Quarentena no pós-parto: saiba quais são as recomendações atuais

Por 0 Comentários


A quarentena no pós-parto, também chamada de resguardo ou puerpério, refere-se ao período que contempla 40 dias depois do nascimento da criança. Essa fase exige alguns cuidados, pois é o tempo necessário para o corpo se recuperar depois de dar à luz. Evidentemente, diversos fatores influenciam na recuperação, e algumas mulheres podem se sentir perfeitamente dispostas antes desses 40 dias, outras depois, mas a média se baseia na quarentena.

quarentena no pós-parto

Imagem: 123RF

Nesse período, a queda dos hormônios da gravidez leva muitas mulheres a uma sensação constante de desânimo e cansaço, uma das características mais comuns da quarentena no pós-parto (não à toa, é nesse período que vem muitos depoimentos de baby blues e depressão pós-parto). O que é normal, também, tendo em vista toda a demanda do recém-nascido, além do sentimento de insegurança relatado especialmente por mães de primeira viagem.

Veja também: Grávida e Prática: um guia sem rodeios para a mãe de primeira viagem

Mudanças no corpo durante a quarentena no pós-parto

Além da queda nos hormônios, uma das principais mudanças no corpo da mulher no puerpério é o retorno do útero ao seu tamanho normal. Para se ter uma ideia, antes da gravidez, nosso útero normalmente tem o tamanho de uma pera e pesa cerca de 90 g. Mas ao final da gestação, para abrigar o bebê, o órgão pode aumentar até 11 vezes de tamanho! É muito, né? Por isso o útero precisa de um tempo para voltar ao tamanho sem o feto.

Para quem passou por parto normal, os órgãos genitais também demandam um período para retornar ao tamanho normal.

É por esses fatores que durante a quarentena esforços físicos intensos devem ser evitados. Com o consentimento do médico, exercícios podem ser liberados após 30 dias do parto, com um retorno gradativo. Aqueles de baixo impacto são os mais indicados, como caminhada, natação e hidroginástica.

Mas a mulher pode tomar conta do bebê tranquilamente. Tarefas rotineiras como carregar a criança, dar banho, alimentar, trocar podem ser feitas sem medo, até porque o repouso excessivo aumenta o risco de trombose. Se não há nenhuma restrição por parte do médico, pode seguir com os cuidados com a criança normalmente. Ah, e também podemos nos cuidar, viu? Há pessoas idosas que falam sobre não tomar banho nem lavar o cabelo no resguardo, mas não existe nenhuma contraindicação para isso.

Atividades domésticas podem ser retomadas desde que não exijam grande esforço e a direção está liberada (geralmente após 20 dias) apenas para mulheres que não passaram por intervenções cirúrgicas (caso contrário também é preciso respeitar a quarentena para dirigir).

E o sexo?

Uma das recomendações mais comuns durante a quarentena no pós-parto é a abstinência de sexo. E vale saber que é muito importante respeitar essa orientação, pelo risco de infecções. Como nesse período o colo do útero ainda está aberto, a mulher sangra (a chamada loquiação) pela vagina, o que aumenta as chances de quadros infecciosos sérios.

Veja também: Vamos falar sinceramente sobre sexo no pós-parto?

Para quem passou por uma cesárea, a quarentena ainda é necessária para respeitar a cicatrização completa e não correr o risco da ruptura de pontos, que também pode levar a infecções, hemorragias e até hérnias.

Sem contar que pela queda de hormônios e cansaço característico da vida com um recém-nascido é normal o desejo sexual ficar em segundo plano. Por isso a recomendação é respeitar a quarentena (ou o tempo que você achar necessário), para que o retorno à atividade sexual seja realmente prazeroso. Converse sempre com o seu médico para acompanhar as recomendações para você.

Veja também: Como perder a barriga depois do parto


 



Arquivado em: GravidezMaternidadeSaúde Tags:

Deixe seu comentário