Muitas mulheres se perguntam se a cafeína na gravidez e na amamentação pode fazer mal para o feto e para o bebê. Entretanto, estudos apontam que existe uma quantidade segura que pode ser consumida diariamente, desde que a mulher não exagere, obviamente.

Sendo assim, estima-se que cerca de uma xícara de café pode ser consumida diariamente, sem que isso impacte no sono do bebê ou no seu desenvolvimento.

Porém, cuidado com o quanto de café você usa para preparar essa xícara: cafés mais fortes podem conter doses mais altas de cafeína e, neste caso, é preciso ficar atenta.

Para saber mais, continue lendo e veja qual a forma segura de consumir cafeína na gravidez e na amamentação.

Publicidade
cafeína na gravidez

Grávida tomando café. Foto: Freepik

Pode consumir cafeína na gravidez e amamentação?

Sim. Como mencionamos acima, estudos apontam que a cafeína na gravidez, desde que consumida na quantidade adequada, não traz malefícios para a saúde do bebê.

Ou seja, mitos que apontam que beber uma xícara de café pode ocasionar “insônia” no bebê, são apenas inverdades infundadas. Porém, da mesma maneira é preciso preparar um café que não seja muito forte, embora ele não precise ser fraco.

Em outras palavras, o ideal é que a mulher consuma, no máximo, 200 miligramas de cafeína todos os dias, ou seja, o que equivale a 300 gramas de café, ou uma xícara.

Leia também: Esquizofrenia na gravidez: Como proceder?

Consumir quanto de cafeína na gravidez?

Na gravidez, você pode beber cerca de uma xícara de café por dia, desde que não consuma outras fontes de cafeína que acabem provocando dosagens mais altas. Isto é, se você gosta de consumir chocolate, por exemplo, saiba que este alimento também contém cafeína e, nesse caso, é importante ficar atenta à informação nutricional presente na embalagem do produto.

Publicidade

O mesmo vale para alguns tipos de chás. Portanto, procure sempre se informar sobre a quantidade de cafeína nos alimentos, antes de provocar uma superdosagem. Vale, inclusive, conversar com uma nutricionista sobre essa situação.

cafeína na gravidez

Gestante com cardápio na mão. Foto: Freepik

Quanto de cafeína posso beber por dia na amamentação?

No caso da cafeína na amamentação, a quantidade se mantém a mesma. E, novamente destacamos a importância de se atentar para as outras fontes de cafeína que podem fazer parte da sua alimentação. Ter consciência disso é indispensável para não sobrecarregar o seu organismo e, obviamente, não sobrecarregar o do bebê.

Vale ressaltar ainda que alguns nutricionistas defendem a ideia de que a mulher consuma a cafeína em dias alternados, ou seja, não diariamente. Assim, mesmo que o seu consumo não ultrapasse uma xícara, o ideal é que você beba dia sim e dia não. Mas, isso são considerações de alguns especialistas, de maneira ampla e, no entanto, a melhor forma de encontrar a quantidade ideal para você é consultando um nutricionista.

Veja também: Corrimento patológico: Saiba sinais de alerta

Cafeína na gravidez: quais os riscos?

Apesar de alguns estudos apontarem um consumo máximo de cafeína, é importante ter em mente que esses dados dizem respeito à gravidezes saudáveis e equilibradas. O mesmo vale para o período de amamentação: se a mãe e o bebê não apresentam nenhuma doença, transtorno ou desequilíbrio, o consumo de uma xícara de café pode ser liberado, desde que não consumido concomitantemente com outras fontes de cafeína.

Publicidade

Gestante tomando café e usando o notebook. Foto: Freepik

Porém, se a gravidez for de risco, a mãe ter alguma doença ou o feto/bebê apresentar distúrbios, a mulher deve descartar o consumo de cafeína e conversar com o médico antes de qualquer coisa. Afinal, é importante ter sempre em mente que cada corpo é um corpo e merece nutrientes e vitaminas de maneira adequada às suas necessidades.

Além disso, é importante destacar que o consumo indiscriminado de cafeína na gravidez e na amamentação pode apresentar sérios riscos para a saúde da mãe e do bebê. São eles:

  • Aborto espontâneo;
  • Redução no crescimento fetal;
  • Prematuridade;
  • Baixo peso no nascimento.

É preciso ter em mente que a cafeína é um verdadeiro estimulante e não apenas para a mãe, para o bebê também. Com isso, impacta nos batimentos cardíacos; no estresse; no bem-estar; na atenção e até mesmo no metabolismo da mãe e do bebê. Por isso, cuidado com o consumo exagerado e, novamente frisamos que é indispensável que você converse com o seu médico para encontrar a quantidade ideal para o seu caso.

Gestante na cafeteria. Foto: Freepik

Quais alimentos possuem cafeína?

Agora que você já conseguiu se aprofundar no tema “cafeína na gravidez e na amamentação”, que tal dar uma olhadinha na lista de alimentos que contêm este componente e, muitas vezes, nem nos damos conta? Atente-se:

AlimentoQuantidade de cafeína
200 ml de café passado (tradicional)       100 mg
1 colher de chá de café solúvel57 mg
30 ml de café espresso75 mg
200 ml de chá preto60 mg
200 ml de chá verde60 mg
200 ml de refrigerante de cola40 mg
250 ml de energéticos80 mg
40 g de chocolate meio amargo20 mg
250 ml de achocolatado (Nescau)8 mg

E o café descafeinado? Pode ser consumido?

O café descafeinado, no entanto, contém cerca de 4 mg de cafeína em 150 ml da bebida. Porém, o consumo também não precisa ser exagerado, afinal, tudo que é demais pode ser maléfico. Lembre-se de sempre consumir de maneira equilibrada e sempre considerando as recomendações médicas.

Gestante sentada no chão e tomando café. Foto: Freepik

Agora que você já sabe tudo sobre a cafeína na gravidez e na amamentação, já pode compartilhar esse conteúdo com a amiga grávida ou que está amamentando! Vamos disseminar conhecimento consciente e assim ajudar as pessoas a terem a saúde sempre em dia? Contamos com você! 🙂

Para ler agora: