Como é fácil julgar a mãe alheia!

Por 30 Comentários


Todas as vezes em que me lembro das coisas que pensei sobre as outras mães, antes da maternidade, hoje me fazem rir. Sabe aquele ditado: “não cuspa para cima, porque vai cair no meio da sua testa”? Pois é, ele serve muito bem para mim! Ah, como é fácil julgar a mãe alheia! Você acha que faria tudo diferente dela: seu filho comeria tudo o que você coloca no prato, daria “bom dia, boa tarde, boa noite” e nunca, nunca mesmo, faria uma cena em público!

Ai, ai, se eu soubesse naquela época que a coitada da mãe era na verdade uma heroína! Que tentava a todo o custo dar um pouquinho de educação àquele serzinho que passava o dia todo testando seus limites! Como eu teria sido mais compreensiva! Certa vez eu acompanhei o almoço de uma pequena de uns dois anos de idade e sua mãe, olhando à distância. Quando a menina pediu a oitava batata frita e a mãe concordou (sim, eu me lembro muito bem de terem sido oito batatas, porque eu achei aquilo um absurdo!), eu a taxei de desnaturada. Como é que ela podia dar tanta fritura para sua filha pequena? Hoje eu sei: ela só estava querendo terminar sua refeição em paz, e aqueles vinte minutos de silêncio eram exatamente o que ela precisava para recarregar sua dose de paciência, para que ela durasse até o fim do dia. Aí vocês me perguntam: mas você já deu oito batatas para a sua filha? Sinceramente acho que não; mas para dizer a verdade, dependendo da situação, eu consideraria a possibilidade!

Tem também a clássica cena da criança se jogando no chão do supermercado ou da loja de brinquedos! Claro que eu pensava: “essa mãe é uma banana mesmo! Se a criança é assim, é porque ela deixa! Se tivesse pulso firme, duvido que o filho fosse desse jeito!” (hoje eu penso: olha aí uma mãe consciente, porque se o filho tivesse conseguido o que queria, não estaria tendo esse ataque!). Catarina ainda não fez dessas em público, mas passa o dia se jogando no chão de casa. E olha que eu já fiz de tudo, hein: deixei de castigo, tirei o brinquedo de que ela mais gosta por uns dias, fiz que não estava vendo o ataque de birra… Mas basta ser contrariada, que a pequena se atira aos berros novamente. Dizem que o ápice dessa fase é aos dois anos e meio, e estou torcendo para que de fato seja! Porque pior do que está, parece que não dá para ficar!

E a sua cara quando as pessoas chegam à sua casa e cumprimentam a filhotinha, e ela solta um sonoro “NÃO!” (não o quê, menina? É só falar olá, oi, bom dia, será que é tão difícil???). Pessoas do convívio íntimo dela: avô, avó, tios… Sim, porque ela só é folgada com quem conhece bem, porque se viu poucas vezes ou nunca viu na vida, a garota é suficientemente esperta para ficar quieta. E aí quanto mais você pede para ela ser educada, cumprimentar, se despedir, dar um beijo, um abraço… Mais ela se sente a dona do pedaço, e não faz mesmo! Então você conta até dez, respira fundo e pede aos céus uma dose extra de paciência, porque a sua já acabou faz tempo!

Muita gente diz que a minha filha é uma meiguice, longe de mim. Vira um docinho: agradece, come sozinha, mostra-se cheia de sorrisos. Eu não sei se as pessoas estão tentando me agradar (porque já viram minha cara de profundo desânimo durante as guerras travadas com ela), ou se a danada é de fato muito diferente do que mostra na frente dos pais. Certa vez, conversando com um amigo que também é pai, contei a ele sobre a fase difícil da pequena. Resposta”: é porque é mulher, porque se fosse homem estaria jogando bola e derrubando a casa inteira”. Ha, ha, ha, muito engraçadinho…

charlie

 

 

 

 

 

 

 




Arquivado em: Papo de mãe Tags:

Comentários (30)

Trackback URL

Sites que possuem links para este Post

  1. Guerra entre mães: por que é tão difícil aceitar a verdade alheia? : Mil dicas de mãe | 28 de janeiro de 2014
  1. Maria Islei disse:

    Que medo, minha neném está com três meses, briga com o sono, faz a maior birra. Me vi total, muitas vezes criticando uma mãe, achava que a birra da criança era da má educação. Hj não falo nada, me vejo cedendo, dando peito pra ela fazer de chupeta. Imagina o que posso fazer com uma porção de fritas qdo ela estiver comendo?? kkk Mas com certeza com a mãe a criaça faz mais birra, manha. Mas o acho tbm que o carinho com certeza é um ótimo remédio. Para os outros a criança quer ser o homenzinho a mocinha e para os pais o bb o filho. Há de se ter paciencia e um sorriso amarelo.

  2. Fernanda Siqueira disse:

    PERFEITO este texto! Antes de ser mãe eu falava: “MAGINA? Criança dormindo na cama com os pais? JAMAIS vai acontecer comigo, isso é totalmente errado, etc.” POFT. A teoria cai por terra !!! TUDO MUDA, a gente muda, nossa cabeça, pensamentos, ações, planejamentos! MAS! Uma coisa não muda: a vontade de estar fazendo a coisa certa. E a culpa, caso não achemos que fizemos certo!

  3. Raquel disse:

    Muito bom texto, realmente é o que boa parte das mães que eu conheço, inclusive eu passam por isso. Na quinta feira passada, aconteceu meu filho de 3 anos se juntou com uma amiguinha e ficou muito sapeca, não tive outra saída em chamar atenção dele na loja coloca-lo para pensar, sob olhares das pessoas me recriminando, mas eu tinha que controlar, quando passou começou a pedir salgadinhos, dvd’s e fez novamente outra birra não cedi fomos para fora da loja e ele dizendo que tinha parado de chorar me pedindo desculpas, eu deixei bem claro que toda vez que ele fizesse esse escândalo não ganharia nada e ainda ficaria de castigo.
    É muito difícil educar mas com muito amor e sabedoria vamos conseguindo.

  4. Bibi disse:

    É, que atire a primeira pedra quem nunca julgou!
    E depois, quando nos tornamos mães, aí sim, passamos pelas mesmas situações e vemos o que é a realidade!
    A Marina só tem um aninho e um personalidade muito forte. Quero ver quando tiver dois anos e meio… Zizuis amamdo, me ajude!
    Beijo!

    • Nívea Salgado disse:

      Ai, Bibi, com dois anos elas ficam terríveis! Mas dizem as mães de filhos mais velhos que com três anos e meio passa! Estou esperando! Só com muita paciência e amor!
      Grande beijo para você e para a Marina,
      Nívea

  5. kkkkk eu q o diga !!!meus faz manha ate hoje.um d6e outra d 17.mas eles sao meu maior tesouro,amor verdadeiro agora vc conheceu o amor de mae.bom ou ruim amamos do mesmo jeito. boa tard linda mamae!!!

  6. Nossa, nós mães pagamos a língua mesmo!! Essa semana minha querida neném que é um doce de criança, meiga, fofa foi comigo numa reunião de mães e bebês, vários, e causou, pegou o brinquedo de todos, pisava em cima dos nenéns, dançava, girava no meio, gritava e eu sem saber onde enfiar a cara, kkkkkk, pois antes eu via umas crianças assim e falava que a culpa era da mãe, kkkk, bem feito, paguei minha língua. Fora a paciência né? Eu criticava tanto as mães quando ficavam loucas, gritavam, pensava comigo, nossa, que desequilibrada, paguei a língua de novo, me peguei dando uns gritos dentro de casa igual uma louca também, gritei com liquidificador, maquina de lavar, o chinelo no chão e assim vai… mães ficam doidas mesmo e não tem jeito, kkkk, nunca mais julgar as próximas

    • Nívea Salgado disse:

      Menina, parece que essas coisas acontecem quando a gente menos espera, não é? Mas a gente vai aprendendo a lidar com esse tipo de situação e depois até dá risada do fato!
      Grande beijo,
      Nívea

  7. Pois é, Maria, com os pais os filhotes são bem diferentes! Eles querem colo, querem se sentir amparados! Como diz minha mãe: com mãe é manha! Grande bj pra vc e para a filhotinha!

  8. Elena Souza disse:

    "Filhos melhor não tê-los mas se não tê-los como sabe-los"…amo muito essa frase é só tendo para saber que não é fácil mas é compensante amo a minha bebezona de 18 anos ,que as veses ainda dá piti kkkk .

  9. Tati Cotrim disse:

    Deus me ajude nessas fase rsrs sou dessas tambem que critica a mae alheia, olhando e falando parece tudo bem mais facil..

  10. Nossa, me vi nesse drama. É a história da minha vida! Meu pequeno está com 2 anos e se joga no chão toda vez que é contrariado. Sempre pensei que fosse falta de pulso firme com as crianças que via fazendo isso. Tb já tentei de tudo, mas ele faz isso desde que tinha 1 ano. Já cedi tb pra ter um minuto de paz, de trégua, pq no fim do dia vc ta exausta, e eles tem energia infinitamente maior que a sua! O meu ainda tem um agravante, não sabe dizer o que quer pq aiinda não fala.

  11. É bem assim tenho uma de quatro anos quase me deixa louca não para um minuto se a gente não faz o que quer grita não dorme a noite inteira no quarto dela e todos dizem que quando cresce muda essa é minha esperança pos as vezes me sinto esgotada

  12. nossa , isso é perfeito .acho que vc ta falando dos meus filhos DAVI e TIAGO .é assim mesmo , que bom que não é so comigo aff..

  13. olha isso Beth Ribeiro kkkkkkkkk Vanessa Botegadeodatohipolito , Néia Corrêa

  14. Ana, eu acho que quando eles começam a falar, melhora um pouco. Pelo menos você entende o que ele quer, e ele fica um pouco menos irritado. Aqui foi assim. Bjs!,
    Nívea

  15. Marcela Abreu disse:

    Srsrd é assim mesmo… Falo para as minhas amigas "a vida real é bem mais complicada que na tv" e as crianças realmente mudam quando estão longe dos pais, sou professora de creche e já presenciei cada cena de crianca na frente dos pais que nunca, mas nunca mesmo aconteceu só entre a gente na sala de aula. Srsrsr

  16. Estou lendo isso e rindo… Eu criticava as mães por deixarem as crianças fazerem escandalo e se jogando no chão…hj mesmo meus gêmeos de três anos fizeram isso o dia todo. Haja paciência e muito amor… Mas confesso que e difícil…. Nunca mais critico mae alguma..kkk

  17. Eu sempre falei das mães alheias. Hj realmente sofro as consequências. Não é só mulher que da esses pitis. Meu filho vai fazer três anos, da altos pitis e ainda faz o que seu amigo falou, joga bola, corre, teima. As vezes ainda fingi não ouvir o que falamos. Eu fico louca!

  18. O que taca e dinheiro não resolver, pode aumentar que é porque foi pouco…

  19. aii eu to na mesma situacao q a sua, minha filha ja tem 1 ano e 2 meses, e agora comecou com isso, se nao faz oq ela quer pronto eh aquele escandalo, haja paciencia e pior ela nao fala entao nao sei oq ela quer e tb nao consigo explicar pra ela oq pode e nao pode, nao sei das batatas mas ja dei frango , carne suco ate dizer chega pra ela so pra poder terminar o almoco em paz viu…

  20. Camila disse:

    Tudo o que não gostamos as crianças fazem, pagamos a língua mesmo. Certa vez questionei a professora sobre o comportamento de minha filha – ela estava com 4 anos, hoje tem 7 – e a mesma disse que era a melhor aluna da sala em tudo, minha mãe e eu olhamos uma para a outra e rimos como duas malucas, a professora devia estar se confundindo não era possível. Eis que veio a coordenadora e enfatizou as palavras da educadora, sua filha é educada, inteligente, boa colega, um amor… Em casa chora e faz todas as birras do mundo.. Nós mães somos heroínas diárias, porque não é fácil… Abraços adoro as matérias.

  21. Karina disse:

    Nossa deu ate medo agr, eu estou gravida de 23 semanas de uma princesa a Isadora.
    E eu sou muito de observa as mamães com os seus filhos e uma coisa que eu olho muito e uma mães que da alguma guloseima pro seu filho ele se suja inteiro e EA mae deixa aquela sujeira na criança por horas eu acho isso uma falta de cuidado com a criança sinceramente mais tbem olho muito crianças gritando em local publico correndo e eu acho um absurdo Kkkkk
    Reclamo da minha mae que deixa minha irmã de 7 anos dorme com ela na cama mais enfim acho que vou passa por tudo isso né dizem que quem muito olha a vida dos outros acaba passando igual ou pior. So peço muito a deus forças pra pode cuida bem da minha filha e que ela venha com muita saúde independente desses entrevisto que ela mi fará passa Kkkkk.

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail