Você sabia que hoje quase 6 milhões de crianças sofrem de alergia alimentar? Se seu filho tem alergia alimentar ou você está se perguntando quando introduzir alimentos como ovo, leite de vaca ou amendoim, é importante estar ciente das alergias alimentares mais comuns em crianças.

As alergias alimentares mais comuns em crianças

Mais de 170 alimentos foram reconhecidos como potencialmente alergênicos. Mas a maioria das alergias é causada por apenas oito alimentos.

  1. Leite de vaca
  2. Ovos de galinha
  3. Amendoim
  4. Trigo
  5. Soja
  6. Nozes
  7. Peixe
  8. Marisco

Veja mais: Os alimentos mais alergênicos para bebês e crianças

1 – Leite de vaca

criança bebendo leite

Foto: Freepik

Publicidade

Além de ser uma adição saborosa a uma tigela quente de aveia, o leite fornece os nutrientes necessários (como cálcio) para o crescimento do corpo.

Mas, infelizmente, nem todos podem tolerar o leite de vaca. O leite de vaca é a alergia alimentar mais comum na infância.

Sendo assim, um bebê que tem alergia à proteína do leite de vaca pode reagir a qualquer leite que a mãe consome.

Alergia ao leite de vaca x intolerância

A alergia ao leite de vaca é quando uma pessoa tem alergia a uma determinada proteína no leite e, como todas as outras alergias alimentares, isso desencadeia uma resposta do sistema imunológico. Mas isso não é a mesma coisa que intolerância à lactose.

Um bebê com intolerância à lactose não possui (ou possui numa quantidade insuficiente) uma determinada enzima chamada lactase, que decompõe a lactose no leite.

Sendo assim, uma intolerância não desencadeia uma resposta do sistema imunológico; uma intolerância à lactose significa que o corpo se esforça para digeri-la, razão pela qual os sintomas de intolerância à lactose geralmente são limitados ao sistema gastrointestinal.

Publicidade

2 – Ovos

menina-comendo-ovo

Foto: Freepik

Os ovos são ricos em proteínas, gordura saudável e selênio. Desse modo, as gemas são até um bom primeiro alimento para bebês! Portanto, é muito complicado se seu filho desenvolver uma alergia a esse alimento nutritivo.

As alergias aos ovos são a segunda alergia alimentar mais comum, mas, felizmente, a maioria das alergias aos ovos não apresenta risco de vida.

Algumas crianças são alérgicas às proteínas da gema, algumas são alérgicas às proteínas da clara e outras são alérgicas às duas. No entanto, alergias apenas às claras de ovos são as mais comuns.

3 – Amendoim

amendoim

Foto: Freepik

As alergias ao amendoim são talvez as alergias alimentares mais discutidas, e com razão: as alergias ao amendoim são muito comuns (4-8% das crianças) e, geralmente, apresentam risco de vida.

Publicidade

Para tornar as alergias ao amendoim ainda mais preocupantes, às vezes uma criança nem precisa comer o produto. Algumas pessoas são tão sensíveis ao amendoim que tocar um amendoim ou inalar o pó de amendoim pode desencadear uma reação.

4 – Soja

Os três alimentos anteriores (leite, ovo e amendoim) representam 80% das alergias alimentares comuns em crianças. Mas outra alergia relevante é aquela à soja.

As alergias à soja podem causar algumas reações desconfortáveis, como:

  • Eczema (85% das crianças com alergia à soja)
  • Congestão (71% das crianças com alergia à soja)
  • Asma (64% das crianças com alergias à soja)

O mais complicado das alergias à soja é que a soja é encontrada em muitos produtos, incluindo fórmula para bebês. Se você suspeitar que tenha uma alergia à soja (ou qualquer alergia), leia sempre os rótulos antes de consumir ou oferecer um alimento para o seu filho.

5 – Trigo

trigo

Foto: Freepik

Das crianças já diagnosticadas com alergias alimentares, o trigo é responsável por cerca de 20% dessas alergias. Isso equivale a cerca de 1% da população total.

Se o seu filho tiver alergia ao trigo, verifique os rótulos, pois o trigo pode se infiltrar em muitas listas de ingredientes, incluindo produtos cosméticos!

6 – Nozes

alergia alimentar

Amendoim e nozes não são agrupados em uma categoria, porque os amendoins não são tecnicamente nozes – são leguminosas! As nozes são uma categoria ampla que inclui:

  • Amêndoas
  • Castanha-do-pará
  • Castanha de caju
  • Pistaches
  • Nozes de macadâmia
  • Nozes
  • Pinhões

Além das nozes inteiras, as nozes podem ser encontradas em muitos outros produtos alimentícios.

Como as alergias ao amendoim, as alergias às nozes tendem a causar reações muito graves.

Você pode conversar com seu médico sobre um teste de alergia para confirmar a qual ou quantas nozes seu filho é alérgico.

7 – Peixe

peixe

Foto: Freepik

É importante não confundir a alergia à peixe com as alergias a frutos do mar (moluscos, crustáceos). Assim, as alergias a peixes representam apenas 0,6% das alergias alimentares em crianças.

As fontes mais comuns de alergias a peixes são:

  • Salmão fresco ou enlatado
  • Atum fresco ou em conserva
  • Linguado

Mas se a criança é alérgico ao salmão, por exemplo, isso não significa que é alérgica a todos os peixes. É importante trabalhar em estreita colaboração com seu médico ou alergista para identificar quais tipos de peixe desencadeiam as reações.

8 – Marisco

camarão

Foto: Freepik

Quando você tem alergia a mariscos, experimenta uma resposta imune a uma certa proteína (chamada tropomiosina) nos mariscos.

O marisco inclui:

  • Lagosta
  • Caranguejo
  • Camarão
  • Lula
  • Lagostim
  • Vieiras
  • Mexilhão
  • Ostras

As alergias a mariscos representam apenas 0,9% das alergias alimentares, mas surpreendentemente, as alergias a mariscos causam mais sintomas (incluindo eczema) do que as alergias ao amendoim.

Sinais de alergia alimentar

alergia alimentar

Foto: Freepik

Então, se você notar os seguintes sintomas em seu filho, uma das alergias alimentares comuns pode ser a culpada.

  • Erupção cutânea
  • Inchaço facial (inclui o rosto, lábios, língua e bochechas)
  • Distúrbios gastrointestinais, incluindo vômitos ou diarreia
  • Tosse
  • Problemas respiratórios
  • Perda de consciência

As alergias alimentares comuns acima podem resultar em uma reação alérgica grave chamada anafilaxia, caracterizada por dificuldade em respirar, inchaço facial, aperto na garganta, dificuldade em respirar, inchaço no rosto ou lábios ou vômitos ou diarreia graves. A alergia alimentar podem aumentar rapidamente e alergias graves podem ser fatais.

Como prevenir alergia alimentar comum

Pode ser difícil pensar em tantos alimentos que potencialmente causam reações alérgicas em seu bebê, mas pesquisas recentes mostraram revelações importantes: a introdução de alguns desses alimentos durante a introdução alimentar (de 6 meses a 1 ano) pode reduzir a chance da ocorrência da alergia (como é o caso do ovo).

Em relação ao amendoim e às nozes, um pequeno contato com o alimento durante a introdução alimentar também parece ser benéfico (pequenos pedaços em uma receita, por exemplo. Evite dar uma quantidade grande de nozes, amendoins, amêndoas ou similares diretamente ao bebê antes de 1 ano).

Já em relação ao leite de vaca, os pediatras continuam recomendando fortemente que não seja dado ao bebê antes de 1 ano de vida. No manual mais recente do Ministério da Saúde, liberado em novembro de 2019 (disponível para download aqui), o uso do leite está liberado como ingrediente de receitas que podem ser dadas ao bebê, mas não deve ser dado diretamente à criança até o primeiro aniversário.

Outras pesquisas têm demonstrado que o uso de probióticos na gravidez poderia também reduzir a chance de alergia alimentar no bebê. Veja mais nesses post.