Receber a notícia de gêmeos sempre gera uma série de emoções nas mamães. Graças aos avanços tecnológicos, hoje as mulheres descobrem no primeiro trimestre da gestação que estão à espera de dois “babies”, e não apenas de um. Com isso, é normal que mães de bebês gêmeos fiquem ainda mais ansiosas e preocupadas com a ampliação da família. Afinal, é tudo em dobro.

Apesar disso não ficar claro desde o primeiro momento, o único aspecto em que os gêmeos univitelinos são idênticos é em seu código genético (e portanto em sua aparência). E se estamos falando em gêmeos que se formaram de zigotos diferentes, nem nisso. Cada um dos filhos tem a sua própria personalidade, preferência e dinâmica. Por isso, é muito importante que a mãe, o pai e todos os familiares aprendam a lidar com os pequenos.

Veja neste artigo algumas dicas fundamentais para as famílias que estão prestes a ter gêmeos. Boa leitura!

1) Acompanhamento pré-natal

Gravidez de gêmeos

Crédito: Freepik

Publicidade

Enfermeiras e médicas obstetras alertam para os cuidados que futuras mães de gêmeos precisam ter durante a gestação. De acordo com essas especialistas, a gravidez múltipla demanda uma série de cuidados especiais. É muito importante que a gestante e os bebês sejam acompanhados com maior regularidade e atenção.

Estudos realizados em diversos países apontam para uma mesma realidade: mesmo com todos os cuidados, é comum que os índices de nascimento prematuro sejam mais altos com gestações múltiplas. Também é comum que haja diferenças significativas no peso dos bebês, além de ser normal que um dos bebês apresente mais dificuldades de se desenvolver adequadamente. Por isso, não raramente famílias com gêmeos precisam ter uma série de cuidados extras após o nascimento. Essa situação costuma acarretar uma carga de estresse emocional e financeiro extra.

Apesar dos índices não serem tão alarmantes, algumas pesquisas sobre o tema também mostram que gestações múltiplas contam com maiores taxas de mortalidade perinatal. Isso pode acontecer porque um dos bebês não teve um bom desenvolvimento durante a gravidez. Essa situação pode ser investigada durante o pré-natal, por isso essa primeira dica é tão importante.

Com isso, a primeira sugestão é essa: priorize o acompanhamento pré-natal e tome todos os cuidados possíveis para garantir que a gestação, o nascimento e o desenvolvimento dos bebês ocorrerão de forma adequada.

2) Rotina

Crédito: Freepik

Estabelecer uma rotina diária incluindo todas as atividades dos bebês e da mamãe ajudam (e muito!) no momento inicial, logo após a chegada dos gêmeos. Com uma rotina bem definida os pais e/ou cuidadores conseguem se organizar e os pequenos conseguem entender como as coisas vão funcionar.

Publicidade

Apesar de ser difícil no primeiro momento, é fundamental que o sono, o banho, as brincadeiras e as demais atividades do cotidiano aconteçam ao mesmo tempo para ambos. Isso é importante porque assim nenhum dos dois perde o ritmo. Além disso, depois de um tempo você perceberá que eles já sabem como os seus dias serão, mesmo sendo ainda pequenos.

O horário das mamadas é uma grande questão nesse momento. Isso porque hoje já se sabe que a recomendação geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) é amamentar em livre demanda. Isso quer dizer que o bebê poderá se alimentar quando ele quiser, e não em horários pré-definidos. Entretanto, com gêmeos pode ser um pouco caótico não adicionar esse item na “rotina definida de horários”. Nesses casos, o mais indicado é tirar essa dúvida com o pediatra.

Algumas dicas para o momento da mamada que costuma funcionar são:

  • Fazer os gêmeos mamarem ao mesmo tempo, dando atenção divida para ambos por meio de conversa ou de canções
  • Deixar um bebê mamar e somente depois deixar o outro, estabelecendo um momento de atenção individual
  • Colocar para mamar apenas o bebê que solicitar, seja porque acordou, começou a chorar ou deu qualquer outro sinal

Cada mulher vai sentindo qual a melhor forma de dar conta das mamadas múltiplas. É importante que o médico pediatra seja consultado e que a mamãe consiga conciliar as recomendações com as suas possibilidades reais.

Anotações

Crédito: Freepik

Ainda falando sobre a rotina dos gêmeos, outra dica é que os adultos cuidadores façam anotações de todas as atividades dos gêmeos. Essa dica é especialmente importante nos primeiros meses de vida. Entretanto, existem alguns cuidados que precisam ser tomados para que as anotações dêem certo.

Publicidade

Por exemplo, é importante que a mãe, pai ou responsável anote tudo que tange a rotina dos pequenos de forma individual. Isso quer dizer que é preciso anotar que horas cada um mamou e o quanto mamou. Banho? Que horas ele aconteceu para cada um dos gêmeos? Houve alguma intercorrência nos banhos? Os pequenos trocaram de fralda? Anote o horário, se o bebê havia feito xixi, cocô ou os dois, como estava a consistência do cocô, etc. Os detalhes são importantes para o caso (muito comum) de pequenos problemas de saúde com eles.

As anotações individuais servem muito bem como um histórico do bebê. Essa estratégia pode ajudar muito nos momentos em que um deles não está muito bem e precisa de um olhar mais atento. Além disso, as anotações ajudam muito quando a mamãe conta com a ajuda de outras pessoas no cuidado. Isso porque ela saberá tudo que houve quando não estava por perto (e a outra pessoa também terá uma noção de como eles estão no momento em que chegar para dar aquela mão).

3) Auxílio

Crédito: Freepik

Essa dica se aproxima da anterior: aceite a ajuda dos outros.

Dar conta de bebês gêmeos é algo que demanda muito, muito tudo: tempo, atenção, equilíbrio emocional, dinheiro, energia… A lista é enorme! E, lembre-se: você não é uma super-mulher (e nem precisa ser).

Cuidar de dois bebês recém-nascidos ao mesmo tempo talvez seja um dos maiores desafios que você terá na vida. Por isso, fique aberta para receber ajuda das pessoas que lhe são próximas. Se for necessário, inclusive, aceite que você precisará pedir ajuda para as pessoas. Não há nada de errado nisso, acredite.

Algumas mulheres mães de filhos gêmeos relatam que essa é talvez a dica mais difícil de seguir – e a mais importante. Isso pode acontecer porque é comum que as mulheres sejam culturalmente ensinadas que os cuidados com os filhos sejam uma tarefa sua e que há algo de errado com as mães que não conseguem fazer tudo sozinhas.

Esqueça isso, diversos estudos já demonstraram que mães que têm auxílio alcançam benefícios não somente para si, mas para os pequenos também. De acordo com essas pesquisas, quando a mulher consegue descansar e sente que está amparada e sua relação com o filho melhora. Como consequência disso, a criança também se sente melhor amparada, sendo que isso costuma ter efeito sobre todo o desenvolvimento infantil (incluindo saúde física, intelectual e emocional).

Qual ajuda acionar?

Lembre que o apoio pode vir de formas variadas. Em alguns casos você pode conseguir uma pessoa de confiança para passar algumas horas com os gêmeos. Em outros casos, todavia, talvez o que você consiga é alguém para ajudar nos afazeres domésticos ou naquela saída até o supermercado, que faz quase uma semana que você está postergando.

Existe também a ajuda que vem através do suporte emocional. Não raramente as mães de gêmeos têm acesso a esses apoios citados, mas mesmo assim se sentem extremamente cansadas. Pesquisas mostram que essas mulheres também precisam de alguém para as ouvir e acolher suas dores e frustrações. Não deixe a sua saúde emocional de lado por achar que ela não é relevante: busque pessoas que estejam disponíveis a te ouvir, ainda que elas “não possam fazer muito mais do que isso”. Isso já fará a diferença.

Relaxamento

Crédito: Freepik

Ainda dentro do grande tema da ajuda, é importante destacar que as mamães e papais precisam sempre lembrar que eles são os principais responsáveis pelos cuidados dos gêmeos. Apesar disso, pedir ajuda pode auxiliar não apenas a rotina dos bebês, mas também no dia a dia e no estado mental e emocional desses cuidadores.

Aceitar ou pedir ajuda para pessoas da sua rede de apoio te permite ter um tempo sem compromissos e atenção tão focada. Esse tempo pode ser uns poucos minutos ou algumas horas. Independente disso, aproveite esses momentos. Não há recomendações específicas sobre o que fazer nesse momento. O mais importante é que você avalie quais são as suas principais demandas e priorize a si mesma, nem que seja por uns minutos.

Mamães de gêmeos relatam que as atividades que elas mais faziam no seu “tempo livre” eram:

  • Dormir, seja por horas ou apenas uma soneca
  • Assistir a um episódio de seriado, um filme, um documentário, programas televisivos ou qualquer outra mídia que a interesse
  • Ler notícias, se informar nas redes sociais, ler a um livro e etc
  • Tomar um banho sem se preocupar com o tempo
  • Sair de casa, seja para jantar/almoçar, sentar em um banco na praça próxima, ir ao supermercado, conversar com a vizinha, etc

Independente daquilo que você decidir fazer: faça com calma e sem preocupações (ou tente, pois nem sempre é fácil).

4) Individualização

Crédito: Freepik

Essa dica vale não somente para o os gêmeos bebês, mas para todo o período de infância dos pequenos, momento em que são os familiares que “tomam as decisões”.

Compreender que os gêmeos são similares apenas em fisionomia é algo que pode não ficar claro para todas as mamães e papais desde o início, mas é fundamental. Investir na individualidade e nas diferenças dos irmãos é muito importante para garantir que ambos vão se desenvolver de forma equilibrada e saudável.

Além de garantir que cada filho terá seu espaço particular respeitado, algumas pequenas estratégias de diferenciação ajudarão na rotina dos adultos também. Uma boa forma de garantir isso é utilizando roupas e acessórios diferentes. Faça uso de roupinhas diferentes, de pulseirinhas diferentes e de qualquer acessório que for usar: diferente.

Algumas especialistas contam que há mães que, mesmo antes do nascimento, já percebem as diferenças entre os filhos. Há gestantes que percebem que um dos filhos é agitado enquanto o outro é mais tranquilo. É comum que essas diferenciações sejam baseadas no local que cada um dos gêmeos ocupa no útero.

Entretanto, lembre-se: o objetivo de olhar para as diferenças deve estar sempre associado com a individualização dos gêmeos. É importante para a criança sentir que os adultos que a rodeiam prestam atenção nela, independente de ter um “irmão idêntico”. Por isso, sob hipótese nenhuma faça uso dessas diferenciações para comparar os filhos. Exemplos de situações que podem ocorrer e que trazem sérios prejuízos para as crianças é comparar que um dos gêmeos é bonzinho, comportamento, mais inteligente, mais amoroso que o outro.

5) Divisão de espaços

irmãos gêmeos

Crédito: Freepik

A última dica desta lista diz respeito aos espaços divididos pelos irmãos. É muito importante que as mamães tomem cuidado com os espaços em que colocarão os gêmeos e quais momentos podem ser interessantes deles dividirem. Por outro lado, também é importante analisar quais outros momentos e espaços podem ser melhor aproveitados de forma individualizada.

Vale lembrar que a interação entre os irmãos facilita a rotina da mamãe e estimula a criação de vínculos fraternais. Por isso é muito importante que os gêmeos possam ter momentos em que são colocados juntos, para poderem interagir. Um bom momento para que eles dividam o espaço é durante as brincadeiras e o banho. Com essa aproximação, os pequenos criarão laços e terão importantes lições sobre o compartilhamento (de coisas, pessoas e momentos).

Outro momento que é bastante positivo que os gêmeos compartilhem é o soninho. Mais do que os colocar no mesmo horário,  também é possível colocá-los no mesmo berço. É claro que nesse caso o adulto precisará ficar atento. Alguns profissionais relatam que dividir o berço em alguns momentos ajuda os gêmeos a se acalmarem.

Entretanto, vale lembrar que a lição mais importante na criação de filhos gêmeos é respeitar o espaço, o tempo e a individualidade de cada um. Por isso, garanta que eles também terão momentos sozinhos com seus cuidadores. Esses momentos podem ocorrer em banhos separados, na hora de mamar, ao ouvir uma história quando um deles acorda durante a noite. Respeitar as diferenças dos gêmeos é algo que precisa ser praticado desde que são bebês e precisa ser mantido por toda a vida.

O que achou desse conteúdo? Deixe um comentário com a sua experiência.