A curetagem é um procedimento geralmente realizado em situações em que a mulher passa por um aborto.

O aborto possui várias causas e, em algumas situações o corpo não consegue eliminar adequadamente todo o conteúdo uterino.

São justamente esses abortos ditos incompletos que precisam da curetagem como intervenção, que é realizada por um medico ginecologista.

O que é e quando é feita a curetagem?

curetagem

Imagem de curetagem – Foto: Freepik

Publicidade

Ao longo das semanas de gravidez, o corpo da mulher passa por muitas mudanças. A maior delas acontece dentro do útero, onde o endométrio se torna mais espesso para acomodar o embrião desde os primeiros estágios.

Muitas vezes, geralmente por causa natural, o corpo não consegue manter a gestação. Então a mulher sofre um aborto.

Acontece que em algumas circunstâncias o organismo não elimina totalmente o endométrio após o aborto.

Caso a gestação já esteja em estágios mais avançados, é preciso que o organismo elimine também partes da placenta e o feto. Caso isso não aconteça é preciso realizar a curetagem.

Quem avalia sobre a necessidade de realizar esse procedimento é o próprio médico ginecologista.

Geralmente, quando o procedimento é recomendado, a mulher sente medo e ansiedade. A dor da perda é sempre intensa e muito triste.

Publicidade

Mas em alguns casos é essencial realizar a curetagem para evitar que o conteúdo permaneça com conteúdo que possa provocar problemas à mulher.

Em casos em que o conteúdo uterino não é completamente eliminado, podem ocorrer infecções uterinas graves.

O procedimento pode ser desagradável, mas ter que lidar com as consequências de uma expulsão parcial é algo perigoso.

É muito importante também esclarecer que a curetagem não é realizada apenas em casos de aborto.

Em algumas ocasiões o médico ginecologista por optar pelo procedimento para tratar problemas como sangramentos excessivos e dores abdominais intensas.

Além disso, não se deve confundir o termo curetagem com coletagem, que é a designação para o procedimento no qual se coleta algum material.

Publicidade

Tem como evitar o procedimento?

curetagem

Mulher tendo filho – Foto: Freepik

Os abortos espontâneos são reações naturais do organismo e não é possível evitar completamente a ocorrência deles.

Entretanto, a carência de algumas vitaminas e minerais aumenta a chance de que eles aconteçam.

Por isso é muito importante que o médico prescreva esses complementos para minimizar as chances de abortos espontâneos.

O ácido fólico é o principal deles. Por isso, quando as mulheres decidem engravidar já devem começar a tomar ácido fólico.

As vitaminas A, C e E de maneira geral são essenciais para as gestantes. Por isso é preciso ter bom acompanhamento nutricional e do ginecologista durante a gravidez para reduzir os riscos de aborto e de ter que fazer uma curetagem.

Como esse procedimento é realizado?

curetagem

Mulher com o marido  – Foto: Freepik

Primeiramente é preciso dizer que a curetagem é um procedimento cirúrgico, que deve ser feito em hospital pelo médico ginecologista.

Basicamente é preciso utilizar instrumentos específico para fazer o alargamento do colo uterino e, então utilizar outros para fazer a remoção dos resíduos.

Atualmente existem dois procedimentos usados para isso. O mais convencional é a raspagem, mas há também a sucção, que é um método mais moderno.

Antes disso a paciente recebe uma anestesia. O tipo é indicado pelo médico responsável e, isso depende da situação física e emocional da paciente.

A raquidiana é a mais usada, mas há casos em que a paciente pode receber até mesmo um anestésico geral.

Se o estado de saúde da paciente for bom, a curetagem é um procedimento bastante simples. Depois de passar por ele, a mulher pode deixar o hospital depois de 24 ou até mesmo 12 horas de observação.

Há casos em que o conteúdo extraído do útero após a curetagem é levado para análise para que se detecte a causa do aborto.

Em casos de abortos consecutivos e frequentes, o médico geralmente opta por fazer isso para determinar a origem do problema.

Como é a recuperação após a curetagem uterina?

Primeiramente você deve entender que a recuperação após qualquer tipo de procedimento depende da resposta do organismo.

Isso é individual. Sendo assim, cada mulher vai ter a recuperação de uma maneira e as sensações podem variar. Mas de maneira geral para a curetagem ela é considerada simples.

Comumente a curetagem realizada após um aborto ocorrido em gestação recente e de baixo risco é mais simples e tem uma recuperação mais rápida.

Em contrapartida, quando isso acontece em uma gestação em estágio avançado, pode exigir mais cuidado na recuperação. Em alguns casos é preciso fazer resguardo de 40 dias.

Independentemente do nível de complicação da curetagem, é primordial que a mulher tenha alguns cuidados específicos, que incluem:

  • Repouso absoluto;
  • Não ter relações sexuais;
  • Tomar corretamente os anti-inflamatórios ou antibióticos receitados pelo médico.

Após o procedimento é normal que a mulher tenha sangramentos e isso é absolutamente normal.

O procedimento da curetagem é invasivo e, o corpo conclui a expulsão do conteúdo uterino por meio do sangramento. Ele pode se estender por um período que varia entre 5 e 15 dias.

Caso a mulher apresente sangramentos muito intensos ou tenha febre e dores abdominais, deve entrar em contato com o medico para uma avaliação.

Posso engravidar depois de quanto tempo?

Depois da curetagem é comum que as mulheres queiram saber quando podem começar a tentar engravidar novamente.

Se esse é o seu caso, antes de mais nada, tenha calma. Por mais que você deseje uma nova gravidez, deve pensar em permitir que o seu organismo se recupere do ocorrido.

Passar por um aborto é algo muito difícil psicologicamente, mas é um trauma também para o seu organismo.

Então é preciso dar tempo para que o corpo se recupere totalmente até que esteja preparado para abrigar uma nova vida.

O ideal é que o médico avalie a situação, pois cada caso é diferente. Em casos de baixa complexidade, geralmente é recomendado que a mulher espere três meses antes de tentar engravidar novamente.

Em contrapartida, quando a complexidade do quadro é maior, deve-se aguardar um período de até seis meses.

Conclusão

A curetagem é um procedimento realizado geralmente após um aborto. Por isso ele pode ser psicologicamente difícil para a mulher. Apesar disso, ele é muito importante para evitar infecções e problemas mais complexos.