Ter uma placenta saudável é vital durante a gravidez, porque é a placenta que fornece oxigênio e nutrientes ao bebê. Mas o que significa uma placenta grau 0, grau 1, grau 2 e grau 3? Hoje você descobrirá tudo o que precisa saber sobre grau da placenta.

Você sabia que à medida que a gravidez avança, a placenta envelhece? Isso mesmo! A placenta não tem uma vida ilimitada, mas está evoluindo, amadurecendo e envelhecendo. Assim, a placenta pode ser classificada em quatro graus de maturidade: grau 0, grau 1, grau 2 e grau 3.

À medida que a gravidez avança, a placenta evolui.

O que significa placenta envelhecida ou “calcificação da placenta”?

grau da placenta

Foto: Freepik

Publicidade

Calcificação placentária é o termo médico para algumas das alterações que ocorrem na placenta, à medida que a gravidez progride.

Mas muitos pesquisadores consideram a calcificação placentária um processo normal de envelhecimento, e não uma alteração relacionada a uma doença ou enfermidade.

A placenta é geralmente descrita como passando por quatro graus, de 0 (mais imaturo) a 3 (mais maduro).

Todas as placentas começam no grau zero no início da gravidez. Assim, as alterações podem ser vistas a partir de 12 semanas. À medida que a gravidez avança, a placenta amadurece e calcifica.

O Grau da placenta é classificado em diferentes estágios da gravidez como grau:

  • 0: Antes das 18 semanas de gravidez.
  • 1: Cerca de 18 a 29 semanas de gravidez.
  • 2: Cerca de 30 a 38 semanas de gravidez.
  • 3: Cerca de 39 semanas de gravidez. Geralmente não é visto antes de 38 semanas .

No entanto, não existe uma regra definitiva sobre quando a placenta atingirá tais maturidades.

Publicidade

Há muitos casos em que as mulheres ficam com a placenta no grau 2 desde a semana 28. Mas nesses casos, o médico acompanhará a gravidez de perto para garantir que o bebê esteja crescendo e se desenvolvendo adequadamente, apesar da placenta comprometida.

Uma placenta totalmente madura ou de grau 3 pode não ser tão eficiente quanto nos graus 0 ou 1, mas ainda assim é capaz de fornecer oxigênio e nutrientes ao bebê.

Uma placenta madura pode levar ao parto prematuro?

grávida

Foto: Freepik

Um outro sinal importante observado juntamente com o grau da placenta é o líquido amniótico. Pois à medida que a placenta amadurece, os níveis de líquido amniótico também podem mudar.

Assim, o seu médico também verificará o nível de líquido dentro do saco gestacional para garantir que ele ainda esteja em um nível adequado para manter seu bebê.

Mas o grau real da placenta não levará especificamente ao nascimento prematuro do bebê.

Publicidade

Em alguns casos, quando uma placenta de grau 3 não está fornecendo alimento suficiente para o bebê, o trabalho de parto pode ser induzido ou você pode ser submetida a uma cesariana.

O seu médico analisará o risco para o seu bebê se ele permanecer no útero em comparação com quaisquer riscos ou possíveis complicações se ele nascer agora.

Alterações no grau da placenta

ultrassom

Foto: Freepik

Entre 28 e 34 semanas

Um estudo sugere que mulheres em gestações de alto risco que desenvolvem uma placenta calcificada entre 28 e 34 semanas precisam de um monitoramento mais próximo.

Alguns exemplos de gestações de alto risco incluem gestações complicadas por placenta prévia, diabetes, pressão alta ou anemia grave.

A calcificação da placenta antes das 32 semanas de gravidez é denominada “calcificação precoce da placenta prematura“. Sabe-se que está associado a um maior risco de complicações no nascimento, como:

  1. Sangramento intenso após o nascimento ou hemorragia pós-parto
  2. Descolamento da placenta
  3. Bebê prematuro
  4. Ter um bebê com baixo índice de Apgar
  5. Natimorto

A partir de 36 semanas

Um estudo sugeriu que ter uma placenta de grau 3 com 36 semanas está associado a um risco aumentado de pressão alta relacionada à gravidez e ter um bebê com baixo peso ao nascer.

Portanto, as ecografias que mostram calcificação placentária às 36 semanas podem ajudar na identificação de gestações de alto risco.

Alterações de 37 a 42 semanas

A placenta calcificada grau 3 a partir das 37 semanas é encontrada em cerca de 20 a 40% das gestações normais. No entanto, acredita-se que tenha pouco significado clínico.

Há algo que eu possa fazer para evitar a calcificação precoce ou o envelhecimento da placenta?

gravidez

Foto: Freepik

A placenta naturalmente começa a se calcificar como parte do processo de envelhecimento fisiológico. Mais de 50% das placentas desenvolvem algum grau de calcificação a termo.

Estudos mostram que as possíveis causas para o desenvolvimento de uma placenta calcificada incluem:

  • Fumar
  • Hipertensão induzida pela gravidez
  • Descolamento da placenta (quando a placenta se desalojou da parede do útero)
  • Certas bactérias na placenta
  • Fatores ambientais, incluindo exposição à radiação ou som de baixa frequência
  • Reações a medicamentos (antiácidos) ou suplementos vitamínicos (cálcio excessivo)
  • O estresse pré-natal também pode aumentar o risco de calcificação da placenta.

O seu médico irá monitorar sua saúde durante a gravidez. Portanto, certifique-se de não perder nenhum checkup pré-natal e os compromissos da ecografia.

Sintomas de placenta calcificada

gravidez

Foto: Freepik

Se você tiver uma placenta calcificada, provavelmente não notará nenhum sintoma físico. Um dos sintomas mais comuns que as mulheres com placenta calcificada descrevem é que o bebê parece se mover menos do que o normal ou para de se mover completamente, mesmo estando perto do prazo.

Mulheres com calcificação placentária geralmente notam que seu bebê parece se mover menos quando acordam de manhã.

Se, depois de se levantar e se movimentar, notar que o bebê ainda não se move ou está se movendo muito menos do que o normal, entre em contato com seu médico ou parteira imediatamente.

Outros possíveis sintomas de placenta calcificada incluem sangramento vaginal, contrações uterinas ou dor no abdômen ou na região lombar.

Você também pode perceber que sua barriga não está crescendo como deveria, o que pode indicar uma restrição no crescimento do bebê. A presença de todos esses sintomas pode indicar outras complicações sérias na gravidez. Entre em contato com o médico se tiver algum deles.

Grau da placenta: Diagnóstico

grávida

Foto: Freepik

Como existem muito poucos sintomas físicos óbvios da calcificação placentária, ela geralmente é detectada apenas durante um ultrassom de rotina.

Sendo assim, se o seu médico detectar sinais de calcificação na placenta, ele poderá solicitar uma nova ultrassom para determinar a gravidade e identificar se isso está afetando negativamente a saúde do bebê.

A placenta é um órgão milagroso que ajuda a dar vida ao seu bebê em crescimento. É responsável pelas funções respiratórias, nutricionais, excretórias, endócrinas e imunológicas.

Então converse com seu médico se você tiver um histórico familiar conhecido de calcificação placentária ou se tiver sintomas de placenta calcificada.

Mas lembre-se de confiar no seu instinto e intuição maternos. Não há mal nenhum em entrar em contato com seu médico se você tiver preocupações.

Confira nosso blog para mais dicas sobre como ter uma gravidez saudável e do que você deve estar ciente no pós-parto!