Grounding é uma palavra em inglês que significar aterrar, enraizar, e consiste no contato direto ou indireto entre a pele e a superfície terrestre. Você pode deitar, ficar descalço, permanecer sentado ou tocar a terra com as mãos. O que importa é a troca de energia com a natureza. Apesar de parecer simples, é um costume que perdemos bastante com a nossa vida corrida, no meio de uma metrópole, sempre com tantos afazeres…

Grounding

Grounding – Foto: Freepik

Do ponto de vista científico, o segredo por trás do grounding é que, ao nos conectarmos com a terra, existe uma troca de energia e cargas elétricas positivas e negativas se atraem e se neutralizam. Assim nosso corpo voltaria ao estado neutro após esse contato. Nosso corpo funcionaria como um fio-terra ao equalizar os elétrons negativos remanescentes de reações químicas, que contribuem para a oxidação do organismo de uma forma geral.

Benefícios do Aterramento

Meditando na natureza

Meditando na natureza – Foto: Freepik

Publicidade

Os possíveis benefícios do aterramento incluem a ativação do sistema nervoso parassimpático, melhoria da qualidade do sono, diminuição de mediadores pró-inflamatórios e diminuição da intensidade da dor, benefícios à saúde cardiovascular. Ele também ajuda a reduzir dores crônicas, aumentar a capacidade de disposição física, equilibrar a energia vital, melhorar sintomas depressivos… São muitos os benefícios descritos sobre essa prática.

Essa experiência pode ser potencializada ao unir o grounding à prática de meditação. Você já tentou? Bastam alguns minutinhos em contato com a natureza, em uma posição confortável, meditando, e você sentirá os benefícios dessa prática.

Vamos tentar?