Você já ouviu falar em Tumor de Wilms? A doença é um tipo de câncer de rim, que atinge geralmente crianças menores de cinco anos e raramente adultos. Ele compreende cerca de 6% dos cânceres em crianças! Quando diagnosticado em seu estágio inicial, ele possui 95% de sucesso nos tratamentos de cura. 

Os problemas que causam o tumor podem ser vistos desde as ultrassonografias do feto, na formação e no amadurecimento dos rins. Entenda abaixo como o tumor se forma, como é feito o diagnóstico e o tratamento. 

Como se forma o Tumor de Wilms? 

Como dissemos acima, a condição pode ser observada ainda na formação do bebê. Mesmo que nessa fase ainda não seja caracterizado como um tumor. Quando a criança nasce, algumas dessas células continuam a se desenvolver e amadurecer ao longo de três ou quatro anos. Nas crianças com Wilms essas células não amadurecem e continuam a se reproduzir de forma acelerada, causando o tumor. 

Os tumores crescem depressa e não apresentam sintomas quando estão em seu estágio inicial. O que pode ser um fator de risco, visto que em muitos casos, quando diagnosticado o tumor já está grande e passa a afetar outros órgãos como os pulmões. Raramente a doença afeta ambos os rins ou apresenta mais de um tumor, normalmente é bilateral, afetando apenas um lado do órgão. 

Publicidade

Como é feito o diagnóstico? 

Criança se preparando para exame de ressonância magnética. Foto: Freepik

Os pais, ao perceberem o nódulo estranho na criança, levam ao médico. Ou, o médico sente o corpo estranho em um exame de rotina. Normalmente, não é necessário passar por uma biópsia para identificar o tumor. Exames de urina, sangue e imagem (como ultrassom, tomografia, raio-x e ressonância magnética) costumam ser o bastante para identificar a doença. O acompanhamento deve ser feito junto a um nefrologista, especialista nas funções renais. Além disso, crianças sem estadiamento do tumor, quando a doença fica concentrada apenas no rim e não passa para os outros órgãos, tem mais chances de cura. 

Quais os sintomas mais comuns do Tumor de Wilms? 

Pai olhando para termometro com bebê recém-nascido no colo. Foto: Freepik

Como apontamos, os tumores podem crescer muito até serem notados. Por causa disso, um dos sintomas mais comuns é o inchaço do abdomen! Como o nódulo não costuma doer, os pais acabam não percebendo a diferença na circunferência do abdomen da criança. As fraldas começam a ficar mais apertadas… E nesse estado outros sintomas já podem aparecer.

Fora isso, outros fatores podem ser sintomas do tumor, mesmo que raros, entre eles: sangue na urina, dor de estômago, prisão de ventre, dificuldades respiratórias (sinal de que o câncer já possa estar afetando os pulmões), perda de apetite, febre recorrente e pressão alta. 

Como é feito o tratamento do tumor? 

Tumor de Wilms

Pinça de cirurgia em mesa azul. Foto: Freepik

Publicidade

Na maioria dos casos, o tumor é resolvido com a retirada do rim doente. Em alguns casos, mesmo que mais raros, é possível que seja retirado apenas uma parte do rim, conseguindo salvar o resto do órgão e ajudando na saúde renal da criança para o resto da vida. 

Além da cirurgia, os pacientes também devem passar por quimioterapia, conforme a extensão da doença. Para pacientes com um tumor menor, as sessões são menores, para pacientes com casos mais graves, o tratamento pode ser mais invasivo e exigir também radioterapia. 

As taxas positivas de cura 

Tumor de Wilms

Médico sorridente com papéis em mãos. Foto: Freepik

Os médicos ainda não sabem exatamente o que causa o Tumor de Wilms, mas os pacientes costumam ter entre 3 e 5 anos, é mais comum em meninas e portadoras da síndrome de Li-Fraumeni – uma doença hereditária que predispõe o paciente ao câncer infantil e início da vida adulta. 

Entretanto o histórico de cura das crianças é ótimo, cerca de 85% a 95% dos casos concentrados apenas no rim tem um tratamento bem-sucedido. Já no caso de crianças com quadros mais avançados, a porcentagem cai um pouco mas se mantém favorável, cerca de 60%.

Diferente do que muitos pais pensam, a doença não é recente. Seu primeiro registro é datado em 1827, pelo médico Max Wilms que presenciou sete casos diferentes da condição.

Publicidade

Dicas para manter a saúde renal das crianças 

Tumor de Wilms

Menina criança bebendo água de garrafinha transparente. Foto: Freepik

Infelizmente o Tumor de Wilms nem sempre pode ser evitado com uma vida mais saudável, entretanto algumas práticas diárias sempre devem ser levadas em conta na rotina das crianças para uma boa saúde renal: 

  • Evitar a obesidade infantil: considerada uma doença crônica, a obesidade pode trazer doenças renais e cardiovasculares, ou diabetes. Uma boa alimentação, com exercícios físicos balanceados podem ajudar as crianças e evitar problemas de saúde na infância e vida adulta. 
  • Estimular atividade física: além de ajudar na obesidade infantil, a atividade física contribui para o sono da criança, a interação, o espirito esportivo e de equipe. 
  • Evitar produtos extremamente salgados e ricos em sódio: evite os industrializados, salgadinhos, sucos de caixinha… Prefira alimentos mais naturais e caseiros, mesmo que exija mais trabalho, vale a pena! 
  • Água: dê o exemplo para as crianças, tome água e as incentive a tomar água também. Evite matar a sede dos pequenos com refrigerantes e sucos, ensine-os a sempre carregar uma garrafinha e se hidratar quando sentir sede. O recomendado é até 3 litros diários, conforme o peso e a idade da criança ou adulto.