Endométrio espessado, é quando o tecido que reveste o interior do útero feminino sofre um aumento de grossura. Ele tem participação ativa em situações como o período menstrual e a gravidez da mulher. Então, a má saúde do endométrio pode acarretar problemas para engravidar e até mesmo câncer. A seguir, descubra o porquê. 


O que é o endométrio espessado? 

Foto: Freepik

A parte interna do útero é completamente revestida pelo endométrio, que se divide em duas partes: o colo do útero e o corpo do útero (onde o bebê se desenvolve no caso de uma gravidez). 

Normalmente, a grossura desse revestimento é de 5mm, porém, ele pode chegar até 15mm no caso do endométrio espessado. 

Publicidade

Já durante uma gravidez, o espessamento do endométrio é comum. No caso contrário não, porque a menstruação consiste justamente na descamação do endométrio. 

Então, se há uma diferença de grossura nessa parede, em uma situação que não entende uma gestação: há algo errado! 

 

Causas do espessamento do endométrio 

endométrio espessado

Foto: Freepik

A hiperplasia endometrial (outro nome muito usado para endométrio espessado) pode causar uma hemorragia. Assim, a produção de estrogênio aumenta e resulta em uma menstruação irregular. 

Logo, os motivos hormonais são muito comuns nas causas de endométrio espessado, porque o excesso de estrogênio ou a falta de progesterona são cruciais na hora do diagnóstico. Alguns problemas que causam esse desequilíbrio hormonal são:

Publicidade

 

Tipos de espessamento 

Foto: Freepik

Nem todos os casos acontecem da mesma maneira, assim a patologia do endométrio espessado se divide em quatro classificações: 

  • Hiperplasia Simples: quando o espessamento é uniforme por todo o tecido que reveste o interior do útero. 
  • Hiperplasia Focal: pedaços de tecido exteriores à cavidade uterina e estreitamento do útero. 
  • Hiperplasia Cística: quando o útero fica com um aspecto irregular causado por cavidades. 
  • Hiperplasia Atípica: geralmente associada a um câncer, é um quadro mais grave de lesão do endométrio. 

Os sintomas mais comuns ao endométrio espessado 

endométrio espessado

Foto: Freepik

Evidente que, com uma dosagem hormonal desbalanceada, um dos primeiros termômetros para saber se há algo errado certamente será o ciclo menstrual. Fique atenta se tiver problemas como:

  • Sangramentos fora do ciclo menstrual normal. 
  • Secura vaginal. 
  • Corrimento vaginal. 
  • Dor durante as relações sexuais. 
  • Aumento do tamanho do útero. 

Outro sintomas, mais difíceis de notar, mas também importantes no dia a dia são:

Publicidade
  • Dor pélvica. 
  • Mudanças de humor. 
  • Aumento de pelos no corpo. 
  • Taquicardia. 

 

Como tratar e diagnosticar o endométrio espessado 

endométrio espessado

Foto: Freepik

Um dos exames que detectam o espessamento da parede é a ultrassonografia transvaginal. O diagnóstico é tão importante porque se o caso não for tratado corretamente e com antecedência, pode aumentar as chances do desenvolvimento de um câncer no local. 

Visto que casos de hiperplasia endometrial têm especificidades entre si, os tratamentos são diferentes conforme as necessidades da paciente. 

Entre os mais comuns estão: administração de pílulas contraceptivas com progesterona, acompanhamentos hormonais e remoção do útero por inteiro (embora aplicado apenas em casos mais sérios). 

A gravidez é possível com um caso de espessamento endometrial? 

endométrio espessado

Foto: Freepik

Sim! Mas, a saúde íntima e o acompanhamento médico são essenciais, porque garantem a saúde da mãe e do bebê

Além disso, para dar início a uma gestação, o tecido endometrial deve estar pronto para receber o embrião e fixá-lo no útero. Afinal, um endométrio não saudável pode dificultar as possibilidades de uma gravidez.