos de somatização. A cada mudança significativa na vida da criança os pais podem agendar uma consulta com o astrólogo para analisar o mapa a partir de um novo olhar. O início da vida escolar, o nascimento do irmãozinho e uma mudança de cidade são algumas delas.

 

Quais são os temas que o mapa da criança aborda?

O temperamento da criança, seus gostos, sua maneira de se expressar, seu raciocínio, suas principais necessidades emocionais, jeito de demonstrar afeto, os medos, as habilidades que possui, o tipo de escola mais indicada, as influências quanto à saúde, entre outros fatores. Outro ponto bem interessante é como ela percebe os pais e os irmãos e o tipo de relacionamento que estabelece com cada um deles. Enfim, são muitas informações úteis para os pais e também para os educadores.

 

Nas casas em que conflitos são constantes, é possível fazer a interpretação dos mapas da família como um todo para se propor caminhos de entendimento?

Sim, é possível. Às vezes a gente quer que os familiares mudem seu jeito de ser só para atender às nossas expectativas. Ao fazer o mapa astral dos membros da família, cada um é valorizado no que tem de mais precioso: a sua individualidade. Pais e filhos podem se entender melhor, irmãos podem respeitar mais as diferenças entre si, sem que um seja considerado melhor ou pior. A dinâmica familiar torna-se maisequilibrada quando há respeito mútuo. O grande benefício que a astrologia proporciona é o autoconhecimento, somado ao conhecimento do outro.

Muitas mães avaliam uma possível mudança de direção profissional depois que os filhos nascem. Voltar ou não da licença maternidade, dedicar-se a uma atividade independente, partir para o empreendedorismo. A interpretação do mapa astral da mãe pode ajudar nesse sentido também?

Pode ajudar, e muito! A astrologia vocacional permite conhecer a variedade de talentos que estas mães possuem, que podem ser verdadeiros coringas quando se tem filhos pequenos. Sabendo do próprio potencial é mais fácil tomar decisões e mudar de atividade profissional. A interpretação do mapa astral ajuda nisto.

Sílvia Bacci é astróloga e colunista do Mil Dicas de Mãe, na seção Astrologia. Para entrar em contato com ela escreva para bacci@uol.com.br ou acesse a Fanpage – www.facebook.com/astrologasilviabaccii




Arquivado em: Astrologia / SignosEntrevista Tags:

Comentários (2)

Trackback URL

  1. Ola Pessoal, saiu a entrevista da Sílvia no blog Mil Dicas de Mãe. Espero que vocês curtam. 🙂

  2. Divani Mogames Terçarolli disse:

    Excelente e esclarecedora entrevista! Conheço a Silvia há muitos anos e sei o quanto ela é dedicada e apaixonada pelo que faz. Recomendo muito o trabalho dela.

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail