Fazer Parto na água: Muitas pessoas se questionam se toda mulher pode fazer parto na água e, embora este seja um meio tranquilo e “gentil” de receber o bebê, é preciso ficar de olho em algumas restrições bem importantes.

Afinal, a saúde da mãe sempre será um sinal de alerta para qualquer tipo de atividade que possamos chamar de “diferente”, embora o parto na água seja mais comum do que imaginamos.

Pensando nisso, fizemos este breve guia com informações sobre quais são os requisitos requeridos por médicos e parteiras para que a futura mamãe possa, de fato, ter o seu parto dentro da água. Acompanhe e entenda!

Veja mais: Tentando Engravidar: O Que Fazer Para Ajudar na Concepção

Publicidade

Toda mulher pode fazer parto na água? Quais são as restrições?

O parto na água tem se popularizado cada vez mais. Questões relacionadas ao “parto humanizado“, por exemplo, tem tornado esta prática muito conhecida por muitas mulheres.

Porém, é importante destacarmos um alerta: nem toda mulher pode fazer parto na água. Isso porque é preciso considerar uma série de questões relacionadas à saúde da mulher, para assim ter certeza de que o procedimento acontecerá de maneira segura e dentro de um período de tempo que não leve a nova mamãe à exaustão.

Fazer Parto na água

Gestante deitada com sapatinho de bebê no colo. Foto: Freepik

Por isso, antes de aderir ao parto na água, atente-se para os requisitos abaixo:

É preciso que a mulher esteja no seu peso ideal

Mulheres com muito sobrepeso podem apresentar, em alguns casos, gravidezes de risco e, por conta disso, não aconselhamos o parto na água. Segundo alguns profissionais que trabalham diretamente com este tipo de parto natural, o conselho dado é que a mãe não tenha mais do que 90 kg na hora do parto. Assim, as chances de complicações, sem o suporte adequado, diminuem.

Leia mais: Náusea durante o parto: Saiba o que pode ser feito

Publicidade

O bebê precisa estar em uma posição adequada

Antes do parto acontecer, o médico também irá avaliar qual é a posição do bebê. Afinal, é preciso que a sua saída seja facilitada para que todo o processo seja o mais fluído possível. Por isso, é recomendado que o parto normal aconteça apenas se o bebê estiver de cabeça para baixo, pois assim a mulher sentirá menos desconfortos na hora de dar à luz.

parto na água

Gestante em casa. Foto: Freepik

Fazer parto na água: A gravidez precisa ser de baixo risco

Mulheres que apresentam alto risco na gravidez precisam de um acompanhamento médico mais especial e completo. Isso permitirá que qualquer complicação seja prevista ou diagnosticada o quanto antes, a fim de manter os cuidados necessários da mãe e do bebê.

Por conta disso, nem toda mulher pode fazer parto na água, tendo em vista que muitas vivem uma gravidez de risco. Por isso, converse com o seu médico antes de tomar a sua decisão e saiba quais são as medidas de segurança que você deverá tomar.

Leia também: Parto Prematuro: Quais os sinais?

Fazer parto na água: A gravidez precisa atingir 37 semanas

Embora esta informação pareça óbvia, é importante destacarmos que a gravidez precisa ter atingido 37 semanas para que tudo aconteça da melhor maneira possível. Caso contrário, se a dilatação, por exemplo, começar prematuramente, é preciso que a mãe vá ao médico e saiba mais sobre o seu caso. E nunca force um parto de qualquer forma, apenas por ser em casa e na água.

Publicidade
parto na água

Gestante aplicando hidratante na barriga. Foto: Freepik

Em resumo, podemos dizer que mulheres saudáveis, com 37 semanas de gravidez, peso ideal e sem riscos, podem fazer o parto humanizado na água. Caso contrário, as chances de que algo fuja do controle é muito maior, e caberá a você decidir se arrisca ou não em prol deste tipo de parto. Na dúvida, sempre converse com o seu médico.