Seu filho pode ficar doente com a baixa umidade do ar (cuidado, inclusive, com locais de passeio!)

Por 1 Comentário


Hoje eu acordei totalmente afônica. Rouca, quase sem voz, com sintomas que poderiam ser confundidos com uma virose ou resfriado. E vejam que “coincidência”: Cacá também está assim! Só que com bastante secreção no nariz, e uma tosse que começou a piorar durante a madrugada. Pois é, prevejo dias difíceis por aqui!

Mas eu insisto em dizer que não estou resfriada, porque sei exatamente o que está causando esse problema aqui em casa. Estamos no inverno, a umidade do ar anda baixa (pelas poucas chuvas da época), e passamos algumas horas nos últimos dias sob o ar condicionado – que deixa o ar ainda mais seco. Voamos de avião até o Rio e voltamos no mesmo dia (não sei se vocês sabem, mas dentro de um avião a secura pode ser equivalente à de um deserto!). E no último fim de semana passamos algumas horas no shopping (almoçamos, fizemos algumas compras aproveitando as liquidações, e retornamos no dia seguinte para uma refeição com uma família de amigos). Conclusão: estamos aqui, quase de cama.

Imagem: 123RF

A vantagem de ter um sistema respiratório parecido com o da sua filha é que você sabe exatamente o que ela está sentindo, em em tempo real. Quando estávamos no shopping, por exemplo, vi que ela começou a ficar vermelha, a coçar o nariz, vi sua rinite alérgica tomando forma, e percebia que o mesmo acontecia dentro de mim. Se eu não sentisse também, não saberia o que causou o problema, porque ela provavelmente não saberia contar, certo?

Por isso resolvi escrever esse post: porque talvez você não tenha percebido como esse tipo de ambiente pode piorar muito o estado do seu filho, que já tem uma predisposição para problemas respiratórios (como nós duas temos). E se a umidade relativa do ar anda baixa na sua cidade, pode ser que ele sinta tudo isso em casa, sem que você tenha ideia do que está acontecendo!

Mas aí você me pergunta: vou ficar aqui sentada sem fazer nada, vendo meu filho ficar doente no inverno? Não, você pode tentar algumas coisas que ajudam muito!

  • Colocar soro fisiológico no nariz do seu filho. Isso ajuda a manter as vias aéreas úmidas, o que reduz o risco de alergias e mesmo de contração de viroses (nariz seco é um prato cheio para os vírus!). Eu sempre levo soro na bolsa, e peço para Cacá aplicar o jato (infelizmente dessa vez nem isso resolveu).
  • Dar muita água para ele beber, durante o dia todo.
  • Se usar aquecedor ou ar condicionado em casa, manter sempre uma bacia com água ou uma toalha molhada no cômodo, para que o ar não fique seco (a água vai evaporando e mantendo a umidade em níveis aceitáveis).
  • Usar um umidificador em casa (cuidado apenas para não liberar umidade demais, o que pode causar o acúmulo de mofo no local).
  • Evitar locais fechados, com ar condicionado e com grande aglomeração de pessoas, sem você tem filhos pequenos. Acredite: quanto menor for seu filho, menos desenvolvido está seu sistema imune, e maiores as chances dele pegar algo realmente chato nesses locais.

Enfim, sei que é difícil manter os pequenos longe de shoppings e locais fechados climatizados em grandes cidades, principalmente quando o frio lá fora é grande. Eles oferecem oportunidades de entretenimento excelentes, e é por isso que também levo Catarina. Mas se você puder mesclar esse tipo de passeio com atividades ao ar livre, é muito melhor! E se perceber que seu filho não está muito bem, com coriza, ou rinite “atacada”, avalie se não é melhor deixar a ida ao lugar para um outro dia (ou pelo menos permanecer pouco tempo lá).




Arquivado em: Saúde Tags:

Comentários (1)

Trackback URL

  1. Fabiana Braga disse:

    Muito bom o seu post. Eu acrescentaria, como dica, fazer inalação com soro fisiológico algumas vezes ao dia.

Deixe seu comentário