A qualidade de sono das crianças faz total diferença em seu desenvolvimento cognitivo e intelectual. Uma noite bem dormida melhora o humor e o aproveitamento das atividades pelas crianças. Além de afetar diretamente a qualidade de vida da família toda! 

Em momentos delicados, como esse de quarentena, os hábitos do sono devem ser cumpridos para que o pequeno tenha uma rotina saudável mesmo dentro de casa. E não sofra grandes baques quando voltar ao dia a dia habitual. 

Por causa das grandes mudanças e o sentimento de medo e ansiedade da casa, as noites podem passar a ser um problema. 

A seguir, confira algumas dicas para que as crianças durmam bem hoje e sempre.

Publicidade

Criança Domindo – Fonte: Freepik

Dormir sozinho é qualidade de sono 

Ajude o bebê ou a criança a criar os próprios hábitos para dormir: vale usar um cobertor especial, segurar a orelha, ler um livro… Desde que seja feito pelo pequeno sozinho e não dependa de outra pessoa. 

Estabeleça um local adequado para dormir: não a cama dos pais, nem o sofá da sala, de preferência a criança deve pegar no sono na própria cama, para que o hábito seja estabelecido. Sem contar que o local errado pode afetar muito a coluna e desenvolver outros problemas de saúde. 

 

O castigo não é dormir 

Não use dormir como castigo: com a cabeça quente pode escapar um “vai dormir”. Porém, isso bagunça o horário biológico da criança e cria um estigma como o ato de dormir. É preferível trocar a frase por “vá para o seu quarto”. 

 

Publicidade

Vença o medo do escuro

Tchau televisão e computador: pode parecer difícil, mas na hora de dormir o aconchego deve vir de objetos mais lúdicos como meia-luz, livros, e uma decoração que faça a criança confortável na hora de dormir. 

Luzes muito forte ligadas, como uma TV implicam diretamente na produção de melatonina da criança, o que dificulta cair no sono. 

 

Rotina dentro e fora de casa 

Criar uma rotina, ter horário para dormir e para acordar faz diferença, ajuda a regular o sono da criança e evita que ela tenha dificuldade durante o dia por causa de uma noite mal dormida ou que associe a hora de dormir com abandono ou castigo.

Tenha também uma rotina certa para anteceder a hora de dormir, como por exemplo, banho, pijama, escovar os dentes, leitura – sem eletrônicos, lanches ou atividades físicas. Ajuda a criança a se adaptar e o corpo a saber que é hora de dormir. 

 

Publicidade

Todas as noites devem ter as mesmas horas

A hora recomendada para cada idade: bebês recém-nascidos devem dormir cerca de 14 a 18 horas. A partir do primeiro ano de idade, o sono recomendado fica entre 13 e 14 anos de idades. Já dos seis aos 13 anos, 11 horas, e adolescentes acima de 14 anos, 10 a 8 horas. Respeite essas recomendações, nem a mais nem a menos.

 

O sono também está no prato

Boa alimentação faz parte da rotina que falamos lá em cima. Comer sempre no mesmo horário e evitar refeições até duas horas antes de dormir ajuda o pequeno a relaxar. O mesmo vale para atividades físicas! Evite alimentos como refrigerantes, doces, gorduras e hipercalóricos antes de dormir. Priorize um cardápio com alimentos ricos em Vitamina C e ricos em triptofano como frango, queijo, batata, e ricos em licopeno como cenoura, mamão, melancia… O licopeno ajudar a ativar a melatonina. 

 

Saúde mental é sempre foco

Fique atento a saúde mental da criança, pequenos que já eram capazes de dormir sozinhos e passam a ter medo ou acordar durante à noite, pode ser um sinal de alerta. Normalmente, sua saúde mental reflete na qualidade de sono. E outros fatores, como pais estressados ou ansiosos, podem afetar a criança também.