Sempre tem aquela época do ano, normalmente, o verão! As escolinhas e creches voltam às atividades e todo mundo se reencontra depois de um longo período de férias, até que… a criança com piolho vira uma realidade. 

Poderia ser engraçado, se não fosse levemente trágico: toda mãe vai enfrentar um surto de piolho pelo menos uma vez na vida. Pode não ser no próprio filho, mas no coleguinha da escola, o vizinho, primo.

Mas, como prevenir é melhor do que remediar. Separamos cuidados simples que podem evitar você de arrancar os cabelos – literalmente. Leia a seguir. 

 

Publicidade

Criança com piolho, como acontece?

Diferente do que dizem, o piolho não é um sinal de falta de higiene, porque ele “prefere, apenas cabelos sujos”. Aliás, muito pelo contrário. O pequeno parasita capilar, usa o ser humano como hospedeiro e é contraído por contato direto, como por exemplo bonés, tiaras de cabelo, pentes e locais de muita aglomeração. Por causa disso, as escolinhas e creches tem chances maiores de se tornarem o centro de uma infestação. 

Esses insetos se agarram ao couro cabeludo, depositam ovos, chamados de lêndeas, e em até 10 dias esses ovos eclodem e dão início à infestação. O tratamento é difícil e deve ser minucioso, porque a proliferação do inseto é muito rápida. 

Freepik

3 dicas para evitar os piolhos 

Alguns cuidados que podem ser agregados ao dia a dia e ajudam a evitar o susto da criança com piolho, porque garantem um maior tempo hábil para lidar com a infestação (piolhos morrem em até 48h sem se alimentar de sangue). 

  • Examine a cabeça das crianças sempre: SEMPRE! Logo cedo, no banho, na hora de desembaraçar o cabelo, na hora de fazer penteados. Sempre que possível dê aquela conferida na cabeça dos pequenos, para ver se não há nada suspeito.
  • Não compartilhe pentes, toalhas, grampos, chapéus e capacetes: sabemos que nem sempre esse tipo de atitude está ao nosso alcance. Mas, vale um cuidado redobrado com esses itens em casa. Como sempre fazer uma pequena inspeção nos objetivos e higienizá-los da melhor maneira possível: pode ser desde álcool até uma lavagem com água em temperatura muito alta.
  • Troque as roupas de cama rotineiramente: evite ficar com a mesma roupa de cama e fronha por muito tempo. Aproveite a troca e deixe sempre que possível o colchão respirar e exposto ao sol. 

 

Os mitos mais comuns sobre adulto e criança com piolho

Quando o assunto é piolho, milhares de teorias surgem e muitas delas não são verdade. Separamos 5 mitos super comum sobre o assunto, para você não ficar mais em dúvida!

Publicidade
  • Os piolhos são mais comuns em países de terceiro mundo: Falso. O parasita está presente em diversos países abastados pelo mundo.
  • A criança com piolho não pode ir para a escola: Falso. Os insetos são transmitidos por contato.  Se os pais estão tratando a infestação corretamente e passando o pente fino na criança todos os dias (a melhor opção de combate) não há necessidade de ausência.
  • Para matar o piolho é preciso esmagá-lo: Falso. Esmagar o inseto é o que você nunca deve fazer. Depois de retirados da cabeça, os parasitas devem ser mergulhados em uma solução de vinagre e água.
  • Criança com piolho tem cabelo sujo: Falso. A higiene não tem relação com a infestação do inseto. Ele (acredite!) prefere cabelos limpos.
  • O piolho pode saltar de uma pessoa para outra: Falso. O parasita não possui asas, nem pernas adaptadas para o salto, o que impossibilita esse tipo de movimentação. 

 

Os piolhos dão trabalho, mas não são o fim do mundo! Algumas atitudes no dia a dia ajudam muito na prevenção, porém, ninguém está imune, ou seja, a família inteira, de crianças a idosos, podem ser infestado.  Conta para a gente nos comentários se você tem alguma dica infalível para tratar piolhos.