Verão no Brasil é sinônimo de temperaturas altas, praia e piscina para boa parte da população. A pele do bebê no verão demanda muita atenção.

Portanto, existem alguns cuidados adicionais que precisam ser levados em consideração, já que a pele do bebê é mais sensível e precisa de níveis de proteção ainda maiores.

Ou seja, proteger a pele das crianças é um hábito que deve ser mantido em todas as estações do ano. E cabe aos pais cercarem a criança de cuidados para que os dias de descanso não acabem virando momentos de angústia.

No entanto, mesmo tendo essa consciência de que é muito importante proteger a pele do pequeno, muitos pais se perguntam como proteger a pele de bebê no verão.

Publicidade

Afinal, nessa época do ano a derme dos pequenos pode sofrer ainda mais, principalmente em contato com o sol, já que ela é fina e sensível, sendo mais suscetível a alergias e irritações.

Dessa forma, confira 10 dicas para proteger a pele dos bebês.

Boa leitura!

pele do bebê

Pés de bebê na mão de sua mãe. Crédito da foto: Freepik

Dicas para proteger a pele do bebê no verão

1) Atenção ao horário

Até os seis meses de idade, o bebê não deve ser exposto diretamente ao sol. Após essa idade, os banhos de sol estão liberados, mas em horários específicos.

Dessa forma, o ideal é não expor o bebê nos horários entre 10 e 16 horas, período em que há maior incidência dos raios solares. Portanto, o sol está mais quente, em razão da sua posição, aumentando assim a chance de queimaduras.

Publicidade

Por isso, não é recomendável que bebês sejam expostos ao sol nesse período do dia, ainda que estejam protegidos com filtro solar.

Isso porque crianças de até 3 anos ainda não têm o sistema de defesa cutâneo plenamente desenvolvido. E, por essa razão, ficam mais vulneráveis à exposição aos raios UV.

Pouco menos de dez minutos de exposição direta à luz solar pode ser o suficiente para causar danos à pele das crianças.

2) Opte por roupas que protegem a pele do bebê

Da mesma forma, as crianças não devem ser colocadas sob o sol nuas ou em traje de banho.

Escolha, preferencialmente, roupas adequadas para a estação. O ideal é vestir nelas roupas mais largas, de algodão, e um pouco mais grossas para que possam auxiliar na filtragem dos raios UV.

Isso porque tecidos com proteção UV, por exemplo, bloqueiam o sol e reduzem o efeito da radiação solar, protegendo a pele contra os efeitos potencialmente danosos da radiação ultravioleta.

Publicidade

Dessa forma, no dia a dia, o bebê poderá usar roupas frescas, mas em dias mais quentes, opte por tecidos que permitam a transpiração, evitando assim as brotoejas (miliária).

Por isso, use e abuse de chapéus e roupas com proteção solar no tecido. Ah, os óculos de sol adaptados ao tamanho do rosto delas também são importantes.

Resumindo, deixe os bebês na sombra e devidamente protegidos da incidência dos raios solares.

3) Hidrate o bebê

Não se esqueça de dar bastante líquido para o bebê para evitar a desidratação. A quantidade de líquidos ideal recomendada varia conforme a idade e o peso da criança.

Por isso, não é possível estabelecer um volume exato de água a ser oferecida para o bebê. Porém, em geral, se fala de 100ml por quilo de massa corporal por dia, em média.

4) Não esqueça do filtro solar

Bebês podem e devem usar protetor solar a partir dos 6 meses de idade. Por isso, não abra mão do produto, tampouco esqueça de reaplicá-lo a cada 2 horas.

Dos 6 meses até os 2 anos de idade, o ideal são filtros físicos. Também chamados de protetor solar mineral, eles criam uma barreira protetora sobre a pele e atuam refletindo e dispersando a radiação e os raios solares.

Dessa forma, o filtro solar físico evita o contato com a pele e previne danos, por isso é indicado para a fotoproteção da pele sensível, como a dos bebês.

De qualquer forma, é bom agendar uma consulta com um pediatra antes. Isso porque crianças de até seis meses de idade não devem utilizar protetor solar de maneira indiscriminada, já que podem desenvolver alergias.

Após essa idade, a recomendação é agendar uma consulta com um pediatra para que ele possa indicar qual tipo de produto é mais adequado para a faixa etária da criança.

Em linhas gerais, filtros solares com fator de proteção acima de 30 são suficientes, mas em muitos casos pode ser necessário aplicar cremes com mais FPS.

Em todo o caso, como mencionamos, a recomendação é seguir a orientação de um pediatra ou dermatologista e nuca escolher por conta própria uma opção nas farmácias.

Além disso, escolha produtos hipoalergênicos e com FPS (fator de proteção solar) pelo menos 30.

 pele do bebê

Bebê sentada em uma piscininha brincando. Crédito da foto: Freepik

Como proteger a pele do bebê no verão: 10 dicas

5) Cuidado pós-banho

Não só no verão, como também em todas as estações, é preciso hidratar a pele do bebê, de preferência logo após o banho. Por isso, logo após o banho de mar ou piscina, dê um banho no bebê.

Porém, se você tem o hábito de dar banhos quentes e demorados nas crianças, saiba que não é uma boa ideia fazer isso nos dias com temperatura mais alta.

Isso porque a água quando quente demais é prejudicial à hidratação da pele, pois acaba retirando a camada superficial de gordura que protege o nosso corpo.

Não é à toa que os chuveiros vêm com as opções “verão” e “inverno”. No calor, opte por água fria ou morna. Utilize toalhas confortáveis para secar os pequenos, com atenção especial para as dobras cutâneas, pois pode haver acúmulo de fungos na região.

Em seguida, utilize um sabonete suave e, por fim, hidrate a pele do bebê.

6) Cuidado até em dias nublados

Tome cuidado com os passeios ao ar livre nos dias nublados, pois é muito comum a incidência de queimaduras solares nesses dias. De qualquer forma, se for levar o bebê para passear, não esqueça do filtro solar.

7) Evite agasalhar muito seu filho

Principalmente se vier aquela brisa de fim de tarde. Os bebês podem sentir mais frio do que o normal, mas não é algo de outro mundo. Uma das formas mais efetivas de resolver este problema é colocar sempre mais uma camada de roupa em comparação aos adultos.

8) Atenção aos calçados do bebê

Deixe o pequeno andar descalço ou com sandalinhas abertas em dias muito quentes. Antes de deixar os pés livres, certifique-se que ele não queimará a sola dos pés.

9) Utilize chapéus no seu bebê

Sempre proteja a cabeça e os olhinhos do seu bebê, inclusive no início, durante os banhos de sol. Os raios devem incidir, primeiramente, nas pernas, para só depois atingirem a superfície dos braços e tronco da criança.

Use chapéus e nunca deixe eles expostos diretamente por mais de meia hora. Os chapéus ou bonés deverão proteger também a região do pescoço, então prefira os mais amplos, tomando cuidado, é claro, para não ser muito pesado para a cabecinha.

Tome cuidado com os dias nublados, sem raios solares tão aparentes, pois o mormaço também queima, então, as medidas protetivas citadas acima servem tanto para os dias de sol a pino, quanto para os de menor incidência solar.

10) Atenção redobrada quando for à praia

Se você costuma levar o bebê com frequência à praia ou à piscina, também fique atenta ao reflexo do sol na areia e na própria água e o mantenha protegido.

Além disso, saiba que a exposição solar intensa e recorrente pode, de fato, causar queimaduras graves, desidratação e insolação.

Então, além de protegê-lo seguindo à risca todas as dicas acima citadas, mantenha-o hidratado.

Leia também: Piscina com crianças – Dicas para evitar acidentes!

pele do bebê

Mulher com bebê na piscina. Crédito da foto: Freepik

Riscos de não proteger a pele do bebê no verão

Se o pequeno estiver chorão e avermelhado, pode ser sinal de que está sentindo muito calor. Mudanças no humor são um termômetro de que ele não está se sentindo confortável: geralmente, eles ficam mais “chatinhos” ou “molinhos”.

O aparecimento de manchas vermelhas e brotoejas é recorrente e, em casos mais graves, ele poderá se desidratar ou ter febre.

Além disso, o risco imediato de não proteger a pele do bebê no verão é bem sério: a ocorrência de queimadura solar, também chamada de insolação.

Do mesmo modo, a longo prazo existe ainda o risco aumentado de câncer de pele, já que o sol tem efeito cumulativo.

Exitem também outros riscos de não proteger. Alguns dos sintomas mais comuns, nesse caso, são:

  • Falta de ar;
  • Febre;
  • Tontura;
  • Manchas vermelhas na pele.

Para proteger a pele do bebê, prepare um kit de verão para ele

Para concluir nosso artigo, que tal preparar um kit de verão para proteger a pele do bebê? Afinal, os cuidados com a pele da criança durante os dias quentes devem ser intensificados.

E, em razão disso, é essencial ter à mão um kit com alguns produtos específicos para os pequenos. Xampu e sabonete neutros, lenços umedecidos, filtro solar e creme hidratante devem ser levados na bolsa do bebê.

Além disso, outros cuidados de praxe também não devem ser esquecidos. Dê à criança bastante água e ofereça a ela alimentos leves e de fácil digestão.

Com isso, você estará apto a curtir a praia ou a piscina com tranquilidade enquanto seu filho relaxa aproveitando a sombra e água fresca.

Gostou de nossas dicas de cuidados com a pele do bebê no verão? Lembre-se: o perceber manchas na pele, queimaduras ou princípios de infecção na pele do bebê, agende imediatamente uma consulta com seu médico pediatra e realize os exames necessários.

Afinal de contas, a identificação precoce problemas de pele é essencial no combate às alterações dermatológicas.

Agora que você já sabe como proteger a pele do bebê nos dias mais quentes do ano, veja também outros artigos interessantes que separamos para você:

Até mais!