Você tem se perguntado “o que fazer para acabar com a timidez do meu filho“? Não sabe como agir diante de um comportamento muito introvertido? Tem medo que isso afete o desenvolvimento do seu pequeno?

Calma, respire fundo e, primeiramente, vamos tranquilizar o seu coração! Uma criança tímida não é o mesmo que uma criança sem capacidade social. Nós somos muito “maleáveis” na infância, o que pode nos ajudar a desenvolver habilidades, inclusive sociais, com certa facilidade.

E mesmo quando há dificuldades, ainda temos muitos caminhos promissores para serem seguidos durante o processo de desenvolvimento humano. Por isso, neste conteúdo nós unimos algumas dicas que podem ajudar você, mamãe, a lidar com o seu filho tímido.

Vamos lá?

Publicidade
O que fazer para acabar com a timidez do meu filho

O que fazer para acabar com a timidez do meu filho. Foto: Freepik

Veja também: Como ensinar Educação Financeira para o seu filho

O que torna uma criança tímida?

Antes de qualquer coisa, vamos avaliar o que torna uma criança tímida? Pois bem! São muitos fatores que podem levar uma criança a se retrair. Alguns, são puramente sociais e ambientais, de acordo com o comportamento das outras pessoas. Veja exemplos:

  • Bullying, fazendo com que a criança se feche cada vez mais, por medo de ser chacota.
  • Violência psicológica.
  • Excesso de brincadeiras que podem fazer a criança se sentir humilhada, mesmo dentro da família.
  • Rotulação e estigma, porque a criança é sempre chamada de “muito tímida”.
  • Pais que expõem a criança a situações onde ela é obrigada a demonstrar afeto e carinho, mesmo quando está relutante.
  • Falta de interações sociais.
  • Superproteção dos pais, impedindo que a criança brinque com outras crianças, por exemplo.
  • E muitas outras ações vindas da família, dos amigos, da escola, etc.

Além disso, questões de saúde mental, de uma forma geral, também podem fazer com que a criança fique tímida. Aqui, você deve se perguntar, mas como acabar com a timidez do meu filho nesses casos? Bom, tudo depende do diagnóstico, se houver. Por isso é fundamental levar a criança ao psicólogo ou neurologista para avaliar situações potenciais como:

  • Sintomas de autismo.
  • Dificuldades para falar, mesmo com as pessoas de confiança.
  • Dificuldade de aprendizagem.
  • Agressividade e irritabilidade.
  • Isolamento excessivo.
  • Entre outros comportamentos que escapam da timidez e percorrem um caminho mais voltado aos transtornos e doenças mentais.

Mas, calma! Não estamos dizendo que seu filho tem algum transtorno. Mas sim, que é necessário ficar atento aos sinais de outras questões de saúde mental, para buscar a ajuda adequada, se necessário.

O que fazer para acabar com a timidez do meu filho

O que fazer para acabar com a timidez do meu filho. Foto: Freepik

Publicidade

O que fazer para acabar com a timidez do meu filho?

Agora que já discutimos alguns potenciais gatilhos para a introversão de uma criança, vamos direto à questão sobre “como acabar com a timidez do meu filho”. A seguir elencamos 11 apontamentos igualmente importantes que você deve considerar na sua interação com o seu pequeno. Acompanhe:

1- NUNCA compare o seu filho

Esse é um erro que rouba a segurança e a autoconfiança de qualquer ser humano. Agora, imagine quando esse ser humano está ainda se desenvolvendo? Pois é!

Comparar o seu filho com outra criança, seja para diminuí-lo ou “elevá-lo”, é muito prejudicial para a saúde mental. Isso porque a criança vai se desenvolver em um ambiente onde é necessário estar constantemente competindo com os outros, criando uma atmosfera muito nociva para o seu crescimento.

Assim, quando a criança se deparar com qualquer pessoa mais experiente que ela, em qualquer coisa, a tendência é que ela sinta medo de errar e de ser pior que o outro. Consequentemente, pode se isolar e criar um mundo repleto de timidez e receio de interagir.

Leia também: Criança de 4 anos: desenvolvimento e educação

2- Acabar com a timidez do meu filho: Não fique forçando interações e afetos

Outro erro muito comum de pais que querem acabar com a timidez do filho, mas não se dão conta, é com relação à forçar interações sociais. Apenas porque são parentes, os pais acham que seus filhos devem abraçar e beijar, mas isso é muito prejudicial, por muitos motivos. Veja alguns deles:

Publicidade
  • Você viola o espaço da criança forçando-a a TOCAR em outra pessoa.
  • Dificulta a capacidade da criança de NEGAR toques de estranhos, por achar que é assim que funciona a sociedade. Ou seja, aumenta o risco de o pequeno sofrer abuso sexual sem perceber.
  • Faz com que a criança crie aversão às relações sociais, por não gostar de todos os toques, beijos e abraços, e se fechar cada vez mais por isso.
  • Pode fazer a criança se sentir constrangida diante de um adulto que quer abraçá-la.
  • Deixa-a confusa diante dos próprios sentimentos dela, pois você estará invalidando o que ela sente ao forçar uma interação.
O que fazer para acabar com a timidez do meu filho

O que fazer para acabar com a timidez do meu filho. Foto: Freepik

Portanto, regra número dois: NUNCA tente mandar no CORPO da criança, no sentido afetivo. É ela quem escolhe quem deve ser beijado, abraçado ou acariciado de maneira saudável. Você não. Ponto.

Quer ver como isso é estranho? Imagine que você está revendo um familiar que não vê há anos e, ao seu lado, as pessoas ficam mandando vocês se abraçarem e se beijarem. É simplesmente surreal, concorda? Não tem sentido algum!

3- Não fale pela criança para acabar com a timidez do seu filho

Sabe aqueles momentos nos quais a criança tenta expressar uma ideia, mas você é mais “afobado”, podemos assim dizer, e passa na frente dela contando tudo primeiro? Pois é… Essa atitude é muito ruim!

A criança tem o tempo dela de expressar e contar uma ideia, e não é porque ela está sendo detalhista que você deve contar a parte final da história.

Além disso, quando alguém perguntar algo para o pequeno, não fique respondendo no lugar dele. Especialmente no caso de crianças mais velhas.

Por exemplo, quando alguém pergunta o nome do seu filho, é ele ou você quem responde? E quando perguntam a idade? Reflita sobre isso na próxima vez que se perguntar como acabar com a timidez do meu filho.

4- Pare de debochar ou brincar com tudo que a criança faz

A gente sabe que dentro do grupo familiar sempre rolam algumas brincadeiras, ou, falando em uma linguagem mais coloquial, “zoeiras”. Só que é necessário ter muito cuidado com as brincadeiras que são feitas.

Uma coisa é brincar com o seu filho e fazê-lo rir de uma bobagem, outra é vê-lo constrangido e insistir na brincadeira que só tem graça para os adultos. Afinal, se o pequeno está constrangido, como você pode se sentir bem brincando dessa forma?!

Sempre traga a brincadeira para a sua realidade. Imagine se fosse com você. E mesmo que você não tenha vergonha de determinada piada, não quer dizer que o seu filho não tem. Se perceber que ele está desconfortável, pare de debochar/zoar e aprenda a pedir desculpas.

Além disso, ajude o seu filho a falar sobre o que o deixou desconfortável, sempre que o episódio se repetir, para que ele aprenda a se posicionar diante dessas situações, impedindo que os outros riam dele de maneira pejorativa.

Não seja aquele pai inconveniente que invalida tudo da criança, apontando como uma piada sem fim e nunca dando credibilidade ao pequeno. Tenha empatia!

Veja também: Como estimular o bom comportamento na criança?

Menina de vestido com as mãos no rosto. Foto: Freepik

5- Acabar com a timidez do meu filho: Demonstre se importar com as dúvidas do pequeno

As crianças têm muitas perguntas sobre o mundo. Elas estão aprendendo tudo sobre ele, conhecendo novas formas de agir, sentir e viver. Assim, dúvidas “simples” podem aparecer no cotidiano e nas conversas entre crianças e adultos, é natural. A criança absorve muito conhecimento por meio dos questionamentos.

Portanto, uma forma de acabar com a timidez do seu filho é justamente dando a ele a chance de questionar o que achar necessário, sem ser motivo de chacota por isso.

Ou seja, não desqualifique as dúvidas do seu filho. Se ele está questionando, não deve ser encarado como motivo de piada. Dê ouvidos a ele e mostre que os pensamentos de crianças também são importantes!

6- Incentive a criança a brincar com outras

Entenda este tópico de uma forma coerente: incentivar não é o mesmo que forçar. Portanto, busque instigar o seu filho em brincadeiras em grupo, e não forçar a barra para que ele simplesmente interaja.

A timidez não é uma escolha. Não é uma máscara que vestimos e tiramos quando bem entendemos. Por isso, foque em dizer para o seu filho o quanto a atividade com uma ou mais crianças pode ser interessante, e não uma regra.

Comece incentivando seu filho a brincar em grupos relativamente maiores. À medida que ele vai desenvolvendo a sociabilidade, você pode instigá-lo a se divertir com grupos maiores.

7- Acabar com a timidez do meu filho: Não dê um rótulo para o seu filho

Pare de dizer que o seu filho é uma criança tímida, especialmente na frente dele! Mesmo que isso seja verdade, em algum ponto, entenda que a nossa personalidade é mutável, e não um rótulo que carregamos o resto de nossas vidas.

Ou seja, seu filho não é, necessariamente, tímido. Ele pode estar tímido. É diferente. E mesmo entendendo essa diferença, não fique reforçando essa ideia na cabeça do pequeno.

Nós tendemos a tornar uma verdade interna aquilo que é constantemente repetido sobre nós. Por isso que muitas pessoas podem ter autoestima baixa depois de sofrer bullying, por exemplo. Não quer dizer que a pessoa realmente seja “ruim”, mas de tanto ouvir isso, ela acredita que é.

O mesmo vale para a timidez do seu filho. Demandar a ele essa ideia de que ele é muito tímido e envergonhado fará com que ele também se veja assim. E ao se ver dessa forma, acaba acreditando que a timidez é um traço imutável dele, tornado-se uma pessoa tímida pelo resto da vida.

Cuidado com o peso das suas palavras! Rótulos machucam e limitam pessoas!

Menina com as mãos no rosto. Foto: Freepik

8- Não exponha a criança à situações que a deixem mal

Percebeu que seu filho está ficando com as bochechas coradas? Então não ria ou aponte o dedo para ele. Devemos ter muito cuidado com as nossas ações. As pessoas tímidas sabem que estão tímidas, e não precisam de piadas do tipo “o gato comeu a sua língua”. Na realidade, essas piadas apenas pioram a situação. Portanto, cuidado!

Se perceber que o seu filho está desconfortável com algo, o distraia. Mude o assunto, ou repreenda quem estiver envergonhando ele. Não no sentido de brigar, mas diga algo que quebre o clima constrangedor.

  • Exemplo: Seu filho está vestindo algo que pode ser motivo de risada de outra pessoa. O que você faz? Pode dizer que entende o estilo dele e que já se vestiu diferente na vida. Ponto. Acaba com o argumento de deboche do outro e faz o seu filho se sentir amado e protegido.

9- Não fique implicando com a criança

Seguindo o gancho do que foi apontado acima, por favor, não seja aquele adulto que vive implicando com as crianças. Por que será que tem gente que acha interessante ficar mexendo e debochando dos pequenos? Isso é desagradável e pode fortalecer a insegurança, a timidez e a baixa autoestima.

Se perceber que está passando dos limites com uma piada, aprenda a pedir desculpas. Crianças também merecem pedidos de desculpas. Lembre-se disso.

10- Acabar com a timidez do meu filho: Tenha paciência

Não fique apressando o seu filho quando ele estiver em uma crise de timidez. Apenas respire fundo e tente compreendê-lo. Mais vale demonstrar um acolhimento do que tentar querer fazer com que ele mude para ontem.

Hoje ele pode estar extrovertido, mas amanhã pode acordar mais inseguro e se fechar mais. Não brigue por isso. Tente apenas dialogar para compreender o que se passa, dando a ele um espaço para se expressar.

Outras dicas importantes: Mau comportamento escolar? Qual a responsabilidade da família?

11- Ajude a criança a se expressar por meio das palavras

Quando perceber que o seu filho está constrangido e “empacando” nas palavras, tente ajudá-lo a expressar o que está pensando e dizendo. Sente-se com ele e diga que ele pode falar qualquer coisa, pois você o ajudará a se expressar melhor.

Deixe-o usar as palavras do jeito dele, e depois que ele se expressar, tente conversar sobre o que acabou de ser dito. Sugira novas formas de usar as palavras e confirme com ele se faz sentido o que você está dizendo. Exemplo:

  • A criança diz que está com medo de sair. Você pode perguntar se ela está com medo de sair ou de que algo específico aconteça. Esses questionamentos vão guiando a conversa e a criança vai externando emoções e ideias, aprendendo a organizá-las melhor.

Criança com mão no rosto. Foto: Freepik

Além de organizar as emoções, você ainda demonstra interesse pelo o que a criança sente, e ela perceberá a sua importância no mundo. Legal, não?

Esteja ao lado do seu pequeno. A timidez machuca, mas pode ser escutada e tratada, inclusive em psicoterapia, se necessário. Dê voz ao seu filho e ajude-o a lidar com a vergonha. Apenas dessa forma é que você poderá encontrar a resposta para “como acabar com a timidez do meu filho”. Boa sorte!

Veja agora estes outros conteúdos: