Puberdade precoce: o que você precisa saber sobre o assunto

Por 0 Comentários


Hoje tem a participação especial da nossa querida Dra. Bianca Lundberg, médica hebiatra que conversa conosco sobre as questões relacionadas aos adolescentes. E para esse mês combinamos que ela falaria sobre uma questão que aflige muitos pais: a puberdade precoce. Outro dia mesmo, em uma roda de amigas, o assunto surgiu e percebi que nós temos pouquíssima informação sobre ele. Afinal, a partir de quando é esperado que meninos e meninas entrem na puberdade? Será que é preciso agir quando sua filha dá sinais de que menstruará antes dos 10 anos? É preciso bloquear a menstruação para que a menina cresça mais? Veja a seguir o que a Dra. Bianca fala sobre o assunto!

puberdade

Pode perguntar por aí, quase todo mundo tem um parente ou conhece a história: aquela menina, tão pequena e nova, foi surpreendida! Desenvolveu mamas e ganhou até uns pelinhos!

Geralmente, isso assusta muito os pais e gera uma série de medos: de que a menina menstruará logo, e menstruando não crescerá tanto quanto deveria, além de todas as mudanças psicológicas que acompanham as físicas.

Mas será que o que está acontecendo não é esperado? Consideramos atualmente puberdade precoce aquela que começa antes dos 8 anos nas meninas  (e antes dos 9 anos nos meninos). Talvez isso pareça cedo para você e, realmente, ao longo das décadas, essa idade caiu.

A puberdade precoce é mais comum em meninas – por isso falarei sobre elas – e a maioria dos casos não tem nenhuma causa específica, ou seja, não é encontrada justificativa após toda a investigação médica.

Vários fatores vêm sendo estudados para verificar sua influência nas transformações precoces: parece haver melhor relação com melhor qualidade de vida (menos doenças e desnutrição), com aumento de peso corpóreo em meninas mais novas (sinalizando que o corpo estaria  “ pronto” para as mudanças), e com exposição a certos agentes químicos em produtos, água, solo e alimentos ( que imitariam ou estimulariam os hormônios sexuais no organismo do paciente).

Muitos familiares chegam à consulta questionando um tratamento para bloquear os hormônios e, portanto, atrasar a menarca. Esse é um assunto controverso, já que muitas pacientes não necessitam de nenhuma conduta específica. Às vezes não existe puberdade precoce, e a terapêutica seria para tentar crescer mais – por estética – e adiar o desenvolvimento sexual.

Devemos nos lembrar de que, se a paciente entra em puberdade em idade esperada, tem uma velocidade de crescimento adequada para a faixa etária (o que é verificado em medidas seriadas de altura), idade óssea condizente com a cronológica (visto em exame de raios-X de punho pedido pelo médico) e exames de laboratório normais, ou seja, não há patologia.

Quanto às mudanças psicológicas: uma menina de sete anos que desenvolve mamas ou pelos – seja por qual for a razão, ou mesmo sem razão encontrada – ainda é uma menina de sete anos.  O conceito de puberdade precoce não é sinônimo de adolescência precoce.

É claro que ela terá que lidar com transformações não esperadas para sua idade, dessa forma são fortemente recomendados os esforços da família e dos profissionais da pediatria e psicologia. Se sua filha alcançou a puberdade antes do esperado – para ela e para você, sendo patologia ou não – é essencial buscar ajuda e orientação.

bianca

 

Leia outros post sobre puberdade já publicados.




Arquivado em: AdolescênciaSaúde Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail