Como preparar a papinha: 10 dicas preciosas (tire suas dúvidas)

Por 0 Comentários


Quando o bebê começa a ingerir alimentos sólidos (indicação dada por volta do sexto mês, na maioria dos casos), entra em cena mais um cuidado dos pais: o preparo de papinhas. Há quem prefira comprar versões prontas, mas também dá para preparar a papinha dos filhotes em casa, sem estresse. Cá entre nós, acaba saindo bem mais barato, pois produtos de qualidade similar prontos (ou seja, que são feitos como os caseiros, apenas congelados industrialmente) têm um custo bem mais elevado.

“Será que preparar a papinha é complicado?”. Muitos pais de primeira viagem que conheço me fazem essa pergunta. Mas, com algumas dicas simples, você consegue cozinhar por conta própria uma refeição saborosa e saudável para o seu pequeno.

Nesse post eu te mostro que seguindo os cuidados certos, desde a escolha dos melhores utensílios até das técnicas e ingredientes mais bacanas, é possível preparar a papinha de maneira que ela fica deliciosa e muito saudável. Vem ver como!

Imagem: 123RF

1. Escolha os utensílios certos para o preparo da papinha: uma das maneiras mais práticas de preparar a papinha em casa é usando máquinas de papinha, equipamentos que cozinham ingredientes no vapor e os misturam rapidamente. Mas também dá para fazer o mesmo usando panelas e talheres. Outros utensílios importantes são os potes para armazenar a papinha. O ideal é dar preferência aos de vidro, inox e silicone mas, caso use algum de plástico, certifique-se que o recipiente seja livre de BPA (pois o BPA é nocivo à saúde, especialmente à das meninas).

2. E, também, para o filhote: tão importante quanto ter os utensílios certos para preparar a papinha é utilizar as melhores peças para servi-la ao bebê. Estou falando dos pratinhos e, também, do cadeirão. No caso dos pratos, é bem provável que você ganhe algum de presente, especialmente as versões de plástico. Aqui, ao contrário dos potes para armazenamento da papinha (como falei no tópico acima), os pratinhos de plástico são opções interessantes, pois não quebram (e certamente serão jogados várias vezes no chão pelo seu filho). Já em relação ao cadeirão, preste atenção à segurança, conforto e à facilidade de limpeza que a peça oferece (entenda como analisar tudo isso antes da compra nesse post).

3. Selecione os melhores ingredientes: uma dica para acertar no preparo da papinha do bebê é utilizar a seguinte combinação de alimentos: uma verdura ou legume, uma opção de carboidrato e outra de proteína. Já nos temperos, o ideal é substituir o sal por opções mais saudáveis como salsa, salsinha e cebolinha. Lembrando que as versões orgânicas e biodinâmicas de alimentos são as melhores alternativas para a saúde do filhote. Aqui eu explico melhor sobre esses e outros cuidados na escolha dos ingredientes para preparar a papinha do bebê.

4. Limpe bem os alimentos: antes de colocar qualquer ingrediente na panela para preparar a papinha, tenha o cuidado de lavá-lo muito bem em água corrente. Alguns pais também gostam de uma limpeza mais profunda (que é recomendada para frutas, verduras e legumes, aliás), utilizando substâncias com poder bactericida. Para isso, use água sanitária (deixe os alimentos de molho por cerca de 15 minutos em uma solução de água com água sanitária – com uma colher de sopa de água sanitária para cada litro de água – e depois escorra e lave bem os alimentos com água). Outra alternativa é lavar os alimentos com esponja e detergente neutro (e, se for usar maçãs na papinha, mais uma opção é o uso de bicarbonato de sódio na limpeza, veja melhor aqui).

5. Prefira cozinhar no vapor: alimentos cozidos no vapor são ótimos para as papinhas, pois ficam molinhos (prontos para amassar depois) e, também, preservam suas propriedades benéficas. Existem panelas específicas para esse tipo de cozimento: basta colocar água nelas e, em poucos minutos (com os alimentos cortados fininhos), o ingrediente está cozido. Outra opção é cozinhar na panela de pressão, que também leva pouco tempo (essas são as melhores soluções pois, quanto menos tempo o alimento fica cozinhando, melhores preservadas são suas propriedades).

6. Amasse tudo muito bem: com os alimentos bem cozidos, você pode amassá-los utilizando apenas um garfo, sem a necessidade do uso de liquidificador. O fato de amassar, e não bater o alimento, faz com que ele fique com pequenos pedacinhos, que ajudam seu filho a treinar o processo de deglutição.

7. Preste atenção à temperatura: antes de servir a papinha ao bebê, coloque sempre o alimento no dorso da mão – se não sentir “pelando”, pode oferecer ao filhote. O ideal é que o alimento esteja morno, mas não quente demais. Por isso, inclusive, é que se deve tomar muito cuidado com o aquecimento pelo microondas, pois algumas partes da papinha podem ficar exageradamente quentes. Quando for usar o aparelho, misture a papinha muito bem e sempre teste a temperatura antes.

8. Evite o desperdício: não encha o prato do bebê com a papinha pois, o que sobrar no pratinho, não pode ser guardado e consumido depois. Isso porque as bactérias presentes na saliva se proliferam rapidamente no alimento (mesmo na geladeira) e podem fazer mal à saúde do pequeno (e, como o organismo deles é bastante sensível, todo cuidado é pouco!).

9. Congele o que sobrar: já o que sobrar de papinha na panela, você pode congelar. Antes, você vai precisar esterilizar os potinhos, fazer o processo de branqueamento e pronto – é possível consumi-las em até 30 dias no freezer. Entenda melhor o passo a passo para fazer todo esse processo nesse post, onde também dou as dicas para descongelar as papinhas na hora de servir.

10. Papinhas doces também são ótimas opções: você pode variar o cardápio do filhote preparando papinhas doces com frutas. Aqui no blog eu já compartilhei uma receita de papinha de maçã que faz o maior sucesso entre as mamães, pois é fácil de preparar e faz um bem danado aos pequenos!


 



Arquivado em: Alimentação Tags:

Deixe seu comentário