Do computador para a televisão, do tablet para o celular. Durante a quarentena as telinhas não são apenas para o lazer, mas também para cumprir funções novas como as atividades escolares e até consultas médicas. Porém, assim como é prejudicial para o adulto (alô, alguém com dor de cabeça?) para as crianças e adolescentes o efeito é o mesmo. 

O momento, mais do que nunca, é de criatividade e inovação. Agora, talvez, não seja a melhor hora para usar o celular como uma distração ou a televisão para deixar os pequenos sossegados. Eles também precisam gastar energia, mexer o corpinho e fazer os exercícios físicos que fariam em um quadro mais rotineiro – educação física, futebol, natação, dança…

Como nem tudo dá para fazer remotamente ou por aulas online, e os espaços comuns do condomínio não são uma boa ideia por motivos de aglomeração e contato com pessoas infectadas, o Instituto Superior de Saúde da Itália (ISS) – um dos países mais afetados pelo Covid-19 – publicou um documento com dicas para atividades físicas infantis em casa e as mais recomendadas para cada faixa etária. Confira a seguir. 

 

Publicidade

Atividades físicas recomendadas para crianças de 3 a 4 anos 

Menina brincando. Foto: Freepik

Segundo a OMS o tempo recomendado para as atividades dos pequenos é de 180 minutos (pouco mais de 2h), sendo dentro desse período pelo menos 1h de atividade intensa ou moderada. Entre as atividades recomendadas estão:

  • Caças ao tesouro: vale tudo, caça aos dinossauros, caça aos brinquedos, caça as bolas… Desde que incentive a criança a se mover e instigue-a a descobrir novos pedacinhos da casa em busca dos tesouros
  • Pular corda: sofá pra lá, tv para cá, e o tapete da sala pode ser um bom local para pular corda. 
  • Siga o mestre: a brincadeira pode ser feita em frente a um espelho, ou frente a frente com a criança. O adulto faz uma sequência de movimentos corporais ou imitações e a criança deve tentar fazer igual. Depois, os papéis se invertem e a criança deve criar os movimentos, para que o adulto a siga.
  • O chão é lava: essa brincadeira é famosa até entre celebridades como Justin Bieber. Mas, funciona super bem para as crianças também. Em um ambiente seguro, espalhe almofadas ou travesseiros criando uma linha de obstáculos, a criança deve seguir a trilha sem tocar no chão, porque, teoricamente, ela vai se queimar e perder o jogo! Vale todo tipo de adaptação, o chão sendo areia movediça, um aquário de jacarés… o importante é se mexer! 

 

De 5 a 7 anos, os exercícios mudam um pouquinho

Menino e menina dançando em casa. Foto: Freepik

A partir dos 5 anos, além das atividades físicas serem diferente, a frequência delas também é. O recomendado pela OMS é 60 minutos de atividade física intensa ou moderada que também tenham propósitos de fortalecimento ósseo e muscular. 

  • Brincadeira funcional: com fita adesiva (ou qualquer outra coisa que tenha em casa) crie um circuito para a criança. Por exemplo, do ponto 1 ao ponto 2 ela deve ir pulando igual coelhinho. Do ponto 2 ao ponto 3, ela deve imitar uma cobra. Do ponto 3 ao 4, ir correndo. E assim por diante! 
  • Vôlei: não é bem o vôlei que conhecemos, mas é tão divertido quanto. No lugar da bola tradicional, vai uma bexiga. E em vez da rede e das regras que conhecemos, os participantes não podem deixar a bexiga cair no chão! 
  • Basquete: também um pouco diferente do que conhecemos, no lugar da bola de basquete entram bolas de meia, bolas de pelúcia, de jornal… o que der! O objetivo do jogo continua sendo acertar a cesta, mas essa também pode ser feita com a criatividade, como o cesto de roupas!
  • Dança da almofada: deixe uma almofada no meio da sala e coloque uma música para tocar! Alguém deve ficar de juiz do lado do som. Quando a música parar, quem chegar na almofada primeiro e sentar, ganha! 

 

Publicidade

As dicas para crianças entre 8 e 12 anos

Pai e filhos brincando. Foto: Freepik

Em todas as faixas etárias é importante que a atividade seja algo que instigue as crianças e também seja prazeroso. Por isso  o exercícios com brincadeiras são as melhores opções, principalmente dentro de casa:

  • Estátua: com trilhas sonoras bem animadas, toda a família pode participar da dança da estátua! Todos dançando até que alguém para a música e diz “estátua”, então os participantes precisam congelar na pose em que estão. Quem se mover, sai do jogo. 
  • Cadeia de movimentos: em círculo, um jogador faz um movimento, o seguinte faz o movimento do jogador anterior e adiciona um movimento, o seguinte faz os dois movimentos anteriores e adiciona mais um e assim por diante! 
  • Corrida de batatas: com uma batata entre as pernas, os competidores devem correr até a tigela, sem deixar a batata cair! Bexigas também servem para a brincadeira. 
  • Sorteio de atividades: encha uma tigela com papéis de diferentes atividades, “imite um coelho por 30 segundos” “faça uma apresentação de dança por 1 minuto”, etc. Todos devem sortear os papéis e concluir os desafios. 

 

Essas, são apenas algumas das atividades recomendadas pelo Instituto, mas vale usar a imaginação, resgatar brincadeiras antigas, e também dar prioridade àquelas que os pequenos mais gostam. 

Outras opções são aulas de yoga para crianças, e canais no YouTube direcionados para o assunto. Para dar uma animada extra nos pequenos, dá para fazer algumas das atividades em companhia virtual dos amiguinhos, como uma chamada de vídeo para brincar de estátua! 

Além do entretenimento, a prática dos exercícios físicos contribui para a saúde da criança, uma boa alimentação e uma qualidade de sono maior. Ajudando a evitar sintomas de depressão, pânico e stress. Uma boa ideia é entrar nessa junto com os pequenos!

Publicidade