7 maneiras de ajudar seu filho nas provas

Por 0 Comentários


Fim de ano não é apenas um período de festas e comemorações. Para quem tem filho em idade escolar, essa pode ser uma fase bem estressante do ano, em função das temidas provas finais! Claro que algumas crianças tiram isso de letra, mas há também aquelas que sofrem bastante com o processo (e se o filho sofre, nós, pais, sofremos também!).

Por muitos anos, durante a faculdade, dei aula de reforço para alunos de grandes escolas de SP, e sei que existem algumas táticas que realmente ajudam no desempenho escolar do aluno. Coisas que você pode implantar aí na sua casa, e que podem fazer a diferença entre uma nota ruim e uma boa, entre o nervosismo e a tranquilidade na hora de responder uma prova, e até entre passar de ano e ter que repetir o ano letivo.

Se aí na sua casa o nervosismo do filhote já estiver batendo à porta, sugiro que você leia as dicas desse post. Pode ser que uma delas funcione por aí e faça o pequeno relaxar um pouquinho! Vamos tentar?

Imagem: 123RF

Crie uma rotina de estudos

Muitas crianças ficam nervosas com a proximidade das provas, porque deixam para estudar todo o conteúdo do bimestre de uma única vez, dias antes do exame. Porém, como muitos professores sugerem, pode ser mais proveitoso sugerir que o pequeno estude de maneira gradativa, com menos tempo por dia, só que com maior frequência. Pessoalmente eu acredito que o hábito de estudar todos os dias é muito positivo – porque não deixa o conteúdo acumular, e porque cria o hábito diário da dedicação aos estudos. Incentive seu filho a ter essa rotina diária, que tudo fica mais fácil.

Contribua para que a criança encontre sua fórmula

Como você costuma estudar? Pergunto porque nem todo mundo estuda da mesma maneira: tem gente que tem mais facilidade em compreender e gravar informações lendo e grifando textos, enquanto outros preferem escrever resumos. Há ainda aqueles que entendem melhor o conteúdo quando leem em voz alta. Algo que percebi, com muitos anos como professora particular, é que a tática de “dar aula”, explicando para si mesmo a matéria, pode ajudar demais. Ao explicar,  a criança passa a ordenar o conteúdo em sua cabeça, e ficam mais claros os pontos que ainda não estão compreendidos por ela.

Se o seu filho estiver com dificuldade nos estudos, sugira que ele experimente outras formas de estudar. Quem sabe mudando dá certo?

Que tal um espaço bacana?

Um espaço bem organizado ajuda na concentração. Pode parecer bobeira, mas a desorganização atrapalha demais: perde-se muito tempo procurando o livro com a matéria que vai cair na prova, e a dispersão resultante prejudica o rendimento da criança. Aliás, a falta de organização é um dos maiores motivos pelos quais o estudo “não rende”. 

O ideal é que a criança tenha também um ambiente específico para estudar, onde ela possa se concentrar (se ela estudar na mesa da cozinha, por exemplo, provavelmente vai se dispersar enquanto você cozinha ou lava a louça!). Você pode resolver a questão colocando uma escrivaninha no quarto dela, já que lá ela terá tranquilidade. E que tal escolher (ou fazer) um modelo bem bacana de escrivaninha para dar mais ânimo nos estudos, hein?

Não deixe o lazer de lado (e reforce a importância de dormir direito)

Se engana quem pensa que época de prova é destinada exclusivamente para os estudos. A criança também precisa de lazer e diversão! Esses momentos, aliás, têm sua importância na aprendizagem: por meio deles, o pequeno relaxa, o que irá deixá-lo mais concentrado na hora de estudar. Relaxar ainda estimula a criatividade, outro aspecto importante quando falamos em inteligência e desempenho escolar.

E, claro, manter uma boa alimentação e rotina de descanso também são fundamentais (inclusive é durante o sono que nossa memória trabalha!). Como comentei nesse post, organizar a rotina do seu filho de forma que ele durma mais 30 minutos ou um a hora diária pode contribuir, inclusive, para um melhor desempenho escolar.

Veja também: 5 dicas para ajudar seu filho a fazer lição de casa

Proponha jogos e passeios

Também aproveitando o conceito de “aprender brincando”, você pode testar o conhecimento do seu filho propondo uma brincadeira de perguntas e respostas (como uma chamada oral, mas num tom leve e lúdico). O jogo ainda ajuda a verificar os pontos da matéria que precisam de reforço nos estudos. Outra sugestão é levar o filhote passear em locais relacionados à matéria que vai cair na prova: se ele está aprendendo sobre animais peçonhentos, por exemplo, que tal levá-lo para conhecer o Instituto Butantã? Ele está aprendendo sobre energia elétrica? Então por que não programar as férias então para Foz do Iguaçu e conhecer de pertinho a Usina de Itaipú (que é, simplesmente, a maior hidrelétrica do mundo?). Se não conseguir ir tão longe, verifique os museus da sua cidade (tem muito mais do que a gente imagina!). Conferindo de perto como a matéria teórica funciona na prática aprender fica bem melhor, concorda?

Converse com o seu filho

Não só em época de provas, mas durante o ano todo é muito importante que você acompanhe a rotina escolar do seu filho. Pergunte se ele está sentindo dificuldade em alguma matéria, de forma que você mesmo possa estudar com ele ou, se sentir necessidade, contratar um professor particular (encare esse profissional como uma ajuda extra, e não como um sinal de que seu filho falhou). Algumas crianças têm receio de contar que estão achando algum conteúdo difícil mas, se você perguntar e deixá-la à vontade (sem broncas, pois cada um aprende à sua maneira e não acompanhar o ritmo dos colegas pode ocorrer), pode ser que ela relate o problema e, juntos, vocês cheguem a uma solução.

Demonstre confiança

Claro que estudar é fundamental para atingir bons resultados na prova, mas o estado emocional é outro aspecto que tem o seu peso. Nesse sentido, o ideal é que a criança se sinta confiante para resolver o exame (algumas, por puro nervosismo e falta de confiança, podem ter aquele “branco”!). Contribua com esse sentimento elogiando seu filho a cada conquista e também demonstrando no dia a dia, com naturalidade, que você confia no potencial dele (destacando as coisas bacanas que ele faz, dizendo que na sua época você também se preocupava com as provas mas que no fim tudo dava certo etc. Veja mais dicas aqui).


 



Arquivado em: Educação Tags:

Deixe seu comentário