Seu filho não gosta de ler? Sim, isso é normal em algumas crianças, mas não se preocupe: veja o que fazer nesse caso!

Sabemos que a leitura traz inúmeros benefícios para a nossa saúde mental. Porém muitas pessoas não sabem disso e não cultivam esse hábito.

Segundo uma pesquisa realizada, os brasileiros não leem mais do que 2,43 livros por ano. Ou seja, ainda faltam muitos leitores em nosso país.

Pensando nisso, confira a seguir quais são os principais benefícios trazidos pelo hábito da leitura:

Publicidade

1. Estimula a criatividade

filho não gosta de ler

Menina sentada em mesa branca com várias tintas coloridas em cima. Ela segura uma paleta de tinta. Crédito da foto: Freepik

A leitura é muito enriquecedora e estimula a criatividade. Isso porque, quando lemos, somos apresentados a outras histórias, que exploram os mais diversos cenários e personagens.

As descrições e detalhes nos levam a imaginar as cenas, locais e personagens – criando as imagens em nossa mente e estimulando nossa imaginação.

Nos sentimos conectados com a narrativa e quanto mais produtiva for a imaginação, melhor será a experiência da leitura.

Nesse caso, a criatividade também traz um pouco de individualidade, já que cada um imagina os cenários de um jeito na mente. Ou seja, cada leitor traz referências do seu próprio mundo interior.

Na criança, essa prática deve ser ainda mais estimulada pois é na infância o melhor momento para desenvolver a criatividade.

Publicidade

2. Exercita o cérebro

Ler faz muito bem para o cérebro, não importa se é uma grande tese acadêmica, um gibi ou mesmo uma bula de remédio.

O hábito em si promove crescimento intelectual, pois o cérebro realiza uma quantidade maior de sinapses (conexões neurais) durante a ação.

Em outras palavras, a leitura é como uma ginástica para o cérebro. Com isso, diversas funções cerebrais são favorecidas. Inclusive, há quem diga que ler previne doenças degenerativas, como o Alzheimer.

3. Melhora a memória e concentração 

Além dos benefícios anteriores, ler também melhora a concentração e a memória – pois essa ação afeta positivamente o cérebro e trabalha suas funções cognitivas.

Ler é um ótimo treino de atenção e um recurso eficaz para aprender a se concentrar. Especialmente quando você lê em ambientes mais movimentados, onde é preciso se esforçar para manter o foco sem se distrair com os estímulos externos (que são muitos!).

Ou seja, quem lê com mais frequência consegue memorizar informações mais facilmente, uma vez que essa função é constantemente treinada no cérebro.

Publicidade

Afinal de contas, quando lemos um livro, precisamos absorver os dados nele contidos, como o nome dos personagens, características, ambientes, etc.

A leitura também facilita na aquisição de novos idiomas, então pessoas que leem mais possuem maior facilidade na hora de aprender novas línguas.

4. Amplia o vocabulário e os conhecimentos gerais

Da mesma forma, quando lemos um livro, nos deparamos com novos vocabulários (alguns até bem requintados, não é mesmo?) e essa ampliação de bagagem trazida por palavras novas é útil também na hora de construir redações mais elaboradas.

Além do repertório verbal, o leitor expande o seu conhecimento geral. Com os livros, ele tem acesso a novas informações dos mais variados assuntos: desde lugares do mundo, períodos históricos, diferentes culturas, personalidades importantes e muito mais. Esse aprendizado é muito valioso!

5. Desenvolve as habilidades de escrita

Menina está sentada em cima de uma pilha de livros. Ela está concentrada e segura um livro aberto. Crédito da foto: Freepik

Quanto mais se lê, melhor se escreve! Essa frase faz muito sentido, não é? É que as duas ações estão relacionadas e se complementam.

Interpretar dados e fatos, organizar o pensamento, formular sínteses e encadear ideias são habilidades importantes que se desenvolvem com o hábito da leitura e que aprimoram a escrita.

Você também pode aperfeiçoar o seu estilo conforme o tipo de livros que lê. Quando nos identificamos com a escrita de determinado autor, temos a propensão de “herdar” um pouco do tom que ele utiliza em seus textos. Isso ocorre de forma quase automática, isto é, enquanto escrevemos, nossa mente pode evocar esse modelo.

6. Desperta o senso crítico 

Ler ajuda a despertar o senso crítico, pois possui maior conhecimento das coisas e, consequentemente, não acredita ou concorda com tudo o que lê por aí.

Hoje em dia, isso tem se intensificado cada vez mais com as notícias falsas espalhadas pela internet. Muitas pessoas sem conhecimento prévio acabam acreditando nessas fake news e não confirmam a veracidade dos fatos.

A leitura, portanto, tira o indivíduo desse ciclo de senso comum e posicionamentos automáticos e permite que ele tenha um olhar crítico sobre os fatos. Isso ajuda a observar a situação por diferentes prismas e assumir uma postura mais questionadora – o que, nos dias atuais, é fundamental.

7. Transporta o leitor para outro universo

Two children read books in the park. concept of education Premium Photo

Duas crianças estão lendo livros em um parque. Crédito da foto: Freepik

Por último, a leitura entretém o leitor, ajuda a se distrair, relaxar e aliviar o estresse. O leitor tira o foco das tensões e dos problemas do dia a dia e abre as portas para um mundo paralelo, totalmente distante da sua realidade.

Os personagens ganham vida e os cenários se desenham na mente de quem lê, dando início a uma jornada rica, na qual até as emoções afloram como se fossem experiências reais.

Ler é incrível, pois abre a mente para um mundo totalmente novo, que se encontra com nossa própria imaginação. Além disso, esse hábito abre a mente e pode tornar o leitor uma pessoa melhor!

É por isso que a leitura é uma das melhores atividades a se incentivar durante a infância. Os pais devem incentivar seus filhos a lerem, garantindo que isso se torne um hábito para a criança.

O exemplo, é claro, começa dos pais! Então se você também não possui esse hábito de ler livros, comece por você e que tal ler alguns romances? Seu filho com certeza irá se espelhar em você!

Então, se o seu pequeno não tem tanto interesse pelos livros, tente descobrir o porquê dessa afirmação. Será que ele nunca foi incentivado a ler? Será que não gosta mesmo de ler ou simplesmente não gostou de algum título em específico? O que pode estar gerando esse desinteresse?

Para responder a essas perguntas é preciso observar a relação do seu filho com os livros. E, mais do que isso, é preciso observar a forma como o livro é apresentado aos leitores, bem como a função da leitura dentro da família.

Mas, afinal, o que é o interesse pela leitura? 

Quando falamos que temos interesse por algo é o mesmo que dizer que gostamos daquilo. Que algo é importante para nós, do nosso agrado.

E como saber se temos interesse por algo? Experimentando, é claro! Talvez seu filho nunca tenha sido apresentado ao universo dos livros. Sabemos que pode causar um certo estranhamento no pequeno, principalmente hoje em dia com tantos estímulos digitais e modernos.

Mas ler é fundamental – melhor ainda se for com um livro físico, de papel. O toque é muito importante nessa fase também, bem como as ilustrações.

Existem uma série de livros infantis que são coloridos e possuem texturas, formas, tamanhos e ilustrações chamativos e interativos para o seu pequeno.

Não desista de apresentar livros ao seu pequeno. Comece com pequenas histórias, que contenham várias ilustrações, que sejam fáceis de ler. No começo pode ser difícil, mas como a mediação certa logo você perceberá os resultados.

Portanto, não se esqueça, o interesse pela leitura não surge imediatamente após apresentarmos o livro aos leitores. É preciso que eles sintam que aquilo é útil, vantajoso e sobretudo, prazeroso.

Assim, quando falamos em interesse pela leitura também estamos falando em hábito, por essa razão hábito e interesse andam de mãos dadas!

Porém, saiba que gostar de ler não significa que o seu pequeno irá sempre preferir os livros aos games ou aos passeios. Pelo contrário, o gosto pela leitura não precisa excluir outras atividades. É possível fazer um pouco de cada!

Fatores que influenciam o desinteresse pela leitura

Talvez ele não tenha gostado de um livro ou outro, ou então ele se desinteressou por causa da maneira a que foi apresentado. Por exemplo, se você apenas entregar o livro na mão da criança, é muito provável que ela perca o interesse logo.

Jamais dê o livro para ele e diga simplesmente para ele ler. Não, é preciso ler o livro com a criança. Apresentar esse mundo a ela de maneira atrativa e convidativa! Esperar que os pequenos se encantem sozinhos pela leitura não é um bom método de incentivo.

Apesar do pouco incentivo, parte do público jovem demonstra aptidão para leitura, tanto que um dos gêneros mais lidos no país é o infanto-juvenil, que só perde para as obras de literatura estrangeira.

filho não gosta de ler

Garotinha está lendo um livro em seu quarto. Crédito da foto: Freepik

Seu filho não gosta de ler? Veja como fazer ele se interessar pela leitura

1. Frequente ambientes de leitura

Primeiramente, saiba que quanto mais cedo se tem contato com a leitura, melhor! Para isso, leve seu filho a lugares como bibliotecas, livrarias ou sebos.

Esse ambiente ajuda a estimular o hábito na criança. Quando levar o pequeno nesses locais, fale sobre os benefícios da leitura e que ele vai aprender coisas novas. Apresente alguns livros pra ele!

2. Leia o mesmo livro que o seu filho

Que tal separar o momento da leitura? Ou criar o clube do livro em casa? Pegue um livro, sente com o seu pequeno e leia em voz alta para ele, apontando para as ilustrações e – quem sabe – fazendo os personagens!

Vocês ainda podem conversar sobre o livro que leram juntos. Isso torna tudo mais divertido e ainda aproxima os pais dos seus filhos.

Filho não gosta de ler: 3. Respeite o gosto do seu filho

Se seu filho não gostar de determinado livro, não force. Tudo bem se os gostos de vocês não baterem, o importante é que ele goste de ler.

Se você gostaria que ele se interessasse por determinado livro ou gênero, pode pedir que fale um pouco sobre a história que ele está lendo e aproveitar para contar um pouco sobre a sua. Dessa forma um cria interesse pela história do outro.

Filho não gosta de ler: 5. Apresente vários tipos de linguagem

A gente costuma achar que a leitura está apenas nos livros, porém as histórias também podem ser contadas em outros formatos, como filmes, peças de teatro, exposições e até mesmo nas músicas. Só que com outra linguagem.

Que tal visitar outros locais culturais também? Explore as diferentes possibilidades!

Filho não gosta de ler: 6. Incentive a leitura de outras formas

Se ele gostou de algum livro e ficou empolgado, que tal fazer uma peça de teatro em casa contando a história? Ou então contar com fantoches? Outra ideia é fazer um passeio que tenha um cenário parecido com o enredo que ele está lendo.

Ou, até mesmo, pedir a ele que escreva seu próprio livro. Alguns papéis, canetas e barbante irão ajudar nessa tarefa! Vocês podem até criar uma capa juntos, tornando o momento ainda mais divertido. Depois, façam uma boa leitura da história inteira. Lembre-se também de guardar as obras do seu pequeno artista. Quem sabe um dia ele não terá uma biblioteca inteira de livrinhos?

As possibilidades são infinitas!

Filho não gosta de ler: 7. Não trate a leitura como punição

Nunca trate a leitura como algo negativo ou como punição. Ou seja, se ele tiver feito algo errado, não mande ele ir para o quarto ler um livro.

Também não cobre dele o término de uma história, porque pode soar como uma obrigação (e tudo que se torna uma obrigação acaba ficando mais chato de fazer, certo?).

Seu filho não gosta de ler? Então siga as dicas acima e não desista! Com certeza, o esforço valerá a pena!

Veja também: