5 livros infantis antirracistas: A luta antirracista não deve se limitar ao mês de novembro, ela deve ser parte da educação das crianças e adolescentes. Principalmente no Brasil, um país de raízes racistas, onde pelo menos 56,10% da população é autodeclarada negra e o assassinato de pretos cresceu em 11,5% em dez anos – dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios [Pnad] Contínua do IBGE publicada em 2019 e do Atlas da Violência publicado em 2020, respectivamente. Livros, filmes, séries, documentários e exemplo dentro e fora de casa são maneiras de criar crianças livres de preconceito e prontas para participar de uma sociedade mais igualitária e justa. 

Para começar já, confira 5 livros infantis antirracistas para educar crianças. 

5 livros infantis antirracistas: Sulwe, escrito por Lupita Nyong’o 

livros infantis antirrascistas

Foto à direita: Nick Barose / Ilustração à esquerda: Vashti Harrison

“Sulwe significa estrela.” “Sulwe tem a pele da cor da meia-noite.” Mais escura que todos da sua família e da sua escola, a menina Sulwe tem dificuldade de se identificar e sentir-se bem em sua própria pele. Quando uma jornada mágica a faz perceber as coisas de uma maneira diferente e a muda para sempre. O livro fala sobre colorismo, autoestima e representatividade para o público de 4 a 8 anos. 

Publicidade

Escrito pela atriz premiada pelo Oscar por seu papel em 12 anos de escravidão, ele pode ser adquirido de maneira online a partir de R$39. 

5 livros infantis antirracistas: Meu crespo é de rainha, escrito por bell hooks

5 livros infantis antirracistas

Meu crespo é de rainha. Illustração: Chris Raschka / Editora: Boitatá

Ativista social, teórica feminista, artista e professora os livros de bell hooks não pode faltar nas prateleiras em nenhuma fase da vida! Meu crespo é de rainha é uma boa maneira de introduzi-la na leitura das crianças. Publicado em forma de poema rimado e ilustrado, o livro enaltece diferentes penteados, cortes de cabelo e fenótipos negros com texturas afro. É sobre representatividade e admiração. 

Publicado originalmente em 1999, ele pode ser encontrado online a partir de R$26.

Caderno de rimas do João, escrito por Lázaro Ramos 

5 livros infantis antirracistas

Caderno de rimas do João. Ilustração: Mauricio Negro / Editora: Pallas

Inspirado nas descobertas do filho mais velho do autor, o livro de poesias aborda de maneira divertida e pertinente assuntos como amizade, esportes, família e morte. Sempre contextualizados nas relações raciais e de poder do Brasil e em sua ancestralidade africana. A obra é em parceria com o ilustrador Maurício Negro, responsável pela arte do livro. 

Publicidade

Além do Caderno de rimas do João, Lázaro também escreveu outros livros infantis, como A velha sentada. Narrativa de 2010 que conta a história de uma menina que vive fissurada no computador, alheia ao mundo ao seu redor – uma excelente leitura para crianças a partir do 8 anos! 

Ambos os livros podem ser encontrados de maneira online, a partir de R$22. 

5 livros infantis antirracistas: Heroínas negras brasileiras, escrito por Jarid Arraes

Imagem brasileira

Heroínas negras brasileiras. Ilustração: Gabriela Pires / Editora: Editora Seguinte

Dandara, Carolina Maria de Jesus, Eva Maria do Bonsucesso, Tia Ciata… São algumas das mulheres que têm suas histórias recontadas pela autora Jarrid Arraes nesse livro. Mulheres pretas que foram verdadeiras heroínas do país, mas acabaram por ser apagadas da educação tradicional e dos meios hegemônicos de informação. 

A coleção de 15 cordéis, recomendada para crianças maiores de 12 anos, aborda assuntos como injustiça, opressão, reivindicação do seu lugar na sociedade, e estratégias de resistência, sobrevivência e representatividade feminina. 

Lançado em 2017, Heroínas negras brasileiras pode ser encontrado na internet a partir de R$23. 

Publicidade

O mundo no black power de Tayo, escrito por Kiusam de Oliveira 

Imagem preto e amarelo

O mundo o black power de Tayo. Ilustração: Taisa Borges / Editora: Peirópolis

Tayo é uma menina negra que ama seus cabelo crespo e adora enfeitá-lo. Forte, ela enfrenta as agressões de seus colegas que dizem que seu cabelo é “ruim”. A narrativa, é uma metáfora sobre riqueza cultural, lúdica e representativa das crianças. Recomendado para os pequenos a partir dos 4 anos de idade. 

Vencedor do Prêmio ProAC Cultura Negra 2012, a obra pode ser adquirida pela internet a partir de R$32. 

Conhece algum livro que não pode faltar nessa lista? Conta para gente nos comentários!