início da gravidez é cheio de descobertas e preocupações para os futuros pais da criança.

Durante o primeiro trimestre de gravidez, que abrange o período que vai desde a 1ª até a 12ª semana de gestação, o corpo se vai adaptando às grandes mudanças que estão começando.

Essas mudanças e variações corporais e hormonais irão durar por aproximadamente 40 semanas, até o nascimento do bebê.

Nesta fase, existem cuidados importantes que a mãe deve tomar para que o bebê possa crescer e se desenvolver de forma saudável.

Publicidade

No artigo abaixo, vamos listar e explicar alguns cuidados que devem ser tomados, além dos exames a serem realizados a fim de garantir uma gestação mais segura e saudável para a mãe e para o bebê. Vamos lá?

Início da gravidez

Barriga de mulher grávida. Crédito da foto: Freepik

Início da gravidez: O que é normal sentir nesse período?

O início da gravidez é cheio de mudanças. O feto está se desenvolvendo rapidamente, formando os principais órgãos do corpo humano como coração, pulmão, fígado, intestino, rins e medula.

Já a gestante também passa por muitas adaptações para manter e nutrir adequadamente essa nova vida. Os sinais comuns nos primeiros três meses da gestação são:

  • Aumento da frequência urinária;

  • Cansaço e sonolência;

  • Dor nas costas ou no corpo;

  • Náuseas ou vômitos, principalmente no período matutino;

  • Alterações no humor;

  • Retenção de líquido;

  • Cólica;

  • Sensibilidade nas mamas.

O que as gestantes devem evitar no início da gravidez?

Além da orientação profissional através do pré-natal, alguns cuidados simples podem evitar riscos para a mãe ou para o bebê. Veja os cuidados abaixo:

  • Não utilize qualquer medicamento sem orientação médica;

  • Não consuma bebidas alcoólicas ou cigarro;

  • Evite o consumo excessivo de chás e cafeína;

  • Atividades físicas devem ser orientadas por um profissional;

  • Evite comer alimentos crus, como carne, peixe e ovos.

Resumindo, se tem uma fase da vida das mulheres que gera inúmeras dúvidas e requer cuidados especiais é a gravidez.

Publicidade

Durante os 9 meses, a atenção precisa ser redobrada. Mas é logo no início da gestação, nos 3 primeiros meses, que devem surgir os cuidados necessários para uma gravidez tranquila.

Afinal, o corpo sofre mudanças e tudo pode refletir durante a gestação, tanto na saúde da futura mamãe quanto no desenvolvimento do bebê.

A seguir, descubra quais são os primeiros cuidados na gravidez mais importantes!

Início da gravidez

Mulher sentada com “perna de índio” usando calça jeans e blusa florida. Ela sorri e está tocando sua barriga com as mãos. Fundo branco. Crédito da foto: Freepik

1. Tenha acompanhamento médico desde o início da gravidez

A gestação é uma fase que requer atenção médica constante, por isso, o acompanhamento pré-natal feito por um médico obstetra é importantíssimo para tratar a tempo possíveis problemas, especialmente no primeiro trimestre.

É esse acompanhamento que vai minimizar o risco de alguns problemas de saúde que podem ocorrer com as grávidas, como:

  • Trombofilia: formação de coágulos no sangue. O tratamento é feito com uso de anticoagulantes para evitar hemorragia, especialmente no parto.
  • Aborto espontâneo: tem mais chances de acontecer até as 20 primeiras semanas. Para evitar, não consuma bebidas alcóolicas e nem qualquer medicamento sem acompanhamento médico.
  • Diabetes gestacional: decorrente do aumento de nível de glicose no sangue. Dieta equilibrada e exercícios físicos regulares ajudam a combater o risco desta complicação.
  • Anemia: gestantes têm risco maior de se tornarem anêmicas, pois precisam de mais ácido fólico e ferro do que o habitual. Para evitar, consuma alimentos que possuem essas vitaminas.
  • Infecção urinária: devido ao alto risco de parto prematuro decorrente de infecções urinárias, é essencial manter em dia os exames de urina durante o pré-natal.
  • Distúrbios da tireoide: causam aborto e aumentam o risco de hipertensão. Por isso, é importante monitorar a taxa hormonal regularmente.
  • Candidíase: na gravidez, aumenta-se o risco da doença por conta da redução de células de defesa na vagina da gestante. Essa complicação pode ser tratada com a diminuição de carboidratos e o aumento da ingestão de alimentos que melhoram a imunidade.
  • Hemorroidas: a prisão de ventre pode acabar ocasionando hemorroidas durante a gravidez. Tente não passar muito tempo sentada ou em pé e consuma alimentos ricos em fibras para evitá-las.

2. Tenha uma alimentação equilibrada

Consumir os alimentos certos no início da gravidez vai garantir os nutrientes necessários para a mãe e o bebê.

Publicidade

Existem muitas vitaminas benéficas para o corpo da mulher neste período, mas no topo delas está o ácido fólico.

Ao ser ingerido na dosagem ideal orientada pelo obstetra, ele reduz os riscos de deficiências do tubo neural do bebê, ou seja, malformação no cérebro e na coluna vertebral.

De forma geral, invista principalmente em ácido fólico, zinco, cálcio, vitamina B12 e ômega-2, que podem ser encontrados em alimentos, como:

  • Couve;
  • Brócolis;
  • Cenoura;
  • Pães;
  • Cereais;
  • Grãos;
  • Legumes;
  • Frutas;
  • Derivados de leite;
  • Nozes.

As vitaminas contidas nestes alimentos também vão estimular uma maior produção de leite.

Cada gestante tem necessidades nutricionais específicas. Por isso, pergunte sempre ao seu médico ou faça uma avaliação nutricional sobre qual a alimentação adequada para você.

Além disso, fique atenta ao seu peso. Existe uma previsão de ganho de peso, mas ela deve ocorrer de forma adequada para que o desgaste seja o menor possível durante os 9 meses.

3. Cuide da sua pele

É bastante comum aparecerem manchas escuras na pele durante a gravidez. Isso acontece por conta do estímulo de hormônios típicos dessa fase que liberam a produção de melanina e geram melasma ou escurecimento das partes íntimas, como vulva e mamilos.

Felizmente, a alternativa para resolver é simples e pode ser considerada como um dos primeiros cuidados na gravidez: beber de 2 a 3 litros de água por dia e ter sempre por perto um protetor solar com fator de proteção elevado.

Além disso, você pode utilizar cremes hidratantes com vitamina C e óleo de amêndoas doces ou óleo de girassol.

Hidratantes também vão evitar o surgimento de estrias, outro problema bastante comum na gravidez, especialmente na barriga.

Por isso, faça da hidratação um hábito em sua vida para ajudar a manter a elasticidade dessa região. Essa atitude vai refletir também no resultado do seu pós-parto!

Importante: evite andar sob a luz do sol entre as 10h e 16h, quando os raios de sol costumam ser mais fortes.

4. Faça exercício físico regularmente 

Essa é uma recomendação independente de qualquer fase, mas é na gravidez que ela se torna ainda mais essencial.

Consulte o seu médico e, caso ele libere, não hesite em praticar atividades físicas que movimentem o seu corpo.

Os exercícios ajudarão a combater possíveis incômodos que surgem ao longo da gestação, como dores nas costas e na região pélvica.

Além disso, você vai se sentir muito mais preparada para o momento do parto se mantiver seu corpo em movimento.

Bons exercícios são yoga, pilates, caminhadas, meditação, alongamento, musculação leve, hidroginástica, exercícios com bola e fisioterapia. Escolha o seu preferido e não deixe de fazer!

Início da gravidez

Mulher grávida sorrindo e tocando sua barriga com as mãos. Crédito da foto: Freepik

Início da gravidez: Confira os principais cuidados para a saúde

5. Monitore sua pressão arterial

Pelos riscos que o aumento da pressão arterial traz, um dos cuidados na gravidez é seu monitoramento contínuo.

Por isso, fique atenta aos sintomas característicos de pré-eclâmpsia como dor de cabeça, dor na nuca, náuseas, inchaço e visão embaçada. Essa condição pode resultar em parto prematuro e complicações maternas.

Se você tem pré-disposição a este quadro, evite alimentos muito salgados e industrializados, beba bastante água e repouse sempre que possível.

6. Mantenha seu cartão de vacinas atualizado

Os cuidados na gravidez também incluem manter as vacinas atualizadas.

É importante pensar que essas vacinas protegerão não só você, mas também o bebê que está sendo gerado, já que os efeitos da vacina são transmitidos pela placenta e, logo após o nascimento do bebê, pela amamentação.

7. Observe possíveis corrimentos vaginais

Durante toda a vida, a mulher tem corrimentos vaginais por vários motivos, muitos comuns. Um deles é o corrimento vaginal fisiológico (leucorreia) que faz parte do processo natural de lubrificação da região pélvica.

Porém, na gravidez, qualquer corrimento diferente pode ser preocupante. Caso observe alterações de cor e cheiro, o corrimento vaginal pode representar risco para a mãe e o bebê.

Normalmente, o corrimento normal não possui cor e nem cheiro. Nesse caso, consulte seu médico o quanto antes para ver o que pode estar acontecendo.

8. Atente-se aos sinais do seu corpo

Alguns sintomas como cansaço, aumento de apetite e sono podem sim ser normais nessa fase, afinal, no primeiro trimestre da gestação, o corpo está se adaptando.

Então, curta ao máximo esse momento tão especial na vida de uma mulher e nunca se sinta culpada se quiser dormir ou comer mais! Esse é um momento único em sua vida.

Porém, fique sempre alerta a todo e qualquer tipo de alteração que passe do limite de normalidade. O seu corpo pode estar avisando que algo está errado e que precisa de ajuste.

9. Faça o pré-natal logo no início da gravidez

O pré-natal é o primeiro cuidado de uma gestação. Essa etapa é o acompanhamento de um médico obstetra, que irá monitorar e orientar a mãe e família sobre a gravidez.

Nas consultas serão abordados todos os assuntos relativos às mudanças hormonais e psicológicas, a alimentação, entre outras.

Logo, o pré-natal avalia toda a saúde da mãe, o que impactará diretamente na vida da criança. Por isso, essa etapa é muito importante para esclarecer tudo à mulher.

10. Realize todos os exames que o médico pedir

Dentro da bateria de exames, é pedido uma checagem do histórico médico da mãe e familiares mais próximos.

Essa etapa dos cuidados na gravidez é muito importante, porque busca prever riscos de doenças hereditárias e genéticas ao bebê.

Alguns dos principais exames solicitados são:

  • Exame de glicemia;
  • Testes sorológicos para HIV e sífilis;
  • CMV, mais conhecida como herpes;
  • Exame de Coombs indireto para mulheres com RH negativo;
  • Toxoplasmose, infecção popularmente chamada de “doença do gato”;
  • Hemograma completo com contagem de plaquetas, estruturas de defesa do organismo;
  • Rubéola;
  • Hepatites B e C;
  • Teste de tipo sanguíneo e fator RH, fator que mostra se o sangue é positivo ou negativo.

Atenção especial à ultrassonografia!

Durante todo o período gestacional são feitas ultrassonografias obstétricas para acompanhar o desenvolvimento do bebê.

No entanto, existem 3 principais. São elas:

Depois da confirmação da gravidez, é feita a primeira ultrassonografia, de forma transvaginal, geralmente entre a 6ª e a 8ª semana até a 12ª.

Ela monitora o embrião, seus batimentos cardíacos, a formação dos membros, a idade gestacional e estima uma data de parto. Assim, a saúde dos ovários e do colo do útero também são avaliadas.

Dando sequência, a segunda ultrassonografia é a transvaginal morfológica, feita a fim de constatar possíveis alterações congênitas, como a malformação do cérebro e hidrocefalia, acúmulo de líquido na cavidade craniana, bem como problemas genéticos e cromossômicos.

Por fim, a terceira ultrassonografia é feita outra morfológica de maneira abdominal, entre a 18ª e 24ª semana de gestação.

Ela também serve como um método de detecção de malformações, com uma sensibilidade de 85%. Além disso, avalia também a formação de cada órgão e estruturas do bebê – sendo muito importante.

Início da gravidez

Mulher gestante acariciando a barriga e sorrindo. Crédito da foto: Freepik

Vai ter gêmeos? Cuide-se em dobro

Felicidade em dobro, cuidado em dobro também. Todos os cuidados na gravidez citados acima devem ser seguidos à risca. Mas se a sua gravidez for gemelar, a atenção é ainda maior.

As mães de gêmeos devem ter consciência que as consultas pré-natais serão ainda mais frequentes, pois esse tipo de gravidez apresenta um risco maior de complicações, como pré-eclâmpsia, diabetes e até parto prematuro.

Como se manter saudável durante a gestação?

Durante a gestação é comum que o organismo da mãe necessite de maior aporte de nutrientes e vitaminas.

Para evitar carências nutricionais que são ruins para a mãe e o feto, é recomendado que a gestante mantenha a rotina de consultas e exames pré-natais e procure acompanhamento nutricional para manter uma dieta balanceada e rica em nutrientes.

Alguns nutrientes são especialmente essenciais para uma gestação saudável, tais como:

  • Ácido fólico: presente em espinafre, feijão-branco, brócolis, laranja, repolho branco, fígado bovino, abacate, grão-de-bico, lentilha, escarola, pão de centeio.
  • Vitaminas do complexo B: encontrada em carne bovina, peixe, ovos, banana, leite e derivados e cereais integrais.
  • Cálcio: carnes, grãos e vegetais verde-escuros.
  • Ferro e Zinco: presentes em fígado, carnes e leite.
  • Iodo: sal iodado, frutos do mar e peixes de água salgada
  • Fibras: encontradas em verduras, legumes, frutas e cereais integrais, como aveia, trigo, milho e arroz.

Todas essas vitaminas são essenciais para uma gestação forte e saudável. Não deixe de consultar um nutricionista e um obstetra que serão capazes de te auxiliar melhor nesse processo.

Sintomas incomuns durante toda a gravidez

Alguns sintomas incomuns que a gestante pode apresentar, mas que precisam de uma avaliação diferenciada para evitar consequências maiores. São eles:

  • Roncos: devido ao inchaço que ocorre nas mucosas, o ronco repentino pode ocorrer durante a gravidez, entretanto, outras causas devem ser avaliadas e excluídas, como distúrbios do sono e doenças alérgicas.

  • Alterações no paladar: a mulher pode alterar o paladar, sentindo gosto metálico na boca durante todo o dia, persistindo até quando ingere algum alimento ou escova os dentes;

  • Alterações na visão: é comum que mulheres que já precisam de lentes corretivas antes da gestação, sinta mudanças no grau necessário, tanto para melhor quanto para pior. As alterações hormonais e inchaço contribuem para essa mudança.

    Entretanto, a diabetes e a hipertensão arterial também. Então, essas alterações devem ser compartilhadas com o obstetra logo que apareçam para serem melhor investigadas.

  • Prisão de ventre: Muitos fatores podem contribuir para alterações no hábito intestinal da gestante. Por isso, manter uma boa ingesta de líquidos e fibras contribuem imensamente para evitar a prisão de ventre.

Quais as dores mais comuns na gestação?

A dor é um sintoma que deve sempre ser valorizado e investigado, especialmente em gestantes. Algumas dores são frequentes durante a gravidez, como:

  • Dor de cabeça;
  • Cólica;
  • Dor nas costas;
  • Maior sensibilidade nos seios;
  • Dor nas pernas e braços.

Se atente à elas e não deixe de procurar seu médico, ok?

mulher grávida

Mulher grávida sentada no sofá, olhando e tocando sua barriga. Crédito da foto: Freepik

Confira os principais exames que devem ser feitos no início da gravidez

Além dos exames que já citamos anteriormente, no início da gravidez é recomendado o exame de Beta HCG, que consiste em uma coleta de sangue e valores aumentados estão relacionados ao diagnóstico da gestação.

Assim que a gestação for confirmada, outros exames são necessários e importantes para avaliar a saúde da mãe, que serão pedidos pelo médico, como exames de urina e exames ginecológicos.

Já o exame de NIPT, é recomendado especialmente para mulheres grávidas acima dos 35 anos; gestantes com histórico de gravidez anterior afetada com aneuploidias; gestações em que o pai ou a mãe tenham translocação robertsoniana e pacientes com triagem sérica positiva no primeiro ou segundo trimestre de gestação.

Todavia, todas as gestantes podem realizar o exame de NIPT que identifica o sexo do bebe além de alterações cromossômicas.

Principais cuidados durante o início da gravidez e em toda a gestação

O início da gravidez é um dos períodos que requer mais cuidados para que o bebê possa se desenvolver e nascer no tempo certo.

Por isso, durante essa fase os cuidados mais importantes são:

  • Não tome remédios sem orientação médica: A maioria dos remédios não foram testados durante a gravidez e por isso não se sabe se são seguros para a mãe e para o bebê. Alguns passam pela placenta e podem causar graves alterações, como é o caso do Roacutan. Normalmente os únicos remédios que a grávida pode tomar são a Novalgina e o Paracetamol.
  • Não faça exercícios de grande impacto: Se a gestante já pratica algum exercício como caminhada, corrida, Pilates ou natação, poderá continuando com esse tipo de exercícios, mas deverá cessar exercícios que envolvam salto, luta corporal, contato físico brusco.
  • Não tome bebidas alcoólicas: Durante toda a gravidez a mulher não deve consumir nenhum tipo de bebida alcoólica porque isso pode causar a síndrome alcoólica fetal.
  • Use camisinha durante as relações sexuais: Ainda que a mulher esteja grávida, ela deve continuar usando a camisinha para evitar pegar alguma doença que possa interferir no crescimento do bebê e até mesmo contaminar a criança, podendo ter sérias implicações, como é o caso da gonorreia, por exemplo.
  • Não use drogas em hipótese alguma: O uso de drogas ilícitas não pode ser feito durante a gravidez porque elas chegam ao bebê e interferem gravemente no seu desenvolvimento e ainda deixam o bebê viciado, o que faz que ele chore muito fique inquieto ao nascer, dificultando o seu cuidado diário.
  • Não fume: O cigarro também interfere no crescimento e desenvolvimento do feto e por isso a grávida não deve fumar, nem mesmo ficar muito próxima de outras pessoas que estejam fumando, porque o fumo passivo também chega até o bebê, prejudicando seu desenvolvimento.

Seguindo todas essas dicas, você terá uma gestação bem tranquila ao lado do seu bebê! Sabemos que esse é um período intenso e cheio de mudanças, que nem sempre é fácil, mas é um momento único e especial na vida de uma mulher.

Mantenha a calma, procure uma rede de apoio e siga os cuidados acima, para manter a sua saúde no início da gravidez e também durante todo o período em dia, além da saúde e bem-estar do bebê.

Esperamos que tenha gostado deste artigo e continue acompanhando o Mil Dicas de Mãe para mais conteúdos!

Leia também: