20 Coisas que uma mulher sem filhos nunca saberá (para mães rirem!)

Por 17 Comentários


Eu não sei se já comentei com vocês, mas eu tenho duas irmãs sem filhos. Elas são casadas, têm cachorros, mas crianças… Ainda estão avaliando o caso, enquanto Catarina reina absoluta entre os avós maternos (o que particularmente eu acho uma pena, torço para que esses sobrinhos apareçam logo!).

O fato é que, todas as vezes em que converso com minhas irmãs sobre nossas rotinas, eu me espanto com as diferenças. Em todos os sentidos: elas levam uma vida mais calma, têm mais tempo para curtirem passeios com seus maridos, e até mais disposição para gastarem com si mesmas (com uma academia, um tratamento de beleza, no cabeleireiro). Enquanto eu sou aquela que corro com a filha para cima e para baixo, tenho hora para terminar qualquer compromisso pela cidade (para buscá-la na escola), e, algumas vezes por mês, apareço com olheiras crônicas, de quem andou acordando para atender a pequena durante a madrugada.

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

E sabem que, quando conto certas coisas que são rotineiras para qualquer mãe, elas também se surpreendem? A partir disso, eu cheguei a uma listinha das coisas que uma mulher sem filhos nunca saberá (será que você concorda comigo?):

  1. Que o banheiro é o maior refúgio da casa. Que há vezes em que você se tranca lá sem qualquer necessidade real de utilizá-lo – bastam alguns minutinhos de descompressão, para que você saia nova! Por outro lado, uma mulher sem filhos nunca saberá o que é levar um carrinho lá para dentro, ou fazer xixi com uma orquestra de choro do lado de fora.
  2. Que é possível acordar mais de cinco vezes em uma noite, por semanas seguidas, e ainda assim continuar a ser uma pessoa que raciocina. Porque o cérebro de mãe é o órgão que mais se modifica no pós-parto – incrível sua capacidade de adaptação para que você execute tudo o que precisa, apesar de ter suas horas de sono cortadas pela metade e interrompidas a cada uma hora e meia (no máximo).
  3. Que o ouvido e o peito trabalham em sintonia: se um ouve o choro do bebê, o outro começa a jorrar leite desesperadamente!
  4. Que não se abaixa com a concha de amamentação em posição: a probabilidade de tomar um banho de leite é de 100%!
  5. Que amamentar dá uma fome de leão, mas você não engorda (porque o gasto calórico é imenso!). O problema acontece quando você para de amamentar, e continua comendo a mesma quantidade (e nunca mais vai sentir pouca fome!).
  6. Que a pilha de brinquedo com música chata acaba mais rápido. Porque bastam alguns dias para que você olhe para ele e diga: “vamos ter que definir que manda aqui – você ou eu!”. E, então, miraculosamente, a bateria descarrega.
  7. Que cocô de bebê não tem cheiro, até que ele comece a comer ou tomar qualquer coisa além de leite materno. E haja nariz para aguentar a introdução alimentar!
  8. Que adulto cabe dentro do berço. Porque há dias em que até entrar lá você entra, para fazer o filhote dormir e não acordar mais!
  9. Que você tem um caso de amor ou de ódio com seu carro: tudo depende se o filhote é do tipo que dorme instantaneamente quando o motor dá a partida, ou se é do tipo que chora o trajeto inteiro!
  10. Que não adianta dizer para um bebê que ele não pode jogar a colher no chão. Se você realmente não quer que ele jogue mais, suma com ela! Entender que não pode jogar é um aprendizado muito complexo para essa fase!
  11. Que você não consegue mudar uma palavra da história, mesmo que a criança não saiba ler. Porque obviamente ela já sabe o texto de cor, e aí de você se contar diferente – vai ter que começar tudo de novo!
  12. Que a mãe daquela criança que está tendo um ataque de birra no shopping não é uma sem noção, que mimou o filho. Muito pelo contrário, se fosse, ele não estaria fazendo escândalo (já estaria bem quietinho com o novo brinquedo que ganhou). E ao invés de jogar a primeira pedra, você pensa: “como te entendo!”.
  13. Que as bolsas pequenas passam a mofar dentro do armário. Porque para levar metade da casa junto com você, só mesmo com os modelos grandes!
  14. Que você pode ser do tipo que esteriliza chupeta, todas as vezes em que ela cai no chão. Mas, em menos de um ano, estará achando sola de sapato limpinha! Não é adorável quando eles começam a engatinhar e a lamber tudo o que passa pela frente?
  15. Que a Lei de Murphy também se aplica a bebês: eles sempre caem quando você acabou de virar de costas!
  16. Que não existe tempo livre. Simplesmente não existe! Sabe o que você tem vontade de fazer quando alguém te pergunta o que faz quando não está trabalhando? Rir!
  17. Que você troca a novela pelo canal infantil, mesmo quando seu filho estiver dormindo. Porque você prefere continuar assistindo à Peppa do que levantar para procurar o controle remoto!
  18. Que entre uma “balada” e a sua cama, não existe comparação – a segunda opção é muito melhor!
  19. Que não existe nada mais sagrado do que o silêncio: principalmente nos primeiros cinco minutos após o bebê dormir! E que se alguém acordá-lo nesse momento, virará pó depois de ser fuzilado com o olhar da mãe!
  20. Que não existe amor maior nesse mundo! Porque quando você é capaz de se doar integralmente para ver um filho feliz, descobre que amar é algo muito, muito maior do que qualquer outra coisa que você já havia sentido!



Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Comentários (17)

Trackback URL

  1. Jeisy Santos disse:

    Adoreiii essas vinte dicas …mais pura verdade acontece q antes de nos mulheres sermos mães ñ existe um amor tão gostoso assim ..ñ ha experiência maior e mais bonita no mundo do q a experiência de ser MAE .😍 tenho três bbs e Amo mais q tudo ..e adoro ler sua dicas ..parabéns

  2. Laurieth Faro disse:

    Concordo com tudo. É exatamente assim. Estava dando muitas risadas lendo o que você escreveu,porque me vi em todas as situações. Achei interessante. Apesar de toda essa correria eu não trocaria a vida que eu tenho por uma vida sem minha filha Maria Clara. Parabéns pelo texto.

  3. Oi Nívea. Adorei essa lista, só mãe mesmo pra entender e ainda dar risada com tudo isso. Bjs

  4. Lorena Alves disse:

    Sensacional o texto!!

  5. Ana carolina disse:

    No minimo serviu ara ar boas risadas, me identifiquei demais e me dei valor valeu

  6. Ana carolina disse:

    No mínimo dá para rir um bocado! Me identifiquei muito, pois me valorizo mais ou menos como mãe. Eu também colocaria mais um item: tudo é tão corrido que quando você se dá um tempo para tc, se pega escrevendo tudo errado e até mesmo besteiras. Outra coisa que mudou muito na minha vida: estou aprendendo a dar valor ao que realmente importa e sempre coloco como prioridade minha filhota.

  7. mayara amorim disse:

    e como é bom não ter filhos;nossa depois que tive os meus;descobri que minha vida era ótima e maravilhosa …sem filhos.
    Não sei da onde que saiu a vontade de ter kkk
    Mudou a minha vida 100%;totalmente;nossa.

  8. MILENA SILIO disse:

    Realmente é tudo isto mesmo, pena que um dia a gente acorda e descobre que não somos donos de ninguém, e não coseguimos livrar nossos filhos de todos os males, e um dia a vida vem e toma tudo da gente, por isto curtam mesmo, desabafo de uma mãe que perdeu a única filha.

  9. Fabio e Alexandra disse:

    Do número 16 ao 20 são os melhores para definir exatamente como nos sentimos agora que o Vicenzo, nosso filho, tem 2 anos. Silêncio, baladaxcama, desenhos infantisxseu canal favorito e amor incondicional. Parabéns pelas definições. Perfeitas. Concordamos em gênero, número e grau.

  10. Rafaella Possidonio disse:

    Nossaaaaaa! Vc definiu perfeitamente tudooo. Adorei!

  11. Mari disse:

    Não quero isso pra mim! Acho que a unica parte de ser mãe deve ser a 20. Por que de resto, são as mesmas reclamações que eu escuto de quem teve filho. Realmente isso não é pra mim.

  12. Cíntia disse:

    Mas que coisa mais linda e verdadeira!

  13. Agatha disse:

    Quanto mais eu leio sobre maternidade, mais tenho convicção de ter feito uma escolha sábia em não ter filhos. E ainda bem que meu marido pensa igual. Se depender dos meus irmãos terei só sobrinhos gato ou cachorro também..kkkkk !
    Falta de vocação, egoísmo, comodismo.
    Quando vejo toda a logística de simplesmente sair de casa com crianças, desisto. Não é pra qualquer um, é pra pessoas mega iluminadas, generosas, que se doam, coisa que não sou.
    Mas quando você é uma mãe realizada, feliz imagino que essas pequenas coisas sejam dribladas com maestria.
    Sua filha é linda !!!

  14. Josiane disse:

    Ótimo texto, realista…e me deu menos vontade de ter filhos, e continuar cuidando da minha carreira, correndo atrás dos meus sonhos e planejando minha próxima viajem!

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail