Por que você deve ensinar organização para as crianças

Por 0 Comentários


Sua casa vive bagunçada? Claro que, quando os filhos são pequenos, as coisas saem um pouco do lugar. Acredito que nenhuma casa permaneça igual depois da chegada das crianças, até porque existem uma série de adaptações que fazemos para recebe-las.

Mas é certo também que uma casa organizada, arrumada, transmite um sentimento muito melhor para quem mora nela. Além de ser um ambiente mais produtivo – passe 40 minutos procurando um item do seu filho que não consegue achar, e veja quanto tempo perdido!

Por isso, no post de hoje, a nossa querida Personal Organizer Paula Tofanelli (siga o Instagram dela aqui) mostra alguns bons motivos para que você ensine seu filho a ser organizado desde pequeno (também para o bem dele, como você verá!). Um post super interessante, que vai mudar sua forma de encarar a organização!

Por Paula Tofanelli

Já ouviu falar na frase: “quando nasce uma criança, nasce uma mãe!”? Há quem diga também: “quando nasce uma criança, nasce a bagunça pela casa!” É certo que, com a chegada dos filhos, tudo muda na vida de um casal e na rotina da família.

Manter as coisas em ordem com crianças não é uma tarefa fácil: requer disciplina, força de vontade, mudança de hábitos e dar o exemplo. Este último, sem sombra de dúvidas, considero o fato mais importante! Ao meu ver, desde cedo devemos ensinar as crianças sobre a importância de cuidar de seus pertences pessoais e mostrar, através de ações e exemplos, os benefícios e vantagens de uma casa limpa e organizada.

E não tem jeito! É só o bebê começar a engatinhar e ter um pouco mais de independência, que a casa começa a ficar meio bagunçada. São brinquedos por toda a parte e que brotam nos lugares mais improváveis – sempre fica uma coisinha aqui e outra ali, fora do lugar.  Tudo o que o bebê faz nessa fase de desenvolvimento é tão bonitinho e fofo, que papais e mamães acabam relevando a falta de organização.

Imagem: 123RF

Alguns pensam que a felicidade e a criatividade no mundo infantil e na vida adulta são sinônimos de bagunça. Mas não se engane! Um ambiente muito desordenado dificulta a produção. Ou seja, para a criatividade ser desenvolvida, é necessário organização! A falta de organização acumulada ao longo dos anos, normalmente atinge seu ponto máximo na adolescência, quando pode ser bem difícil negociar uma simples arrumação no quarto.

Imagem: 123RF

A ideia de que, se cada um fizer sua parte, o todo acontece é bem simples, e quase nunca colocada em prática. A verdade é que neste mundo onde tarefas domésticas costumam ser delegadas às mulheres, fica quase subentendido que filhos e maridos devem ajudar, mas não que sejam parte da casa. Mas justamente por fazerem parte dela, as tarefas da rotina de organização devem ser divididas com eles – não por imposição, mas para mostrar que, em casa, é papel de todo mundo cuidar. Assim, é uma boa ideia desenvolver o senso de organização, a autonomia e a responsabilidade desde cedo, no seu filho, independente do gênero. Mesmo não conseguindo uma divisão igualitária das tarefas (quanto seria necessário), vale investir tempo para mudar a cultura doméstica. Pois a casa é a miniatura de uma vida.

Imagem: 123RF

Psicólogos e educadores afirmam que “crianças organizadas, serão adultos mais responsáveis!” Para a criança, esse aprendizado não significa apenas entender como encontrar e onde guardar as coisas. A organização externa está relacionada à organização mental, que envolve aspectos emocionais, cognitivos, culturais e sociais. Lições de como manter a ordem têm uma importância muito maior do que se imagina. Pois quando a criança tem noções de tempo e espaço, ela consegue construir uma boa relação consigo mesma e com o entorno, sentindo-se mais segura e tornando-se mais autônoma. Isso fornecerá mais confiança e preparo para a criança assumir responsabilidades maiores e desafios futuros, algo essencial para a vida adulta.

Eles afirmam ainda que a tarefa doméstica é um ótimo remédio para a criança afastar a preguiça de estudar. O simples fato da criança retirar a mesa, colocar a roupa suja para lavar, ou guardar a roupa, por exemplo, ajuda a enriquecer e a aumentar a memória de procedimentos. Assim o cérebro fica menos “preguiçoso”, pois são tarefas que possuem começo, meio e fim (e ajudam principalmente nas matérias que envolvem cálculo, como a matemática). Se o cérebro não tiver conteúdo nessa memória de procedimentos, ele não funciona bem! Daí surgem os problemas: preguiça de estudar e dificuldade no aprendizado.

Se seu filho desenvolve poucas ou nenhuma tarefa doméstica no cotidiano, comece hoje mesmo a dividir com ele algumas atividades. Prefira sempre o caminho da calma e da paciência, sem excessos. Se a mãe é rígida demais, pode gerar uma grande resistência.

Seja o exemplo

A família toda precisa ter um certo ritmo de organização para que os filhos entendam que precisam participar. Um pai e uma mãe não conseguem convencer uma criança a guardar um brinquedo, se eles próprios não mantiverem suas coisas no lugar. A regra do “faça o que eu mando, mas não faça o que eu faço”, não funciona com os pequenos. A criança começa a se organizar com base na relação e nas atitudes das pessoas que estão mais próximas, e de acordo com o ambiente que ela vive. Se a desordem se faz presente no dia a dia da casa, é assim que ela vai aprender a viver também. Você deve ser o espelho para seu filho.


 



Arquivado em: Coisas de casaComportamentoDesenvolvimento Tags:

Deixe seu comentário