Querida filha,

Nesta semana me peguei a imaginar como será sua vida adulta. E só de pensar, já me dá saudades do momento presente (se é que é possível sentir saudades de algo que você ainda tem!). Onde você estará em 20 anos? O que terá estudado, com o que estará trabalhando e por quem estará apaixonada? Será que você estará namorando? Não aqueles namoros típicos da adolescência, que são momentos intensos, coloridos e passageiros, mas algo mais sério, que acontece quando encontramos uma pessoa e pensamos em dividir a vida com ela? Quando tivermos chegado nesse futuro, provavelmente não serei mais a mamãe-sabe-tudo, aquela a quem você chama milhares de vezes por dia. Pelo contrário, nessa fase é possível que você ache que eu não sei de muitas coisas, e que não me lembro dos tempos de juventude. Por isso escrevo essa carta a você hoje, com as lembranças frescas; quem sabe não será mais fácil ler as palavras de uma ainda jovem, do que escutar o discurso de uma velha mãe?

carta

Então, filha, eu queria conversar hoje com você sobre o homem da sua vida. Sim, eu espero que ele apareça, mas já te adianto que não será em um cavalo branco. Pode ser que você o reconheça tão logo o encontre, mas se você se mantiver tão teimosa quanto aparenta ser hoje, aposto que levará uns dez anos para admitir que é o homem certo! Brincadeiras à parte, eu queria te dar umas dicas, para que você não o deixe ir embora quando encontrá-lo. Porque homens que valem a pena, Catarina, são bem raros por aí – não vale a pena desperdiçar!

Publicidade

O primeiro encontro diz muito sobre um namorado. Sabe aquele cara que te olha com aquela cara impaciente na hora em que a conta chega (como querendo dizer: e aí, não vai se prontificar a dividir?)? Então, provavelmente não é esse o cara da sua vida! Eu sei que você vai me chamar de retrógrada, mas eu acho que na primeira saída é o homem quem tem que pagar a conta (apesar de você se oferecer para pagar a sua parte; afinal, é bom que ele saiba que você pode muito bem se bancar sozinha). Não para demonstrar que ele será o provedor da família, o chefe da casa, nada disso. Mas sim para fazer com que você se sinta especial nesse momento, porque você merece!

Imagem: 123RF

O melhor presente que o homem da sua vida pode te dar durante o namoro não é um perfume caro, joia ou chocolates belgas (embora você não deva reclamar se ganhar tudo isso). É escutá-la. Porque se ele te ouvir, vocês poderão chegar a muitos denominadores comuns. Vocês saberão quando é hora de seguir em frente e quando é hora de parar. Vocês saberão se seus objetivos de vida os levarão para o mesmo ponto, ou se cada um deseja uma coisa diferente. Porque não basta gostar do outro, é preciso querer caminhar para o mesmo lado. Se um quiser Vênus e o outro Marte, vocês terão que pegar foguetes diferentes, entende? Então o homem da sua vida quer ir para o mesmo lugar que você, ou te mostra um caminho tão lindo que te convence a seguir com ele!

O homem da sua vida vai te respeitar e te amar pelo que você é, e não por o que ele gostaria que você fosse. E vice-versa. Porque a verdade é que ninguém muda ninguém; no máximo, a pessoa muda sozinha, depois de entender que há um modo melhor de ser ou fazer algo. Nos olhos dele você verá o brilho de quem encontrou não a metade da laranja, mas uma companheira para dividir os bons e os maus momentos da vida. O homem da sua vida é antes de tudo o seu grande amigo, aquele com quem você pode contar no meio da tempestade e também nos de bonança. Aquele que está ao seu lado quando a maré está contra, e que fica feliz nas suas vitórias, porque se sente parte delas.

O homem da sua vida pode estar em qualquer parte. Pode ser um colega de longa data ou simplesmente parar o carro ao seu lado numa noite de domingo. Quando o encontrar filha, ouça o seu coração. Se lá dentro você tiver a certeza de que é ele, então corra, siga, ame! Sabendo que eu e seu pai estaremos torcendo por uma única coisa: que vocês sejam felizes. Ah, falando no seu pai, não se preocupe se ele estiver com a cara fechada. Você tem apenas dois anos e ele já diz: “imagina quando um marmanjo qualquer quiser levar a nossa menininha?” Mas isso passa!

 

Publicidade